Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/344421
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Psicólogos e suas vivências emocionais durante a assistência profissional em casos de crise suicida
Title Alternative: Psychologists and their emotional experiences during professional assistance in cases of suicide crisis
Author: Oliveira, Cláudia Aline de Brito, 1988-
Advisor: Guerra, Luciane Miranda, 1970-
Abstract: Resumo: Estima-se que mais de 800 mil pessoas tirem a própria vida por ano no mundo, o que equivale a uma taxa média de 10,5 suicídios por 100.000 habitantes (13,7 para homens e 7,0 para mulheres). No Brasil, 11 mil pessoas tiram a própria vida em média anualmente e a projeção da Organização Mundial da Saúde é que até 2020, o suicídio contribua com mais de 2% para a carga global de doenças no mundo. Para a prevenção do suicídio é necessária uma conciliação entre as ações e dispositivos de saúde púbica, com as abordagens clínicas individuais eficazes. Estas abordagens exigem do profissional de saúde uma instrumentalização que a maioria das discussões sobre suicídio não o oferece, isso porque é ele formado para o cuidado com a vida e, dificilmente é orientado para um entendimento ou uma práxis para se manejar um caso de ideação ou tentativa de suicídio. Sabe-se que o atendimento a pacientes em crise suicida afeta significativamente o profissional de saúde, especialmente aqueles que trabalham na área da saúde mental, como o psicólogo. Assim, elaborou-se a hipótese de que os psicólogos significam negativamente suas vivências emocionais oriundas do atendimento a crises suicidas, logo o objetivo desta pesquisa foi compreender as vivências emocionais do psicólogo clínico no atendimento a pacientes com a demanda em questão. Estudo clínico-qualitativo, com 06 psicólogos clínicos que prestaram assistência a pacientes em crise suicida nos últimos 12 meses em uma capital do nordeste brasileiro, região com o maior crescimento percentual da taxa de suicídio no Brasil. A amostra fechada a partir do critério de saturação e para a coleta de dados foram realizadas entrevistas individuais, guiadas por um roteiro de questões abertas onde a pergunta disparadora foi: "Como é para você atender paciente em crise suicida?". As transcrições das entrevistas formaram o corpus do estudo, o qual foi submetido à análise clínico-qualitativa de conteúdo pelos pesquisadores do Grupo de Estudos em Pesquisa Qualitativa, os quais consideraram o COREQ durante a escrita do artigo. As vivências reveladas neste estudo puderam ser organizadas em 3 categorias, a saber: Categoria 1 - Emoções ambíguas como desafios para o manejo clínico, Categoria 2 - A vivência não paralisadora das emoções, Categoria 3 - O manejo que se aprende na prática. Atender o paciente com crise suicida gera emoções ambíguas no psicólogo, incrementando a complexidade do manejo clínico. Elas nem sempre são paralisadoras, podem ser recursos que vão além dos tradicionais e valiosos atributos em seu trabalho. Assim, o exposto lança luz sobre o campo na medida em que, diante de fenômenos semelhantes, sejam possíveis aplicações do conhecimento adquirido previamente

Abstract: It is estimated that over 800,000 people take their own lives each year worldwide, which is equivalent to an average rate of 10.5 suicides per 100,000 inhabitants (13.7 for men and 7.0 for women). In Brazil, 11,000 people take their own lives on average annually and the World Health Organization's projection is that by 2020, suicide will contribute more than 2% to the global burden of disease in the world. Suicide prevention requires reconciling public health actions and devices with effective individual clinical approaches. These approaches require the health professional to provide an instrumentation that most discussions about suicide do not offer, because it is formed for life care and is hardly oriented toward understanding or praxis to handle a case of ideation or suicide. suicide attempt. Care for patients in suicidal crisis is known to significantly affect health professionals, especially those working in the mental health field, such as the psychologist. Thus, it was hypothesized that psychologists negatively signify their emotional experiences arising from the care of suicidal crises, so the objective of this research was to understand the emotional experiences of the clinical psychologist in attending patients with the demand in question. Clinical and qualitative study with 06 clinical psychologists who assisted patients in suicidal crisis in the last 12 months in a capital of northeastern Brazil, region with the highest percentage growth rate of suicide in Brazil. The closed sample based on the saturation criterion and for data collection were conducted individual interviews, guided by a script of open questions where the triggering question was: "How is it for you to treat a patient in suicidal crisis?". The transcripts of the interviews formed the corpus of the study, which was submitted to clinical-qualitative content analysis by the researchers of the Qualitative Research Study Group, who considered the COREQ during the writing of the article. The experiences revealed in this study could be organized into 3 categories, namely: Category 1 - Ambiguous emotions as challenges for clinical management, Category 2 - The non-paralyzing experience of emotions, Category 3 - Management that is learned in practice. Attending the patient with suicidal crisis generates ambiguous emotions in the psychologist, increasing the complexity of clinical management. They are not always paralyzing, they may be resources that go beyond the traditional and valuable attributes in your work. Thus, the above sheds light on the field insofar as, in the face of similar phenomena, applications of previously acquired knowledge are possible
Subject: Emoções
Suicídio
Pesquisa qualitativa
Psicologia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: OLIVEIRA, Cláudia Aline de Brito. Psicólogos e suas vivências emocionais durante a assistência profissional em casos de crise suicida. 2020. 1 recurso online (46 p.) Dissertação (mestrado profissional) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Piracicaba, SP.
Date Issue: 2020
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Oliveira_ClaudiaAlineDeBrito_M.pdf2.16 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.