Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/349208
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Influência da quilovoltagem na expressão de artefatos metálicos e diagnóstico de fraturas radiculares verticais em exames de tomografia computadorizada de feixe cônico : Influence of kilovoltage on the metal artefact expression and on the diagnosis of vertical root fractures on cone-beam computed tomography
Title Alternative: Influence of kilovoltage on the metal artefact expression and on the diagnosis of vertical root fractures on cone-beam computed tomography
Author: Santos, Larissa Pereira Lagos de Melo, 1990-
Advisor: Freitas, Deborah Queiroz de, 1977-
Abstract: Resumo: A avaliação de fraturas radiculares verticais (FRV) é uma das indicações da tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC) na Odontologia. No entanto, essa avaliação pode ser comprometida quando materiais metálicos estão presentes na cavidade bucal, devido à formação de artefatos que podem imitar uma linha de fratura ou dificultar sua identificação. A expressão de artefatos pode ser alterada pelos fatores de aquisição e reconstrução do exame, como a quilovoltagem (kVp) e a ferramenta de redução de artefatos (MAR). Dessa forma, o objetivo nesse estudo foi avaliar a influência da kVp isolada e associada à ferramenta MAR na expressão de artefatos metálicos e no diagnóstico de FRV em exames de TCFC. Para isso, foram utilizados 20 dentes humanos uniradiculares preenchidos com um retentor intracanal metálico no terço cervical e médio e guta percha no terço apical, divididos em 2 grupos: controle (n=10) e fratura radicular (n=10). Cada dente foi posicionado no alvéolo de uma mandíbula seca recoberta por cera (região de canino) e em seguida submetidos ao exame de TCFC no equipamento Picasso Trio com 3,8mA, FOV 5x5mm, voxel 0,2mm e 24s de escaneamento. Cada dente foi escaneado 8 vezes, variando-se a kVp em 70, 80, 90 e 99 kVp, e o uso da MAR (ativada e não ativada). As imagens foram exportadas no formato DICOM e avaliadas por cinco examinadores de maneira independente no software OnDemand 3D, utilizando uma escala de 5 pontos: quanto à presença de FRV (1-definitivamente ausente; 2-provavelmente ausente; 3-incerteza; 4-provavelmente presente; 5-definitivamente presente) e quanto à qualidade da imagem (1-muito ruim; 2-ruim; 3-aceitável; 4-boa; 5-excelente). Ainda foi realizada uma avaliação subjetiva da quantidade de artefatos, na qual os examinadores avaliaram reconstruções axiais dos 8 protocolos estudados organizadas de maneira aleatória, classificando-as da melhor (com menos artefato) para a pior. Após 15 dias, 20% da amostra foi reavaliada para verificação da reprodutibilidade intraexaminador. Os dados foram analisados por meio da Análise de Variância com nível de significância de 5% e estatística descritiva. Em geral, a kVp e a MAR não influenciaram o diagnóstico de FRV (p> 0,05). A análise subjetiva sugeriu que o protocolo 99 kVp com MAR produziu a menor quantidade de artefatos e 70 kVp sem MAR a maior quantidade. Todos os exames com MAR foram julgados melhores do que os exames sem MAR, independentemente da kVp utilizada. Concluiu-se que protocolos de maior kVp associados à MAR diminuíram a expressão dos artefatos metálicos quando analisados subjetivamente. No entanto, tais protocolos não levaram a uma melhora no diagnóstico de FRV. Como a kVp interfere na dose de radiação, seu uso não é justificado. Já a ferramenta MAR pode ser utilizada à critério do profissional

Abstract: The evaluation of vertical root fractures (VRF) is one of the indications for the use of cone beam computed tomography (CBCT) in dentistry. However, this evaluation seems to be difficult when metallic materials are present in the oral cavity, given that creates artefacts that may mimic a fracture line or impair its identification. Artefact production can be influenced by exposure parameters or reconstruction tools, such as kilovoltage (kVp) and metal artefact reduction tool (MAR). The aim of this study was to investigate whether adjustments in kVp and use of MAR could influence on metal artefact expression and on the diagnosis of VRF. Twenty single-rooted teeth filled with gutta-percha in the apical third of the roots and metal intracanal post in the cervical and middle third of the root were divided into 2 groups: control (n = 10) and root fracture (n = 10). Teeth were individually positioned in a canine socket of a dry mandible covered with wax. CBCT exams were acquired using Picasso Trio unit at 3.8mA, 5x5mm FOV, 0.2mm voxel and 24s exposure time. Each tooth was scanned eight times with varying kVp (70, 80, 90 and 99 kVp), and MAR (with and without). The images were exported into DICOM format and evaluated by five examiners independently using OnDemand3D software. The images were scored for the presence of VRF, according to a 5-point scale: (1) definitely absent, (2) probably absent, (3) uncertain, (4) probably present, and (5) definitely present; and also scored for the CBCT image quality as (1) very bad; (2) bad; (3) acceptable; (4) good; (5) excellent. Subjective assessment of the quantity of artefacts was also performed using a template including eight random axial images from the studied protocols, which were classified from best (less quantity of artefacts) to worst. After 15 days, 20% of the samples were reevaluated under the same conditions to assess the intra-observer reproducibility. Analysis of Variance with a significance level of 5% and descriptive statistics were used. In general, kVp and MAR did not influence the diagnosis of VRF (p > 0.05). The subjective analysis suggested that the 99 kVp protocol with MAR produced the least amount of artefacts, while the 70 kVp without MAR produced the highest amount. All exams with MAR were judged better than exams without MAR, regardless of the kVp used. In conclusion, the higher kVp associated with MAR seemed to decrease the metal artefact expression subjectively when analyzed. However, these factors did not lead to an improvement in the diagnostic performance of VRF. As kVp interferes with the radiation dose, its use is not justified. The MAR tool can be according to the professional's preference
Subject: Fraturas dos dentes
Tomografia computadorizada de feixe cônico
Diagnóstico por imagem
Language: Multilíngua
Editor: [s.n.]
Citation: SANTOS, Larissa Pereira Lagos de Melo. Influência da quilovoltagem na expressão de artefatos metálicos e diagnóstico de fraturas radiculares verticais em exames de tomografia computadorizada de feixe cônico: Influence of kilovoltage on the metal artefact expression and on the diagnosis of vertical root fractures on cone-beam computed tomography. 2020. 1 recurso online ( 48 p.) Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Piracicaba, SP. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/349208. Acesso em: 14 Sep. 2020.
Date Issue: 2020
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Santos_LarissaPereiraLagosDeMelo_D.pdf604.77 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.