Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/345110
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Charles Chaplin ator : a especificidade na multiplicidade
Title Alternative: Charles Chaplin actor : the specificity in the multiplicity
Author: Facini, Diogo Rossi Ambiel, 1991-
Advisor: Palma, Daniela, 1972-
Abstract: Resumo: Nesta tese, discuto algumas especificidades da atuação de Charles Chaplin, sobretudo a partir do campo dos Estudos Atorais, os estudos da atuação no cinema. As especificidades abordadas se relacionam a três questões: autoria, modelos de atuação e atuação corporal. No primeiro capítulo, comento algumas características mais amplas do cinema de Chaplin, que não dizem respeito exatamente à sua atuação, mas que considero relevantes para a compreensão de alguns de seus elementos fundamentais. Inicialmente, discuto um ponto significativo do seu cinema: o seu posicionamento contrário ao cinema sonoro/falado, mais exatamente, contrário às falas no (seu) cinema. Esse aspecto é relevante, pois, ao defender seu ponto de vista, Chaplin destaca alguns elementos importantes de sua atuação, uma atuação corporal, em pantomima. Nesse capítulo, abordo como o posicionamento de Chaplin apareceu em falas ou textos seus e como esse posicionamento se manifestou de fato em suas obras. Também trago algumas discussões de outros pensadores, principalmente os da chamada tradição formativa, uma vez que as suas ideias, semelhantes às de Chaplin, podem ajudar a explicar melhor o posicionamento desse cineasta. Ainda nesse capítulo, trato da relação de Chaplin com a comédia produzida no seu tempo, o slapstick/burlesco, e dou destaque ao tema do corpo burlesco. Por fim, comento a mistura de comédia e melodrama nos filmes de Chaplin, que pode ser considerada mais uma das especificidades do seu cinema e que se relaciona à presença do pathos em sua obra, tema que também comento. No segundo capítulo, inicialmente, apresento o campo dos estudos atorais e algumas especificidades do ator de cinema. A seguir, abordo a questão da autoria na atuação. Discuto a teoria do ator-autor, proposta por McGilligan (1975), que defende que alguns atores de cinema podem exercer atividades autorais. A partir dessa noção, procuro apresentar e comentar o programa gestual de Chaplin, refletindo sobre a possibilidade de se caracterizá-lo como ator-autor. Também comento uma possível caracterização dele como personagem-autor, proposta por Guimarães (2012a; 2012c). No terceiro capítulo, discuto dois modelos de atuação, o de Stanislavski e o de Brecht. Desenvolvo algumas considerações de Guimarães (2012a) de que Chaplin pode ser vinculado a ambos os modelos, o que levaria a uma definição desse ator como stanislavsko-brechtiano. No quarto capítulo, abordo mais de perto a atuação corporal de Chaplin. Essa atuação é dividida em três partes: gesto, dança e rosto. Tanto com relação ao gesto quanto com relação ao rosto, trago duas vertentes teóricas distintas, em certos sentidos, opostas. Nas discussões de gesto e rosto, por um lado, pode ser destacada a transmissão de uma interioridade do ator, de um sentimento, de uma ideia; por outro lado, gesto e rosto podem ser valorizados por si próprios, em sua exterioridade, em sua materialidade. Como mencionado, nesse capítulo, discuto ainda a presença da dança na atuação de Chaplin. O que diferenciaria dança de gesto/rosto é que ela se vincularia mais diretamente a apenas uma das vertentes, a da exterioridade. Na dança, o elemento fundamental seria a própria dança, em sua materialidade, em seu aspecto formal

Abstract: In this thesis, I discuss some specificities of Charles Chaplin¿s acting, especially from the field of Acting Studies. These specificities are related to three issues: authorship, acting models and bodily acting. In the first chapter, I comment on some broader characteristics of Chaplin¿s cinema not exactly related to his acting, but which I consider relevant to the understanding of some of its fundamental elements. Initially, I discuss a significant point of Chaplin¿s cinema: its positioning contrary to the sound films, more precisely, to the speech in (his) films. This aspect is relevant, because, in defending his point of view, Chaplin highlights some important elements of his acting, in pantomime. In this chapter, I discuss how Chaplin¿s positioning appeared in his speeches or texts and how it actually manifested in his works. I also bring some discussions of other thinkers, mainly those of the formative tradition, since their ideas, similar to those of Chaplin, can help to better explain his positioning. Still in this chapter, I deal with Chaplin¿s relationship with the comedy produced in his time, the slapstick/burlesque, and highlight the theme of the burlesque body. Finally, I comment on the mix of comedy and melodrama in Chaplin¿s films, which can be considered one of the specificities of his cinema and which is related to the presence of pathos in his work, a theme also commented. In the second chapter, initially, I present the field of Acting Studies and some specificities of the film actor. Next, I address the issue of authorship in acting. I discuss the actor as auteur theory, proposed by McGilligan (1975), who argues that some film actors can exercise authorial activities. Based on this notion, I try to present and comment on Chaplin¿s gestural program, reflecting on the possibility of characterizing him as an actor-auteur. I also comment on a possible characterization of him as a character-auteur, proposed by Guimarães (2012a; 2012c). In the third chapter, I discuss two acting models, from Stanislavski and from Brecht. I develop some considerations by Guimarães (2012a) that Chaplin can be linked to both models, which would lead to a definition of the actor as "stanislavsko-brechtian". In the fourth chapter, I take a closer look at Chaplin¿s bodily acting. This acting is divided into three parts: gesture, dance and face. Both in relation to the gesture and in relation to the face, I bring two distinct theoretical perspectives, in certain senses, opposite. In the discussions of gesture and face, on the one hand, the transmission of an actor¿s interiority, of a feeling, of an idea, is highlighted; on the other hand, gesture and face can be valued by themselves, in their exteriority, in their materiality. As mentioned in this chapter, I also discuss the presence of dance in Chaplin¿s acting. What would differentiate it between gesture and face is that dance would be more directly linked to just one perspective, that of exteriority. In dance, the fundamental element would be the dance itself, in its materiality, in its formal aspect
Subject: Chaplin, Charlie, 1889-1977
Atores
Atores e atrizes de cinema
Pantomima
Cinema mudo
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: FACINI, Diogo Rossi Ambiel. Charles Chaplin ator: a especificidade na multiplicidade. 2020. 1 recurso online ( 262 p.) Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas, SP. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/345110. Acesso em: 8 Mar. 2021.
Date Issue: 2020
Appears in Collections:IEL - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Facini_DiogoRossiAmbiel_D.pdf9.45 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.