Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/355575
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Mães de crianças hospitalizadas em UTI : percepção de suporte familiar e saude mental
Title Alternative: Mothers of hospitalized children in pediatric intensive unity: familiar support perception and mental health
Author: Dias, Rosana Righetto
Advisor: Baptista, Makilim Nunes
Abstract: Resumo: Este estudo propôs o exame da percepção do suporte familiar e da saúde mental de mães de crianças hospitalizadas em UTI Pediátrica, por meio de duas medidas na internação, uma após alta do setor e uma medida após a alta hospitalar, referentes às possíveis modificações e associações destas variáveis nestes momentos. A percepção do suporte familiar foi avaliada pelo Inventário de Percepção de Suporte Familiar (IPSF) em quatro dimensões caracterizadas como inadaptação, afetividade, consistência e autonomia familiar e a saúde mental, pelo Questionário de Saúde Geral de Goldberg (QSG) em cinco dimensões: estresse psíquico, desejo de morte, falta de confiança e desempenho, distúrbios do sono e distúrbios psicossomáticos. Os resultados foram apreciados inicialmente pela análise descritiva da amostra de 14 mães participantes, obtida durante seis meses de coleta de dados, objetivando seus dados de caracterização, além de suas crianças e do rastreamento de transtornos mentais e/ou comportamentais das participantes, anterior ao momento de internação de seus filhos. As análises inferenciais estatísticas abordaram as medidas do IPSF e do QSG e os dados resultantes sugeriram uma variação significante para a saúde mental das mães entre os momentos de avaliação, observando-se a diminuição dos escores do QSG e a indicação da presença de saúde mental, ao término do estudo. Em relação ao IPSF, variação significativa alguma foi encontrada, para os momentos avaliados. Entende-se que a limitação deste estudo seja compreendida ao reduzido número amostral e sugere-se que pesquisas na área sejam realizadas, objetivando um tempo superior a seis meses para a coleta de dados. Notou-se ainda uma variação significativa para a dimensão de inadaptação familiar na comparação do grupo de participantes solteiras e casadas no IPSF, observando-se uma tendência de melhor percepção do suporte familiar para este último grupo. Não se constatou correlação entre a ocorrência de eventos estressantes com a percepção do suporte familiar e a saúde mental apresentadas pelas participantes. No entanto, verificou-se que esta correlação aconteceu significativamente na comparação entre o QSG e a intensidade do estresse percebida pelas mães na hospitalização e sugeriu-se esta observação ao fato das participantes referirem como maior estressor, o evento das crianças estarem internadas em UTI. Mostrou-se da mesma forma, significativa correlação entre o QSG e os sintomas psiquiátricos relacionados pelas participantes no primeiro momento, recomendando-se que possivelmente as que apresentaram maior comprometimento para a saúde mental já apresentavam esta sintomatologia. Correlação alguma foi encontrada na tentativa de associação entre a saúde mental e a percepção do suporte familiar das participantes e deve-se, essa ocorrência, ao evento do IPSF não ter variado durante os quatro momentos de coleta de dados. Conclui-se pelo apoio à hipótese pelo aumento da saúde mental das mães após os momentos de crise da hospitalização e que a não variação do IPSF esteja relacionada para uma melhor percepção de suporte familiar deste grupo amostral

Abstract: This study had the proposal to examine the perception of the family support and the mental health of child keepers of hospitalized children in Pediatric Intensive Unity, at two different moments, after being discharged and after hospital discharged. The perception of familiar support was evaluated in four dimensions - inadaptation, affectivity, familiar consistency and autonomy, and mental health. Those dimensions were examined through five factors includes in Questionnaire of General Health of Goldberg (QSG): psychic stress, death desire, absence of reliability and performance, sleep and psychosomatic disturbs. This research was composed by descriptive analysis of 14 child keepers that had been submitted to a script of characterization interview (gathering child keepers and child data) and an interview for mental and/or behavior disturbed. The results indicated that there is a significant variation for the child keepers¿ mental health between the moments of assessment, by decrease of QSG scores and indication of mental health presence at the final of the study. No significant variation was found related to the IPSF. It¿s possible to affirm that the limitation of this study is the reduced amostral number of cases and is suggested that research in the area will be done, with a superior time (more than six months for the gathering data). The results indicated too for a significant variation for the dimension of familiar inadaptation in the comparison of the group of single and married child keepers, with a trend of better perception of the familiar support for this last group. There was no correlation between the occurrence of stress events and the perception of the familiar support and mental health of the participants. However, it was verified that this association occur significantly in the comparison between the QSG and the intensity of stress that was perceived for the child keepers. It suggested that this refer to the more stress event was the hospitalized child in Pediatric Intensive Unity. It had been significant also the correlation between the QSG and the psychiatric symptoms presented in participants at the first moment, indicating that possibly those woman that had presented more mental health damage already had the symptoms. No correlation was found in association between mental health and the perception of the familiar support of the child keepers, probably because the IPSF had not varied during the four moments of application. The conclusions were: there is necessary to increase the mental health of the mothers at the moment of hospitalization¿s crisis and that the variation of the IPSF is not related for one better perception of familiar support of this amostral group
Subject: Unidades de terapia intensiva pediatrica
Saúde mental
Relações mães-filho
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: DIAS, Rosana Righetto. Mães de crianças hospitalizadas em UTI: percepção de suporte familiar e saude mental. 2005. 218 p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas, Campinas, SP.
Date Issue: 2005
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Dias_RosanaRighetto_D.pdf3.08 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.