Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/353902
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Efeito de antipsicóticos e canabidiol em cultura de oligodendrócitos tratados com cuprizona : implicações para mielinização = Antipsychotics and cannabidiol effects in cuprizone-treated oligodendrocytes: implications for myelination
Title Alternative: Antipsychotics and cannabidiol effects in cuprizone-treated oligodendrocytes : implications for myelination
Author: Falvella, Ana Caroline Brambilla, 1995-
Advisor: Martins-de-Souza, Daniel, 1979-
Abstract: Resumo: A esquizofrenia é uma desordem mental que afeta 20 milhões de pessoas em todo o mundo. A desconectividade neural, assim como alterações na substância branca, nos oligodendrócitos e na integridade de mielina, podem estar relacionadas aos sintomas dessa desordem. Neste contexto, os modelos tóxicos de desmielinização são ferramentas utilizadas para a compreensão dos mecanismos envolvidos nestas alterações. Por sua vez, abordagens proteômicas são de suma importância para a compreensão dos processos envolvidos em diferentes distúrbios neurológicos, através da compreensão das bases bioquímicas, por meio da identificação de vias e proteínas diferencialmente expressas. Desta forma, no presente trabalho foi utilizado o modelo farmacológico induzido por cuprizona em culturas de células de oligodendrócitos humanos (linhagem MO3.13), com intuito de testar os efeitos da benzatropina, molécula capaz de induzir mielinização e diferenciação dos oligodendrócitos, e compará-los com os potenciais efeitos protetores ou tóxicos dos antipsicóticos (clozapina e haloperidol) e do canabidiol, os quais afetam os oligodendrócitos de maneira distinta. Após o tratamento dos oligodendrócitos com as drogas citadas acima, foi realizada a extração e digestão do proteoma para análise por meio de nano-cromatografia acoplada à espectrometria de massas, com a finalidade de investigar as proteínas e vias envolvidas nos tratamentos com estes compostos. Nossos resultados indicam que a cuprizona é capaz de induzir efeito citotóxico em oligodendrócitos MO3.13 através de distúrbios em processos biológicos relacionados ao metabolismo energético e de lipídios, à processos genéticos, e à sinalização de fatores de crescimento. Já a administração de antipsicóticos, canabidiol e benzatropina podem modular vias relacionadas ao metabolismo, ao ciclo celular e à fatores genéticos, as quais estão relacionadas com os efeitos tóxicos induzidos pela cuprizona, indicando os seus potenciais efeitos em atenuar a toxicidade desta droga. Apesar da complexidade da fisiopatologia deste transtorno não ser totalmente representada no modelo tóxico por cuprizona, esses resultados fornecem informações sobre os mecanismos dos antipsicóticos e do canabidiol contra os efeitos tóxicos da cuprizona e suas implicações no desenvolvimento de novos alvos terapêuticos e tratamento para a esquizofrenia

Abstract: Schizophrenia is a psychiatric disorder that affects 20 million people worldwide. Neuronal dysconnectivity can be correlated to symptoms of this disorder, which is related to oligodendrocytes and myelin abnormalities in white matter. In this context, toxic models of demyelination are used to understand the mechanisms involved in these alterations. To achieve this, proteomic approaches are important to understand processes involved in neurological disorders through the elucidation of biochemical bases and identification of differentially expressed pathways and proteins. In this context, we developed an in vitro assay of cuprizone-mediated death in a human oligodendrocyte cell line (MO3.13) to test the effect of benztropine, a molecule that enhances myelination and oligodendrocyte differentiation, and compared its effect with the potential protective effects of antipsychotics (clozapine and haloperidol) and cannabidiol. After the treatments mentioned above, the proteomes were extracted and digested for analysis by nano-chromatography coupled to mass spectrometry to investigate the proteins and pathways affected in oligodendrocytes treated by these drugs. We confirmed that the in vitro model for cuprizone cell death impairs MO3.13 oligodendrocyte viability through disturbances of several biological processes, including energy and lipid metabolism, genetic processes and growth signaling. Furthermore, the administration of antipsychotics, cannabidiol, and benztropine seems to modulate metabolism, genetic factors, cell cycle and cell signaling, which are related to cuprizone-induced cell death, indicating their potential to act against the cuprizone toxic effect. In conclusion, although modeling oligodendrocyte death with cuprizone does not represent the entirety of the pathophysiology of the disorder, these results provide insight into the mechanisms related to antipsychotics¿ and cannabidiol¿s effects against cuprizone toxicity and their implications for developing new pharmaceutical targets and treatment options for schizophrenia
Subject: Esquizofrenia
Canabidiol
Haloperidol
Clozapina
Proteoma
Oligodendroglia
Cuprizona
Language: Multilíngua
Editor: [s.n.]
Citation: FALVELLA, Ana Caroline Brambilla. Efeito de antipsicóticos e canabidiol em cultura de oligodendrócitos tratados com cuprizona: implicações para mielinização = Antipsychotics and cannabidiol effects in cuprizone-treated oligodendrocytes: implications for myelination. 2020. 1 recurso online (201 p.) Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia, Campinas, SP. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/353902. Acesso em: 12 Jan. 2021.
Date Issue: 2020
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Falvella_AnaCarolineBrambilla_M.pdf4.12 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.