Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/41898
Type: Artigo de periódico
Title: Acolhimento e (des)medicalização social: um desafio para as equipes de saúde da família
Title Alternative: User embracement and social (de)medicalization: a challenge for the family health teams
Author: Tesser, Charles Dalcanale
Poli Neto, Paulo
Campos, Gastão Wagner de Sousa
Abstract: This article discusses the relation between sheltering practice and social medicalization in the primary care. It begins with a revision about social medicalization and mentions some influences concerning the organization of the Brazilian primary care. It also indicates that the ground of receptivity proposal was provided by those influences. It argues the potentiality to accomplish the sheltering with a demedicalization and interdisciplinary action and its reverse effect, when restricted simply to emergency medic care. There are hereby suggested changes in the management and organization of routines, agendas as well as collective and individuals activities of the professionals with the intention to reduce medicalization. The conclusion favors the expansion of experimentation on sheltering as a strategy in dealing with unexpected events and with primary care spontaneous demand, always watching out for its medicalization potential.
Este artigo discute a relação entre a prática do acolhimento na atenção primária (Programa/Estratégia Saúde da Família) e o processo de medicalização social. Inicia com a síntese de uma revisão sobre medicalização social e a indicação de influências históricas e conceituais sobre a organização da atenção básica brasileira, que prepararam terreno para a emergência da proposta do Acolhimento. Argumenta sobre a possibilidade de se realizar o Acolhimento numa lógica desmedicalizante e interdisciplinar e sobre a forte potencialidade inversa, quando o Acolhimento é restrito a simples pronto-atendimento médico. Sugere mudanças em rotinas, agendas e atividades profissionais individuais e coletivas, terapêuticas e de promoção à saúde, para que cada equipe possa acolher seus usuários minimizando a medicalização. Conclui a favor de experimentações do Acolhimento como estratégia para se lidar com eventos inesperados e com a demanda espontânea, sempre tomando cuidados quanto ao seu potencial medicalizador.
Subject: Acolhimento
Medicalização social
Programa Saúde da Família
Atenção primária
User embracement
Social medicalization
Family Health Program
Primary care
Editor: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Rights: aberto
Identifier DOI: 10.1590/S1413-81232010000900036
Address: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232010000900036
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232010000900036
Date Issue: 1-Nov-2010
Appears in Collections:Artigos e Materiais de Revistas Científicas - Unicamp

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S1413-81232010000900036.pdf52.92 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.