Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/743
Type: Artigo de periódico
Title: A falsa dicotomia entre a preservação da vegetação natural e a produção agropecuária
Title Alternative: The false dichotomy between preservation of the natural vegetation and food production in Brazil
Author: MARTINELLI, Luiz Antonio
JOLY, Carlos Alfredo
NOBRE, Carlos Afonso
SPAROVEK, Gerd
Abstract: Este artigo mostra através da análise de dados censitários sobre uso da terra no Brasil que a possível dicotomia entre a preservação da vegetação natural e a produção de alimentos na realidade não existe. Demonstramos que o Brasil já tem uma área desprovida de vegetação natural suficientemente grande para acomodar a expansão da produção agrícola. Demonstramos também que a maior expansão se dá nas áreas ocupadas pelas chamadas culturas de exportação - soja e cana-de-açúcar - e não propriamente nas áreas ocupadas por arroz, feijão e mandioca, que são consumidos de forma direta pelo mercado nacional. Pelo contrário, a área colhida de arroz e feijão tem inclusive decrescido nas últimas décadas, enquanto a área colhida de mandioca encontra-se praticamente constante há quatro décadas. Os maiores entraves para a produção de alimentos no Brasil não se devem a restrições supostamente impostas pelo Código Florestal, mas, sim, à enorme desigualdade na distribuição de terras, a restrição de crédito agrícola ao agricultor que produz alimentos de consumo direto, a falta de assistência técnica que o ajude a aumentar a sua produtividade, a falta de investimentos em infraestrutura para armazenamento e escoamento da produção agrícola, a restrições de financiamento e priorização do desenvolvimento e tecnologia que permita um aumento expressivo na lotação de nossas pastagens,
Through the analysis of census data on land use in Brazil this article shows that the dichotomy between food production and preservation of natural vegetation used as the main driver to change the Forest Code is false. We showed here that Brazil has already cleared an area large enough that support the production of food, fiber and bioenergy to meet the requirements of the country and global markets. We also showed the area of export-oriented crops like soybean and sugar cane have been expanded significantly in the last decades, while staple crops like rice and bean have decreased and the area planted with cassava has been stable for the last four decades. At the same time we show that the productivity of export-oriented crops has increased in a much more significant rate than staple crops or cattle stocking rate, which in average is extremely low in Brazil. We concluded by stating that the real constraint for food production in Brazil does not rely on the Forest Code environmental restrictions but instead in inequalities in land distribution and income, coupled with lack of credit to small producers and investment in research and development in the staples crops of the country.
Subject: Alimentos
Uso do solo
Preservação
Leis ambientais
Código Florestal Brasileiro
Food
Land use
Preservation
Environmental law
Brazilian Forest Code
Country: Brasil
Editor: Instituto Virtual da Biodiversidade | BIOTA - FAPESP
Citation: Biota Neotropica, v.10, n.4, p.323-330, 2010
Rights: aberto
Identifier DOI: 10.1590/S1676-06032010000400036
Address: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032010000400036
http://www.scielo.br/pdf/bn/v10n4/36.pdf
Date Issue: 2010
Appears in Collections:IB - Artigos e Materiais de Revistas Científicas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
art_MARTINELLI_A_falsa_dicotomia_entre_a_preservacao_da_2010.pdfpublished version722.53 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.