Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/36103
Type: Artigo de periódico
Title: Percepção dos problemas da comunidade: influência de fatores sócio-demográficos e de saúde mental
Title Alternative: Perception of community problems: the influence of socio-demographic and mental health factors
Author: Marín-León, Leticia
Oliveira, Helenice Bosco de
Barros, Marilisa Berti de Azevedo
Dalgalarrondo, Paulo
Botega, Neury José
Abstract: A cross-sectional study was designed to identify which social problems from a list of 17 were considered important and to analyze differences in perception among interviewees according to socio-demographic variables and presence of common mental disorders. A household survey was performed in Campinas, São Paulo, Brazil, with a stratified cluster sample of urban residents aged 14 years or older (N = 515) using the WHO/SUPRE-MISS interview and SRQ-20. Weighted prevalence and crude prevalence ratio with respective 95%CI were calculated. Multiple analyses were performed using Poisson regression. Drug traffic, drug abuse, unemployment, crime, and alcohol abuse were considered severe by more than 45% of the sample. Women and individuals living in medium-low income areas attributed greater severity to drug traffic, alcohol and drug abuse, child and spousal abuse, unemployment, and poverty. Females and individuals with positive SRQ-20 identified problems related to education as more severe. Differences in perception according to socioeconomic status and gender were observed, with women and low-income residents showing the greatest susceptibility.
Foi realizado estudo transversal para identificar quais os problemas da comunidade, de uma lista de 17, que foram referidos como mais importantes e analisar se tal percepção apresenta diferenças segundo variáveis sócio-demográficas e condição de saúde mental dos entrevistados. Em amostra estratificada por conglomerados representativa da população urbana de Campinas, São Paulo, Brasil, de 14 anos e mais (N = 515) aplicou-se entrevista domiciliar da Organização Mundial da Saúde sobre comportamento suicida (SUPRE-MISS) e SRQ-20. Foram calculadas prevalências ponderadas e razões de prevalência bruta e respectivos intervalos de confiança de 95%. Foi realizada análise multivariada mediante regressão de Poisson. Tráfico de drogas, abuso de drogas, desemprego, criminalidade e abuso de álcool foram considerados problemas graves por mais de 45% da população. Mulheres e pessoas residentes em áreas de nível sócio-econômico médio/baixo atribuíram maior gravidade ao tráfico de drogas, abuso de álcool, de drogas, abuso de crianças e esposa, desemprego e pobreza. Mulheres e pessoas positivas no SRQ-20 julgaram como graves os problemas relativos à educação. Diferenças na percepção segundo condições sócio-econômicas e gênero apontam maior suscetibilidade da mulher e de residentes em áreas pobres.
Subject: Problemas Sociais
Violência
Saúde Mental
Identidade de Gênero
Social Problems
Violence
Mental Health
Gender Identity
Editor: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Rights: aberto
Identifier DOI: 10.1590/S0102-311X2007000500011
Address: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2007000500011
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000500011
Date Issue: 1-May-2007
Appears in Collections:Artigos e Materiais de Revistas Científicas - Unicamp

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S0102-311X2007000500011.pdf80.66 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.