Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/84084
Type: Artigo de periódico
Title: A globalização e seus reflexos sobre os trabalhadores estáveis: petroleiros da Fafen/Petrobrás
Title Alternative: Globalization and its consequences on stable workers: Oil workers at Fafen/Petrobras
Author: Romão, Frederico Lisbôa
Abstract: The article is aimed at contributing to the debate on so-called stable workers, their organizations, worker's subjectivity and the factory's environment in the state of Sergipe in the 1990s, in the particular case of the Fafen/Petrobras fertilizer maker. Tabulation and analysis of collected data points out to some conclusions: 1) Changes in the factory environment show impoverishment in work conditions, materialized as: less positions, more tasks, less safety, less stability, loss and flexibilization of rights. That process strikes workers seen as stable, which shows the inaccuracy of calling them elite or privileged.; 2) Their Union, in spite of their leaders' experience, who were ahead of the national movement since the 1980s, even though it has a high organizational level and inside-factory links, was not able to find alternative ways to face the Company's canceling several prior benefits and co-opting old leadership, generating a weakness feeling and directly damaging worker's subjectivity.
Esse trabalho busca contribuir para discussão da globalização e seus reflexos sobre os trabalhadores ditos estáveis, suas organizações, a subjetividade operária e o chão da fábrica a partir de Sergipe na década de 90, no caso particular da Fábrica de Fertilizantes da Petrobrás (Fafen/Petrobrás). A tabulação e análise dos dados coletados, nos possibilita algumas conclusões: 1) As mudanças ocorridas no chão da fábrica denotam uma precarização das condições de trabalho externalizadas em: menos postos de serviço, mais tarefas, menos segurança, menos estabilidade, perda e flexibilização de direitos. Esse processo atinge diretamente os trabalhadores tidos como estáveis permitindo-nos concluir que não são precisas as afirmações que os denominam de elite ou privilegiados; 2) o sindicato da categoria, apesar da experiência dos seus quadros diretivos, que estavam à frente do movimento desde o início dos anos 80, tendo inclusive posição destacada a nível nacional, apesar do seu nível de organização e da sua inserção no interior da unidade fabril, foi incapaz de encontrar formas alternativas ao avanço da empresa, que consegue retirar muitas conquistas anteriores e cooptar antigas lideranças, criando um clima de impotência e atingindo diretamente a subjetividade da classe.
Subject: Globalização
sindicalismo
trabalhadores estáveis
precarização
petroleiros
Globalization
unions
stable workers
impoverishment
Editor: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS
Rights: aberto
Identifier DOI: 10.1590/S1517-45222001000200009
Address: http://dx.doi.org/10.1590/S1517-45222001000200009
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-45222001000200009
Date Issue: 1-Dec-2001
Appears in Collections:Artigos e Materiais de Revistas Científicas - Unicamp

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.