Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/359184
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Memória, trauma e história : percursos do memorialista em Feliz ano velho (1982) e Ainda estou aqui (2015), de Marcelo Nunes Paiva
Title Alternative: Memory, trauma and history : the journeys in Feliz ano velho (1982) and Ainda estou aqui (2015), by Marcelo Rubens Paiva
Author: Martins, Caroline Peres, 1996-
Advisor: Birman, Daniela, 1974-
Abstract: Resumo: Esta dissertação tece uma análise comparativa entre os livros de memória Feliz ano velho (1982) e Ainda estou aqui (2015), ambos de Marcelo Rubens Paiva. Embora tenham sido publicados com um intervalo temporal de mais de trinta anos, especula-se que eles podem ser lidos como uma duologia de memórias individuais e familiares dos Paiva, sobretudo no que toca ao desaparecimento de Rubens Paiva. Sequestrado pela Aeronáutica em 1971, seu "sumiço" foi abordado pelo filho-escritor desde sua estreia literária, como pano de fundo, já que sua autobiografia, Feliz ano velho, focaliza o acidente que o deixou tetraplégico. Ainda que não possa ser considerada uma obra de oposição, caso se estude suas circunstâncias de lançamento e sua primeira recepção, ela retrata o desamparo das vítimas indiretas do regime militar brasileiro (1964-1985) e, nesse sentido, pode ser colocada ao lado das demais narrativas do período. Por ser um trauma de difícil elaboração, o desaparecimento do seu pai acaba por retornar à produção do autor com Ainda estou aqui, publicado no ano seguinte à finalização dos trabalhos da Comissão Nacional da Verdade (2012-2014) e à denúncia do Ministério Público contra cinco ex-militares, envolvidos no caso Rubens Paiva, iniciativas que embasam seu discurso memorialista. Apesar disso, elas não conseguiram trazer o principal: a justiça (por meio do julgamento e da punição dos responsáveis pelos crimes cometidos) e a localização do corpo do ex-deputado. Impulsionado tanto pela perda das lembranças da mãe (acometida pelo Alzheimer) quanto pelo apagamento da memória da sociedade brasileira (sintomático no pedido saudosista de retorno à ditadura, identificado em manifestações públicas desde 2013), Paiva decide narrar o embate de sua família, e em especial de sua mãe, pelo esclarecimento da verdade sobre o assassinato do parlamentar. Com o esquecimento coletivo dos horrores do regime, ele lembra, prosseguem os apologismos à ditadura, a prática da tortura e os desaparecimentos forçados, que avançam em nosso presente.

Abstract: This dissertation analyses comparatively the books of memory Feliz Ano Velho (1982) and Ainda Estou Aqui (2015), both written by Marcelo Rubens Paiva. Although the second one was written thirty years after the fist one, it is speculated that they can be read as a duology about Paiva's individual and family memories, especially with regard to the disappearance of Rubens Paiva. Kidnapped by the Air Force in 1971, his "disappearance"was approached by the son-writer since his literary debut; but as a background, due to the fact that his autobiography, Feliz Ano Velho, focuses on the accident which left him quadriplegic. Even though it cannot be considered an opposition book, when the circumstances of the launch and its first reception are considered; it portraits the helplessness of the indirect victims of the Brazilian Military Regime (1964-1985), therefore it can be placed alongside the other narratives of the period. As it is a difficult trauma to elaborate, his father's disappearance returns to the authors's production, as in the case of Ainda Estou Aqui, published in the following year relative to the conclusion of the works of the National Truth Commission (2012-2014) and the complaint of the Public Prosecutor's Office against five soldiers, involved in the Rubens Paiva case, initiaves that support the memorialist speech. Despite this, they failed in the main point: doing justice (through trial and punishment of the responsibles for the crimes committed) and the localization of the ex-deputy's body. Driven both by the loss of his mother's memory (affected by Alzheimer's disease) and the erasure of the Brazilian society's memory (explicit in nostalgic clamors for a return to the dictatorship, identified in public protests since 2013), Paiva decided to narrate the struggle of his family, especially of his mother, for clarifying the truth about the murder of a congressman. With the forgetfullness of the horrors of the regime, he reminds, the apologism to the dictatorship, the practice of torture and the forced disappearance continue, in our present.
Subject: Paiva, Marcelo Rubens, 1959-. Feliz ano velho
Paiva, Marcelo Rubens, 1959-. Ainda estou aqui
Memória coletiva
Trauma psíquico
Ditadura
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: MARTINS, Caroline Peres. Memória, trauma e história : percursos do memorialista em Feliz ano velho (1982) e Ainda estou aqui (2015), de Marcelo Nunes Paiva. 2021. 1 recurso online ( 182 p.) Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas, SP.
Date Issue: 2021
Appears in Collections:IEL - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Martins_CarolinePeres_M.pdf13.27 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.