Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/344434
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Reflexão política e publicidade : estudo sobre a função política do sensus communis a partir da crítica da faculdade de julgar de Immanuel Kant
Title Alternative: Political reflection and publicity : a study on the political role of the sensus communis from the critique of judgement of Immanuel Kant
Author: Ferreira, Pedro Gallina, 1994-
Advisor: Hulshof, Monique, 1982-
Abstract: Resumo: Há cinquenta anos, Hannah Arendt lecionou uma série de lições sobre a filosofia política de Immanuel Kant na New School for Social Research em New York; um curso que entrou para a história da filosofia política contemporânea pela perspicácia da sua interpretação de um clássico até então praticamente inacessado nas suas reflexões sobre política, e, em especial, pela sua polêmica proposta de que a obra de Kant possuía dois modelos claramente distinguíveis de filosofia política. O primeiro deles, tradicional, estaria centrado na atividade da razão prática ¿ portanto, exposto na Crítica da Razão Pura, na Crítica da Razão Prática e na Metafísica dos Costumes ¿ enquanto que o segundo, "a filosofia não escrita" de Kant, se articularia a partir da atividade da faculdade de julgar reflexionante na Crítica da Faculdade de Julgar e nos ensaios políticos À Paz Perpétua e no Conflito das Faculdades. Desde a sua publicação em 1982, o curso de Arendt despertou inúmeras polêmicas nos estudos sobre filosofia kantiana (Kantsforschung) e no pensamento político atual: considerações sobre seu método de interpretação, críticas à sua recusa filosófica da razão prática e inspirações diversas para buscar "políticas sensíveis" voltadas para as interrelações sociais de pessoas. Nesse sentido, podemos dizer que o objetivo deste estudo é reunir, reorganizar e, com sorte, abrir algumas possibilidades de consideração sobre a reflexão política no pensamento de Kant. Para isso, nos colocamos em questão a função política e social que o conceito de sensus communis pode conter enquanto um "sentido comunitário" que resulta da faculdade de julgar reflexionante ¿ ou seja, uma reflexão orientada para a sociabilidade, a comunicabilidade e a publicidade dos modos de pensar em sua pluralidade e, inclusive, em seus conflitos políticos e sociais. Sugerimos, com isso, uma investigação conduzida pelas disputas filosóficas e políticas que permeiam os dois principais ensaios políticos de Kant após a publicação da Crítica da Faculdade de Julgar: a crítica à política empírica em "Teoria e Prática" e a crítica à prudência política em À Paz Perpétua. Em nossa análise, mostramos em quais sentidos (político e jurídico) os conflitos sociais devem ser mediados pela publicidade enquanto liberdade de pensamento e transparência estatal. Ambos são fundados numa concepção de reflexão política que, ao invés de submeter-se a priori à uma ideia da razão prática, sinaliza empiricamente a orientação comum do modo de pensar publicamente manifesto ¿ como se passa, por exemplo, com o entusiasmo dos espectadores da Revolução Francesa. Com isso, propomos que o conceito kantiano de publicidade possibilita considerar um conceito de reflexão que é capaz de avaliar os fenômenos políticos partindo de uma orientação empírica, comum (popular) e social segundo as três máximas do entendimento comum (pensar por si mesmo, pensar no lugar de todos os demais e pensar coerentemente)

Abstract: Fifty years ago Hannah Arendt taught a series of lectures on Immanuel Kant¿s political philosophy in the New School for Social Research in New York; a course that made an entrance to the contemporary history of political philosophy for its acumen of interpretation of a classic so long unassessed on his reflections on politics and especially for its polemical idea that Kant¿s work contained two distinct models of political philosophy. The first of them (the traditional one) would be centered around the activity of practical reason, therefore exposed in the Critique of pure reason, Critique of practical reason and Metaphysics of Morals, as for the second one, "Kant¿s unwritten philosophy", it would relate itself more closely to the activity of the reflecting power of judgement in the Critique of Judgement and in the political essays Toward Perpetual Peace and The Conflict of Faculties. Since its publication on 1982 Arendt¿s lectures have stir up many controversies on the studies of Kantian philosophy (Kantsforschung) and on contemporary political thought: considerations on its interpretative method, criticism on its philosophical refusal of practical reason and varying inspirations to search for "sensible politics" concerning social interrelations of people. Considering this manifold reception, we can say that the objective of this study is to gather, reassemble and, luckily, open up a few possible considerations on political reflection concerning Kant¿s thought. For that end, we shall investigate the political and social role that the concept of sensus communis may imply as a "community sense" which comes out of the reflecting power of judgement, that is, a certain type of reflection oriented toward sociability, communicability and publicity of ways of thought on its plurality and especially on its political and social conflicts. We suggest that such an investigation must be conducted through the philosophical and political contests that spreads through two of Kant¿s main political essays published after the Critique of Judgement: the criticism of empirical politics in Theory and Praxis and the criticism of political prudence in Toward Perpetual Peace. Regarding our analysis, we aim to show in which ways (political and juridical) social conflict should be mediated by freedom of thought and State transparency. Both are grounded in a conception of political reflection that instead of render itself a priori to an idea of practical reason signalizes empirically the general orientation of the publicly manifested way of thought ¿ for example, such as happens with the enthusiasm of the spectators of the French Revolution. At the end we consider that the concept of publicity actually conceives a concept of reflection able to assess political phenomenon from an empirical, common (popular) and social orientation according to the three maxims of common understanding (think for one self, think on the place of everybody else, think coherently)
Subject: Kant, Immanuel, 1724-1804
Arendt, Hannah, 1906-1975
Ciência política - Filosofia
Publicidade
Iluminismo
Senso comum
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: FERREIRA, Pedro Gallina. Reflexão política e publicidade : estudo sobre a função política do sensus communis a partir da crítica da faculdade de julgar de Immanuel Kant . 2020. 1 recurso online ( 141 p.) Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, SP.
Date Issue: 2020
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Ferreira_PedroGallina_M.pdf988.99 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.