Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/348155
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: The role of prosodic boundary information for the comprehension of stripping sentences by French- and Brazilian Portuguese-learning children : O papel da informação de fronteiras prosódicas para a compreensão de sentenças stripping por crianças adquirindo o francês e o português brasileiro
Title Alternative: O papel da informação de fronteiras prosódicas para a compreensão de sentenças stripping por crianças adquirindo o francês e o português brasileiro
Author: Kolberg, Letícia Schiavon, 1990-
Advisor: Abaurre, Maria Bernadete Marques, 1946-
Abstract: Resumo: Que tipo de informação as crianças podem usar para atribuir estrutura sintática às sentenças que ouvem? A prosódia frasal tem sido proposta como um tipo de pista crucial, já que ela se correlaciona à estrutura sintática, e, além disso, crianças são sensíveis à informação prosódica desde os primeiros meses de vida (HIRSH-PASEK ET AL., 1987). No entanto, ainda há poucos estudos investigando a habilidade de crianças em usar a informação prosódica para restringir a análise sintática, sendo que alguns fornecem evidência positiva (DE CARVALHO ET AL., 2016; DAUTRICHE ET AL., 2014) e outros não conseguem observar essa habilidade em crianças de até seis anos (SNEDEKER & TRUESWELL, 2001; CHOI & MAZUKA, 2003). Esta tese tem como objetivo investigar a habilidade de crianças pequenas em analisar um tipo de sentença ainda não estudada para esse propósito: sentenças "stripping" (um tipo de elipse de Sintagma Flexional) com o advérbio "aussi" ("também") tal como "Le tigre mange ! Le dinosaure aussi !" ("O tigre come! O dinossauro também!"). Se as pistas prosódicas que indicam uma fronteira entoacional e sintática entre o verbo e o segundo nome forem removidas, essas sentenças não podem ser distinguidas de sentenças transitivas como "O tigre come o dinossauro também". Nós realizamos três experimentos de Olhar Preferencial. No Experimento 1, investigamos se crianças francesas e brasileiras de 3 a 4 anos e 28 meses conseguem distinguir sentenças "stripping" de transitivas simples contendo verbos conhecidos em um contexto ambíguo (e.g. dois vídeos exibidos lado a lado, um mostrando um tigre comendo um dinossauro, e outro mostrando o dinossauro e o tigre comendo um pato). Os resultados mostram que as crianças francesas e brasileiras de 3 a 4 anos interpretam as sentenças "stripping" diferente das sentenças transitivas simples baseando-se em suas diferenças prosódicas. O Experimento 2 testou a habilidade de crianças francesas de 30 a 42 meses em distinguir essas sentenças com verbos desconhecidos na ausência de contexto visual simultâneo. As crianças ouviam diálogos contendo sentenças "stripping" ou transitivas com um verbo inventado, e depois viam duas possíveis interpretações para o verbo: um vídeo mostrando uma ação causal (i.e. uma menina balançando a perna de outra menina), e um vídeo mostrando uma ação intransitiva (i.e. uma menina rodando seu próprio braço). Os resultados mostram que as crianças não conseguiram explorar a informação prosódica para interpretar corretamente as sentenças "stripping". O Experimento 3 investigou se crianças francesas de 3 a 4 anos entendem a condição de identidade por trás das sentenças "stripping", isto é, se quando ouvem uma sentença como "O tigre tá comendo! O dinossauro também!", elas sabem que o dinossauro também está comendo, e não realizando outra ação. Apresentamos as sentenças "stripping" às crianças juntamente com dois vídeos, um mostrando os dois personagens realizando a ação nomeada, e outro em que o primeiro personagem realiza a ação nomeada, mas o segundo realiza uma ação nova. Nossa hipótese era que as crianças entendem a condição de identidade por trás das sentenças "stripping", e então olhariam por mais tempo para o vídeo em que ambos os personagens realizam a mesma ação. Os resultados preliminares mostram apenas uma tendência não-significativa na direção esperada; discutimos possíveis razões metodológicas e teóricas para isso

Abstract: What kind of information can children use to attribute syntactic structure to the sentences they hear? Phrasal prosody has been proposed as a crucial type of cue, since it correlates with syntactic structure and infants are sensitive to it from their first months of life (HIRSH-PASEK ET AL., 1987). However, there are still few studies on young children¿s ability to use prosodic information to constrain syntactic parsing, some providing positive evidence (e.g. DE CAR-VALHO ET AL., 2016; DAUTRICHE ET AL., 2014) and others failing to observe this ability in children up to 6-years-old (e.g. SNEDEKER & TRUESWELL, 2001; CHOI & MAZUKA, 2003). In the present thesis, we investigate young children's ability to parse a type of sentence that has not yet been studied for this purpose, namely stripping sentences (a type of Tense Phrase ellipsis) with the adverb "aussi" ("too") such as "Le tigre mange ! Le dinosaure aussi !" ("The tiger eats! The dinosaur too!"). If stripped out of the prosodic cues that indicate an intonational and syntactic phrase boundary between the verb and the second noun, these sentences cannot be distinguished from simple transitive sentences such as "The tiger eats the dinosaur too". We conducted three preferential looking and picture selection tasks. Experiment 1 investigated French- and Brazilian Portuguese-learning 3-to-4-year-olds and 28-month-olds' ability to tell apart stripping from simple transitive sentences when presented with sentences containing familiar verbs in an ambiguous context (two videos playing side-by-side, one showing a tiger eating a dinosaur, and another showing the tiger and the dinosaur eating a duck, for the example above). The results show that French- and BP-learning 3-4-year-olds interpret stripping sentences differently from simple transitive sentences by relying on their prosodic differences. Experiment 2 investigated French-learning 30-42-month-olds' ability to tell apart these two kinds of sentence with unfamiliar verbs in the absence of (simultaneous) visual context. Children were presented with dialogues containing stripping or simple transitive sentences with a novel verb, and afterwards they saw two possible interpretations for this verb: a video showing a novel causal action (i.e., a girl swinging another girl's leg), and a video showing a novel intransitive action (i.e., a girl spinning her arm). The results show that children failed to explore prosodic information to correctly interpret stripping sentences. Experiment 3 investigated whether children understand the identity condition behind stripping sentences, that is, if when they hear a sentence such as "the tiger eats! The dinosaur too!", children know that the dinosaur is also eating, rather than doing something else. We presented French-learning 3-4-year-olds with stripping sentences along with two videos, one where both characters perform the named action, and another where the first-mentioned character performs the named action but the second-mentioned character performs a novel action. Our hypothesis was that children understand the identity condition behind stripping sentences, and so would look longer towards the video where both characters perform the named action. The preliminary results show only a non-significant trend in the expected direction; we discuss possible methodological and theoretical reasons for this
Subject: Psicolinguística
Aquisição de linguagem
Gramática comparada e geral - Elipse
Língua portuguesa - Versificação
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: KOLBERG, Letícia Schiavon. The role of prosodic boundary information for the comprehension of stripping sentences by French- and Brazilian Portuguese-learning children: O papel da informação de fronteiras prosódicas para a compreensão de sentenças stripping por crianças adquirindo o francês e o português brasileiro . 2020. 1 recurso online ( 194 p.) Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas, SP.
Date Issue: 2020
Appears in Collections:IEL - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Kolberg_LeticiaSchiavon_D.pdf4.48 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.