Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/344245
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: A economia feminista como um campo de análise e ação : um estudo de suas implicações políticas
Title Alternative: Feminist economics as a field of analysis and action : a study of its political implications
Author: Grecco, Fabiana Sanches, 1987-
Advisor: Araújo, Angela Maria Carneiro, 1952-
Abstract: Resumo: Este estudo buscou compreender a maneira como a Economia Feminista se constitui, desde a década de 1970, como um corpo teórico crítico ao viés androcêntrico da Ciência Econômica e o modo como ela se constituiu como uma abordagem que orienta a prática política feminista, sobretudo na América Latina, a partir de meados da década de 1990. Objetivou-se analisar criticamente o viés androcêntrico das análises econômicas dominantes, apontado pelas economistas feministas; o modo como, nesse campo, o debate sobre produção-reprodução social foi pensado; e as maneiras como a Economia Feminista se desenvolveu no Brasil. Como técnicas de investigação foram realizadas entrevistas semiestruturadas, com consultoras de organizações feministas, professoras e pesquisadoras, que de alguma forma se relacionam aos temas da Economia Feminista no Brasil, na França, Portugal, Espanha, Argentina e África do Sul; a observação participante junto à Organização Não Governamental (ONG) Sempreviva Organização Feminista (SOF); além do estudo de fontes bibliográficas nacionais e internacionais. Como método, optou-se por uma abordagem marxista e feminista, o que permitiu questionar o alcance do quadro conceitual pesquisado. A primeira contribuição possibilitada pelo presente estudo foi demonstrar o modo como a Economia Feminista se constituiu como um ramo do conhecimento, a incorporação da categoria "gênero" na Ciência Econômica e a maneira como o feminismo serviu como um elemento fundamental para a construção de pressupostos e métodos econômicos alternativos dos tradicionais. A segunda contribuição foi analisar criticamente o viés androcêntrico da Ciência Econômica, por meio de uma reflexão sobre a questão da objetividade científica e da compreensão do que constitui a categoria homo economicus. Como terceira, demonstrou-se como parte das elaborações das economistas feministas se relacionam com o neoliberalismo, aproximando-se de perspectivas hegemônicas como as da Organização das Nações Unidas e até mesmo do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional. Contrapondo-se a isso, como quarta contribuição, analisou-se como a Economia Feminista se constituiu como ferramenta de prática política contra-hegemônica por parte do feminismo latinoamericano, especialmente por parte do feminismo brasileiro. Por fim, analisou-se criticamente sob o marco teórico do marxismo o debate sobre produção e reprodução social, debate que está no coração da Economia Feminista, apresentando-o como um projeto político. Frente a isso, esta tese mostrou as implicações políticas da Economia Feminista diante do contexto neoliberal, definindo-a como um campo de análise e ação (um tipo de práxis) plural e contraditório que, em seu conjunto, almeja a valorização social e econômica dos trabalhos domésticos e de cuidados, mas cujas formulações tendem a nublar o conflito capital-trabalho e a mistificar as relações sociais de gênero, classe, raça e região do mundo

Abstract: This study understood how Feminist Economics has been constituted, since the 1970s, as a critical theoretical body to the androcentric bias of Economic Science and how it was constituted as an approach that guides feminist political practice, especially in Latin America from the mid-1990s. The objective was to critically analyze the androcentric bias of the dominant economic analyzes, pointed out by feminist economists; how, in this field, the debate about social production-reproduction was thought; and how Feminist Economics is developed in Brazil. As research techniques were conducted semi-structured interviews with consultants from feminist organizations, teachers and researchers, that somehow relate to the themes of Feminist Economics in Brazil, France, Portugal, Spain, Argentina and South Africa; participant observation with the Non-Governmental Organization (NGO) Sempreviva Feminist Organization (SOF); besides a study of national and international bibliographic sources. As a method, a Marxist and feminist approach was chosen, which allowed questioning the scope of the researched conceptual framework. The first contribution made possible by the present study was to demonstrate how Feminist Economics was constituted as an area of ??knowledge, the incorporation of the "gender" category in Economic Science and how feminism served as a fundamental element for the construction of alternatives economic assumptions and methods. The second contribution was to critically analyze the androcentric bias of Economic Science, through a reflection on the question of scientific objectivity and the understanding of what constitutes the homo economicus category. As a third, it has been demonstrated as part of feminist economists' elaborations relating to neoliberalism, approaching hegemonic perspectives such as those of the United Nations and even the World Bank and the International Monetary Fund. In contrast, as a fourth contribution, we analyzed how the Feminist Economy was constituted as a tool of counter-hegemonic political practice by Latin American feminism, especially by Brazilian feminism. Finally, under the theoretical framework of Marxism the debate on social production and reproduction was critically analyzed, debate that is at the heart of Feminist Economics, presenting it as a political project. Faced with this, this thesis showed the political implications of Feminist Economy in the neoliberal context, defining it as a plural and contradictory field of analysis and action (a kind of praxis) which, as a whole, aims at the social and economic valorization of domestic and care work, but whose formulations tend to cloud the capital-labor conflict and mystify the social relations of gender, class, race and region of the world
Subject: Economia feminista
Divisão do trabalho por sexo
Neoliberalismo
Gênero
Trabalho
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: GRECCO, Fabiana Sanches. A economia feminista como um campo de análise e ação: um estudo de suas implicações políticas. 2019. 1 recurso online (285 p.) Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, SP.
Date Issue: 2019
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Grecco_FabianaSanches_D.pdf3.08 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.