Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/349297
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: As diretrizes curriculares de Campinas para a educação infantil e o governo dos corpos in(fala)ntes
Title Alternative: Campinas's curricular guidelines for childhood and the government od infancy's bodies
Author: Ferreira, Maísa, 1993-
Advisor: Nunes, Mario Luiz Ferrari, 1964-
Abstract: Resumo: Ao ler/escutar/escrever a palavra infância, somos tomadas por representações que implicam em tecnologias de governo das condutas dos infantis e dos adultos que com eles convivem. Isso impacta as vontades e saberes desses sujeitos, e, com isso, determinam o que deve ou não ser feito com eles, homogeneizando, muitas vezes, suas formas de pensar, falar e agir. Ao se tratar da infância e da relação entre ela e os adultos, deixamos de lado que tanto a sua invenção como a sua manutenção ocorreram por uma vontade de poder que produz saberes e técnicas de governo das condutas dos sujeitos infantis, consequências da modernidade. Em tempos de hegemonia da racionalidade política neoliberal, esses processos se intensificam. O que se vê são deslocamentos nas relações de poder que influem as formas de governar essa população, assim como nos modos como os infantis conduzem a si mesmo. O contexto escolar não escapa desse processo, pois é responsável por regular as possibilidades das ações das crianças, utilizando-se de técnicas como: avaliação, estruturação dos espaços físicos, aulas, enfim, o currículo. Não à toa, ganham forças as políticas curriculares para os infantis. Na tentativa de analisar esse cenário, neste trabalho investimos esforços sobre os discursos pedagógicos presentes nas Diretrizes Curriculares Básicas de Campinas para a Educação Infantil (DCCEI). Buscamos identificar os regimes de verdade que produzem, afirmam e visam ao governamento do corpo dos infantis. Para tanto, tomamos como ferramenta metodológica a análise pós-estrutural de currículo, proposta por Cherryholmes (1993) e como ferramenta conceitual a noção de ciclo de políticas curriculares, de Stephen Ball, as contribuições dos Estudos Culturais, na sua vertente pós-estruturalista, além de algumas ferramentas foucaultianas. Os resultados indicam que diante das atuais reformas educacionais para a Educação Infantil (EI) e, decorrentes delas a disputa para fixar identidades nos corpos dos in(fala)ntes, as DCCEI compõem um movimento de resistência às formas assistencialistas de governo das crianças da Educação Infantil. No entanto, por hibridizar os discursos oficiais e tendências pedagógicas diversas, o documento produz recontextualizações que fragilizam suas intenções, e, por efeito, potencializa, simultaneamente, a necessidade de formação continuada das professoras da EI e novas estratégias para conseguir colocar em jogo aquilo que se propõe, favorecendo o neoliberalismo

Abstract: When reading, listening and writing the word childhood, we are taken by representations that imply government technologies of childrens¿ conducts and adults who live with them. It¿s impacts the wishes and knowledge of these subjects and determine what should or shouldn¿t be done with them, homogenizing their ways of thinking, speaking and acting. Considering the hegemony of neoliberal political rationality, this process is intensified. What we see are the dislocations of power relations that influence the ways of governing this population, as well as the ways in which children lead themselves. The school context does not escape of this process, as it is responsible for regulating the possibilities of children's actions, using techniques such as: the assay, the physical spaces, the classes, curriculum. Not for nothing, curriculum policies for children gain strength. In an attempt to get in this scenario, our objective in this research is to analyze the pedagogical discourses present in the Campinas Basic Curricular Guidelines for Early Childhood Education, in order to identify the truth regimes that produce, affirm and aim to govern the children¿s bodies. We take as a methodological tool the proposal of post-structural curriculum analysis, produced by Cherryholmes (1993) and, as a conceptual tool to the notion of curriculum policy cycle, by Stephen Ball and some elements of Cultural Studies on the slope post- structuralist. The results indicate that in front of the educational reforms for Early Childhood Education in dispute that try to fix the bodies of in (speeches), this curriculum document compose a movement of resistance to the assistentialist form of the government of children in Early Childhood Education. However, when the document, hybridize official speeches and pedagogical trends it produces recontextualizations, which weaken its objectivities, and, in effect, simultaneously promote the necessity of teachers that work on early education continue their formation and the formulation of new strategies to be able to put into play what this discourses proposes, favoring neoliberalism
Subject: Educação infantil
Educação física
Currículos
Neoliberalismo
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: FERREIRA, Maísa. As diretrizes curriculares de Campinas para a educação infantil e o governo dos corpos in(fala)ntes. 2020. 1 recurso online (111 p.) Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Física, Campinas, SP.
Date Issue: 2020
Appears in Collections:FEF - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Ferreira_Maisa_M.pdf1.03 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.