Historical

O Repositório da Produção Científica e Intelectual da Unicamp nasceu 2012, a partir de uma demanda da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) junto ao Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (CRUESP). A partir disso, a Unicamp, em parceria com a USP e a UNESP, trabalhou no desenvolvimento de uma metodologia de implantação de repositórios, estabelecendo uma base mínima compartilhada pelas três Universidades. Naquele momento, optou-se por utilizar o software DSpace em sua versão 3.x.

O Repositório da Unicamp foi desenvolvido em regime de incubadora, a partir da plataforma já desenvolvida para o RI da Universidade de São Paulo (USP). Na época, a estrutura hierárquica adotada para o Repositório foi por comunidade (Institutos ou Faculdades); coleção (tipo de material) e item (conjunto de metadados de cada um dos documentos indexados).

O trabalho de construção do Repositório no ano de 2013 foi constituído por três etapas: inicialmente, selecionou-se o tipo de material que o comporia: artigos publicados no ano de 2012 em revistas científicas indexadas no Web of Science (WOS), e escritos por autores da Unicamp em parceria com autores da USP e/ou UNESP. A partir dessa estratégia, foram extraídos 956 registros da WOS, sendo 752 artigos com autores da Unicamp e USP, e 204 artigos com autores da Unicamp e UNESP. Dessa forma, o RI da Unicamp contava, em maio de 2013, com 956 registros. Na segunda etapa, ainda seguindo o critério de autoria em parceria, mas agora contemplando anos anteriores a 2012, a USP cedeu uma lista com 1.197 registros. Após o trabalho de tratamento dos registros e a realização de algumas reuniões em conjunto com a USP e UNESP, o Repositório da Produção Científica do CRUESP foi lançado no dia 06 de outubro de 2013, na abertura da Conferência Luso Brasileira de Acesso Aberto (CONFOA), realizado na Biblioteca Brasiliana da USP. Nesse mesmo ano, o Sistema de Bibliotecas da Unicamp (SBU) estruturou uma equipe para cuidar exclusivamente do Repositório, ocasião em que o RI da Unicamp tinha um total de 2.153 registros.

Em 2014, os trabalhos de extração de registros foram continuados nas bases WOS e Scielo. Com a finalidade de produzir a documentação legal do RI, foi criado um Grupo de Trabalho (GT) constituído por profissionais que estiveram envolvidos nas ações iniciais do RI, além de profissionais da Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI) e bibliotecários de Unidades/Institutos de cada área. Ainda em 2014, o RI deixou de ser incubado na USP e passou para um servidor exclusivo na Unicamp, ocasião em que a versão do software DSpace foi alterado para 4.x. Após o trabalho de transição, todas as teses e dissertações que estavam na Biblioteca Digital da Unicamp foram importadas para o RI, que no fim desse período já contava com 81.220 registros. Estes resultados foram apresentados no Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias (SNBU), em Belo Horizonte (MG), em novembro daquele ano.

Em 2015, o GT do Repositório continuou suas atividades, as quais resultaram na aprovação da Resolução GR-013/2015, ocorrida em julho do mesmo ano. Paralelo ao desenvolvimento da sua documentação, o RI continuou sendo alimentado com dados extraídos das bases da Scopus, Pubmed, Portal de Periódicos Eletrônicos Científicos (PPEC) da Unicamp e Patentes, alcançando o número de 114.947 registros oriundos de publicações ocorridas até o fim de 2014. Após essa fase, foi criado um novo GT, a fim de estabelecer diretrizes e procedimentos para promover e assegurar a coleta, tratamento e preservação da produção científica e intelectual gerada nas Unidades da Unicamp, bem como sua disseminação e acessibilidade para toda a comunidade. Esse GT é constituído pela Coordenadora do SBU, pelo diretor da Diretoria de Tratamento da Informação (DTRI), bibliotecários de cada uma das áreas acadêmicas da Unicamp, professores indicados pela Pró-Reitoria de Pesquisa (PRP), Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PRPG) e Pró-Reitoria de Graduação (PRG) e pela diretora de tecnologia do SBU.

Ainda em 2015, o RI passou por uma reestruturação: atualizou o software DSpace para a versão 5.x. Os metadados foram redefinidos e sua estrutura hierárquica foi ampliada para comunidade (Técnica ou Científica); subcomunidade (Institutos ou Faculdades); segunda subcomunidade (Departamentos); coleção (tipo de material) e item (conjunto de metadados de cada um dos documentos indexados). Em 24 de novembro de 2015, foi realizado um Fórum na Unicamp, intitulado “Repositórios institucionais: instrumentos para visibilidade, disseminação e preservação da produção científica”, ocasião em que ocorreu o pré-lançamento do Repositório da Produção Científica e Intelectual da Unicamp. Por fim, o lançamento oficial do Repositório ocorrerá em 02 de dezembro de 2015, no Auditório da Biblioteca Central César Lattes (BCCL).