Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/44522
Type: Artigo de periódico
Title: Grupos de Interação Social (GIS): estratégia de empowerment para pessoas com epilepsia
Title Alternative: Social Interaction Group (GIS): a strategy of empowerment for people with epilepsy
Author: Fernandes, Paula T.
Min, Li Shih
Ling, Li Hui
Correa, Carlos
Barros, Nelson Felice
Li, Li Min
Abstract: INTRODUCTION: The management of epilepsy goes beyond seizure control. So, the Social Interaction Groups (GIS) is an alternative to this integrative approach in epilepsy. PURPOSE: To carry out groups dynamics for health allied professional, social workers, and educators in order for them to use GIS in their communities and for patients. METHODOLOGY: We conducted two GIS - with 21 professionals from social, education and health Departments of city Pedreira. We used validated questionnaires (Self-Esteem Questionnaire, Resilience Questionnaire, Social Skills Inventory and Stigma Scale of Epilepsy) before and after the GIS. RESULTS: The groups showed improvement in knowledge about epilepsy and allowed to share experiences and contribute to solidarity and sense of citizenship. In addition, the use of Traditional Chinese Medicine has reinforced the holistic view of human being. The questionnaires used (pre and post-test) showed positive changes. CONCLUSIONS: It was observed an improvement in all items evaluated, showing that subjects could improve their social skills and, consequently, their resilience. The application of GIS is practical, with a low-cost operation and allows performance in other locations within other situations of chronic conditions that have similar epilepsy's impact.
INTRODUÇÃO: O manejo da epilepsia vai além de controle das crises e, para uma abordagem integrativa, começamos a trabalhar com os Grupos de Interação Social (GIS) na epilepsia. OBJETIVO: Realizar grupos em profissionais da saúde e educação para que eles possam se apoderar desta dinâmica para depois aplicá-los em suas comunidades, locais de trabalho, com seus pacientes e equipe de trabalho. METODOLOGIA: foram realizados dois GIS - com 21 profissionais da área social, saúde e educação na cidade de Pedreira. Para avaliar mudanças, foram aplicados questionários validados (Questionário de Autoestima, Questionário de Resiliência, Inventário de Habilidades Sociais e Escala de Estigma na Epilepsia) antes e depois dos GIS. RESULTADOS: Os grupos permitiram aprender mais sobre epilepsia, trocar experiências e contribuir para o crescimento pessoal e profissional, reforçando a solidariedade e a prática da cidadania. Além disso, o uso da Medicina Tradicional Chinesa reforçou a visão do ser humano como ser integral. Os questionários aplicados no início dos grupos (pré-teste) e ao final (pós-teste) mostraram mudanças positivas. CONCLUSÕES: Pôde-se observar uma melhora em todos os itens avaliados, mostrando que os sujeitos, mesmo sendo profissionais, puderam melhorar suas habilidades sociais e com isso, seu poder de resiliência. A aplicação do GIS é prática, com baixos custos de operacionalização, o que permite sua utilização em locais diversos e pode ser útil para outras situações ou condições crônicas com impacto semelhante ao da epilepsia.
Subject: epilepsia
grupos de interação social
cidadania
epilepsy
social interaction groups
citizenship
Editor: Liga Brasileira de Epilepsia (LBE)
Rights: aberto
Identifier DOI: 10.1590/S1676-26492011000200007
Address: http://dx.doi.org/10.1590/S1676-26492011000200007
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-26492011000200007
Date Issue: 1-Jan-2011
Appears in Collections:Artigos e Materiais de Revistas Científicas - Unicamp

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S1676-26492011000200007.pdf359.72 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.