Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/351713
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Fadiga mecânica de pilares híbridos de polieteretercetona (PEEK) para sistemas de coroas total cerâmica
Title Alternative: Mechanical fatigue of polyetheretherketone (PEEK) abutments for hybrid full crown ceramic system
Author: Barbosa Junior, Sales Antônio, 1988-
Advisor: Consani, Rafael Leonardo Xediek, 1974-
Abstract: Resumo: Objetivo: Neste estudo foi analisada a fadiga mecânica de sistemas restauradores sobre-implantes usando polieteretercetona (PEEK) ou zircônia policristalina parcialmente estabilizada com ítria (ZY) como materiais para pilares híbridos sobre implantes suportando coroas monolíticas translúcidas de zircônia (ZT) ou dissilicato de lítio (DL). Material e métodos: Quarenta implantes cone Morse foram incluídos em resina epóxica. Os pilares intermediários de titânio foram instalados e as amostras foram distribuídas aleatoriamente em quatro grupos (n=10) de acordo com o material do pilar personalizado (PEEK ou YZ) usado para montar o pilar híbrido e o material restaurador (TZ ou LD) representando uma coroa do incisivo central superior. As amostras foram submetidas ao teste de fadiga mecânica (step-stress) com carga inicial de 200 N / 5.000 ciclos para análise do comportamento inicial, aumentada de 50 N a cada 10.000 ciclos, até ocorrer a falha. A carga na falha (FFL) e o número de ciclos no momento da falha (CFF) foram considerados. A probabilidade de sobrevivência e o deslocamento da amostra foram calculados em cada etapa. Dados de normalidade foram analisados através do teste Sharipo-Wilk, seguidos do teste Kaplan-Meier para gerar os gráficos. E teste ANOVA dois fatores foi utilizado para correlacionar as amostras. O padrão da falha foi avaliado e o módulo Weibull obtido em cada condição. Resultados: A fadiga dos dois tipos de coroas não foi influenciada pelo material do pilar (DL-PEEK = DL-ZY; ZT-PEEK = ZT-ZY) e diferenças estatísticas foram observadas (p = 0.026, F = 5.39). No pilar PEEK, os valores obtidos nas coroas DL e ZT não mostraram diferença estatística (p = 0.398, F = 0.73; p = 0.808, F = 0.06; respectivamente). No pilar ZY, a coroa ZT apresentou valor de FFL estatisticamente maior do que para DL. A análise do padrão de falha revelou prevalência de fratura da coroa nos grupos DL, enquanto fraturas na plataforma do parafuso / implante foram mostradas nos grupos ZT. Conclusão: Os pilares personalizados híbridos PEEK mostraram similar resistência à fadiga mecânica quando comparados aos YZ. As coroas monolíticas de TZ apresentaram melhor comportamento mecânico para LD com pilares YZ. A análise do padrão de falha revelou prevalência de fratura de coroas nos grupos LD e na plataforma do parafuso / implante nos grupos TZ

Abstract: Objetivo: Neste estudo, a fadiga mecânica de sistemas restauradores suportados por implantes foi analisada usando polieteretercetona (PEEK) ou zircônia policristalina estabilizada com ítria (ZY) como materiais para pilares híbridos para suportar coroas de zircônia monolítica com transnlucência (ZT) ou coroas de dissilicato de lítio (DL ). Material e métodos: Quarenta implantes cone morse foram incluídos em resina epóxica. Os pilares de titânio foram instalados e as amostras foram distribuídas aleatoriamente em quatro grupos (n = 10) de acordo com o material do pilar personalizado (PEEK ou ZY) e o material restaurador (ZT ou DL) representando uma coroa de o incisivo central superior. As amostras foram submetidas ao ensaio de fadiga mecânica (step-stress) com carga inicial de 200 N / 5.000 ciclos para análise do comportamento inicial, e acrescido 50 N a cada 10.000 ciclos, até ocorrer a falha. A carga de falha (FFL) e o número de ciclos no momento da falha (CFF) foram considerados. A probabilidade de sobrevivência e deslocamento da amostra foram calculados em cada estágio. Os dados de normalidade foram analisados ??pelo teste de Sharipo-Wilk, seguido do teste de Kaplan-Meier para a geração dos gráficos. O teste ANOVA de duas vias foi usado para correlacionar as amostras. O padrão de falha foi avaliado e o módulo Weibull obtido em cada condição. Resultados: A fadiga dos dois tipos de coroas não foi influenciada pelo material do pilar (DL-PEEK = DL-ZY; ZT-PEEK = ZT-ZY) e diferenças estatísticas foram observadas (p = 0,026, F = 5,39) apenas em relação aos materiais das coroas. No pilar PEEK, os valores obtidos nas coroas DL e ZT não apresentaram diferença estatística (p = 0,398, F = 0,73; p = 0,808, F = 0,06; respectivamente). No pilar ZY, a coroa ZT mostrou um valor FFL estatisticamente mais alto do que para DL. A análise do padrão de falha revelou prevalência de fratura coronária nos grupos DL, enquanto fraturas na plataforma do parafuso / implante foram mostradas nos grupos ZT. Conclusão: Os pilares personalizados PEEK mostraram resistência à fadiga mecânica semelhante quando comparados aos ZY. As coroas monolíticas ZT mostraram melhor comportamento mecânico para DL com pilares ZY. A análise do padrão de falha revelou prevalência de fratura coronária nos grupos DL e na plataforma parafuso / implante nos grupos Z
Subject: Implantes dentários
Óxido de zircônio
Dissilicato de lítio
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: BARBOSA JUNIOR, Sales Antônio. Fadiga mecânica de pilares híbridos de polieteretercetona (PEEK) para sistemas de coroas total cerâmica. 2020. 1 recurso online ( 56 p.) Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Piracicaba, SP.
Date Issue: 2020
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
BarbosaJunior_SalesAntonio_D.pdf49.04 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.