Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/359151
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: A intervenção ABA em crianças portadoras de TEA : uma análise neurolinguística
Title Alternative: ABA intervention in children with ASD : a neurolinguistic analysis
Author: Bergamaschi, Tayná Povia de Oliveira, 1985-
Advisor: Coudry, Maria Irma Hadler, 1949-
Abstract: Resumo: O objetivo da presente pesquisa é expor uma reflexão sobre o percurso histórico do transtorno do espectro autista (TEA). Além da explanação histórica do TEA, avaliamos criticamente o modelo de intervenção ABA - baseado no behaviorismo radical - que tem se apresentado como hegemônico no tratamento de crianças autistas. Sob o prisma de uma teoria da linguagem como constitutiva do sujeito, indeterminada e como trabalho (FRANCHI, 1977), esta pesquisa se inscreve no constructo teórico adotado pela área da Neurolinguística Discursiva, que ilumina a questão da avaliação e do seguimento longitudinal através da relação com o outro, a ser sistematicamente construída como possibilidade de desenvolvimento (VIGOTSKI, 2004). Para a ND, é na relação com o outro que a criança (autista ou não) se posiciona na língua e diante de si mesmo no processo de se constituir como falante para o outro (COUDRY, 1986). Privilegiamos a perspectiva de Foucault (1979, 2001) na reflexão sobre o papel de dispositivo que a intervenção ABA assume na sociedade. Trazemos também para a discussão o conceito de disciplina e de poder sobre o corpo (FOUCAULT, 1979, 2001; AGAMBEN, 2010) enquanto relacionamos o poder disciplinar com as doenças mentais nos dias de hoje (HAN, 2017). Para entender de que forma o diagnóstico age como dispositivo na sociedade atual, da parte da ND, trazemos a questão da patologização (da infância e da vida adulta) e da orientação para o discurso das práticas com a linguagem (COUDRY, 2007, 2010; BORDIN, 2010; ANTONIO, 2011; SILVA, 2014) para analisar a atuação da ABA com a força de um dispositivo, que fere a constitutividade da linguagem (COUDRY, 1986). Para argumentar contra tal dispositivo introduzimos em nossa argumentação a contribuição de Moysés & Collares (1992, 1994, 1996, 1997), sobre a medicalização da infância. Por fim, convidamos o leitor a refletir sobre o paradigma da neurodiversidade (ORTEGA, 2008), sugerindo novos olhares para o campo da psicopatologia, em especial, do autismo.

Abstract: The objective of this research is to expose a reflection on the historical path of autism spectrum disorder. In addition to the historical explanation of ASD, we critically evaluated the ABA intervention model – based on radical behaviourism – which has presented itself as hegemonic in the treatment of autistic children. From the perspective of a theory of language as constitutive of the subject, indeterminate and as work (FRANCHI, 1977), this research is inscribed in the theoretical construction adopted by the area of discursive neurolinguistics, which illuminates the issue of evaluation it’s longitudinal follow-up through the relationship with the other, to be systematically constructed as a possibility of development (VIGOTSKI, 2004). For ND, it is in the relationship with the other that the child (autistic or not) positions himself in the process of constituting himself as a speaker for the other (COUDRY, 1986). We favour Foucault’s (1979/2001) perspective in reflecting on the role of a device that ABA intervention assumes in Society. We also bring to the discussion the concept of discipline and power over the body (FOUCAULT, 1979, 2001; AGAMBEN, 2010) while relating disciplinary power to the mental illnesses today (HAN, 2017). To understand how the diagnosis acts as a device in today’s Society, on the part of the ND, we bring the issue of pathologizing (of childhood and adulthood) and orientation to the discourse of practises with language (COUDRY, 2007, 2010; BORDIN, 2010; ANTONIO, 2011; SILVA, 2014) to analyse the performance of the ABA with the strength of a device, which is detrimental to the constitutivity of language (COUDRY, 1986). To argue against this device, we introduced in our argument the contribution of Moysés & Collares (1992, 1994, 1996, 1997) on the medicalisation of childhood. Finally, we invite the reader to reflect on the paradigm of neurodiversity (ORTEGA, 2008), suggesting new looks at the field of psychopathology, especially autism.
Subject: Autismo
Análise do comportamento aplicada
Neurolinguística discursiva
Neurodiversidade
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: BERGAMASCHI, Tayná Povia de Oliveira. A intervenção ABA em crianças portadoras de TEA : uma análise neurolinguística. 2020. 1 recurso online ( 126 p.) Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas, SP.
Date Issue: 2020
Appears in Collections:IEL - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Bergamaschi_TaynaPoviaDeOliveira_M.pdf4.07 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.