Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/357512
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Paradigma emergente da bioenergia
Title Alternative: Bioenergy emerging paradigm
Author: Bueno, Carolina da Silveira, 1982-
Advisor: Silveira, José Maria Ferreira Jardim da, 1955-
Abstract: Resumo: A bioenergia é considerada a fronteira mais importante no contexto da transição para uma economia de baixo carbono. Dessa forma, muitos cientistas promovem esforços para o desenvolvimento de conhecimentos necessários à viabilidade tecnológica e econômica da bioenergia. A criação de conhecimento é um processo complexo. O desenvolvimento de conhecimento emergente passa, primeiramente, pelo processo de compartilhamento de ideias, que são transmitidas informalmente por meio de contatos e interações diretas entre os agentes. Uma possível explicação é que muito conhecimento relevante é tácito, ou não codificado, o que significa que só é transmitido por meio de interações diretas. Nesse fenômeno de compartilhamento de ideias e criação de conhecimento, as redes de cooperação emergem. Uma vez criados, os conhecimentos se tornam codificados. No caso de colaboração envolvendo o conhecimento emergente, pouco se sabe sobre o desempenho dessas redes nas economias. Nas redes, os agentes são importantes não somente na criação de conhecimento, mas também na dinâmica de colaborações, as quais exercem influência sobre a mudança técnica. Na presente tese, a dinâmica dessas relações são propulsores do desenvolvimento de tecnologias, que condicionam a formação de um paradigma emergente, o qual é entendido como as bases iniciais que antecedem ao paradigma tecnológico. Busca-se questionar como se espalha o conhecimento emergente no campo da bioenergia pelos continentes, criando uma espécie de comunidade epistêmica, que estabelecerá as bases para uma transição energética de baixo carbono no futuro. Para tanto, o objetivo principal é mapear as redes de colaboração científica em bioenergia e avaliar a eficiência da estrutura dessas redes sobre a mudança técnica. Recorre-se à metodologia de redes para analisar, a partir de artigos científicos, o adensamento dessas redes de colaboração. Assim, pretende-se mensurar o cálculo da Difusão de Conhecimento Emergente via Rede de Cooperação (DRC). Em seguida, identifica-se as fronteiras tecnológicas a partir da análise das matrizes de co-ocorrência de classes tecnológicas (International Patent Classification ¿ IPC) de patentes em bioenergia. A amostra contém 12.372 artigos e 11.695 patentes, no período que vai de 1975 a 2018. Esses dados foram, então, incorporados na análise de evolução generalizada. A hipótese entende que a colaboração entre os países, mesmo aqueles com pouca colaboração científica, é importante para difundir o conhecimento científico pelos continentes. De forma simultânea, as cooperações evoluem de forma a aumentar a taxa de colaboração do número de países envolvidos e possuem uma correlação temporal com o crescimento de colaboração entre diferentes áreas de conhecimento, que convergem para áreas de fronteiras tecnológicas. A análise permitiu a formulação do conceito de paradigma emergente, fenômeno que emerge da massa de colaborações interligadas às áreas de conhecimento dos agentes. A difusão de conhecimentos complexos se dá regionalmente entre os continentes, dando origem às áreas de fronteiras tecnológicas. Os resultados indicaram que a bioenergia é um paradigma emergente, com redes de colaboração em todos os continentes, com exceção do Ártico. Foi possível verificar distinção entre países com muitas colaborações e países com pouca colaboração. Contudo, essas diferenças não afetaram o desempenho da rede. Ao contrário, tiveram influência significativa sobre os fluxos de conhecimento emergente

Abstract: Bioenergy is considered the most important frontier in the context of the transition to a low carbon economy. In this sense, many scientists promote efforts to develop the knowledge necessary for the technological and economic viability of bioenergy. Knowledge creation is a complex process. The development of emerging knowledge first passes through the process of sharing ideas, which are transmitted informally through direct contacts and interactions between agents. One possible explanation is that the relevant knowledge is tacit, or not coded, which means that it is only transmitted through direct interactions. In this phenomenon of sharing ideas and creating knowledge, cooperation networks emerge. Once created, knowledge becomes encoded. In the case of collaboration involving emerging knowledge, little is known about the performance of these networks in economies. In networks, agents are important not only in the creation of knowledge, but also in the dynamics of collaborations, which have an influence on technical change. In the present thesis, the dynamics of these relations are drivers of the development of technologies, which condition the formation of an emerging paradigm, which is understood as the initial bases that precede the technological paradigm. It seeks to question how the emerging knowledge in the field of bioenergy is spread across continents, creating a kind of epistemic community, which will lay the foundation for a low carbon energy transition in the future. Therefore, the main objective is to map the networks of scientific collaboration in bioenergy and evaluate the efficiency of the structure of these networks on technical change. Network methodology is used to analyze, based on scientific articles, the densification of these collaboration networks. Thus, it is intended to measure the calculation of the Diffusion of Emerging Knowledge via the Cooperation Network (DRC). Then, the technological frontiers are identified from the analysis of the matrices of co-occurrence of technological classes (International Patent Classification - IPC) of patents in bioenergy. The sample contains 12,372 articles and 11,695 patents, in the period from 1975 to 2018. These data were then incorporated into the analysis of generalized evolution. The hypothesis understands that collaboration between countries, even those with little scientific collaboration, is important to spread scientific knowledge across continents. Simultaneously, cooperations evolve in order to increase the collaboration rate of the number of countries involved and have a temporal correlation with the growth in collaboration between different areas of knowledge, which converge to areas of technological frontiers. The analysis allowed the formulation of the emerging paradigm concept, a phenomenon that emerges from the mass of collaborations interconnected to the agents' areas of knowledge. The diffusion of complex knowledge occurs regionally across continents, giving rise to areas of technological frontiers. The results indicated that bioenergy is an emerging paradigm, with collaboration networks on all continents, with the exception of the Arctic. It was possible to verify the distinction between countries that collaborated a lot and countries that collaborated less . However, these differences did not affect the performance of the network. On the contrary, they had a significant influence on emerging knowledge flows
Subject: Paradigma emergente
Bioenergia
Redes (Matemática)
Fronteiras tecnológicas
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: BUENO, Carolina da Silveira. Paradigma emergente da bioenergia . 2020. 1 recurso online ( 155 p.) Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Economia, Campinas, SP.
Date Issue: 2020
Appears in Collections:IE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Bueno_CarolinaDaSilveira_D.pdf5.17 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.