Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/344158
Type: Artigo
Title: Como cheguei a ser o que sou? uma estética da torção em filmes das décadas de 60 E 70
Title Alternative: How I became what I am : an aesthetics of twist cinema in films from the 1960s and 1970s
Author: Bessa, Karla Adriana Martins
Abstract: O artigo analisa as potencialidades políticas e teóricas da linguagem cinematográfica com enfoque nos modos como expressa e recria a relação entre sexualidade e diferenças de gênero. Na qualidade de produtos culturais, os três filmes analisados – A Casa Assassinada (1972), Sunday, Bloody Sunday (1971) e Les Amitiés Particulières (1964) – aludem à questões feministas da época, bem como instigam uma leitura para além das narrativas, pois imprimem uma perspectiva histórica à visualidade do corpo feminino, à heteronormatividade, aos amores imprecisos, indecisos e, por vezes, proibidos. O argumento do texto, a partir de uma perspectiva queer, é de que a ousadia estética que forjou o cinema de torções, dentro dos limites de cada estilo e época, foi justamente a de não fazer concessões políticas ao tratar de temas que desafiavam os cânones morais da sociedade vigente
Subject: Feminismo
Country: Brasil
Editor: UFSC/Centro de Filosofia e Ciências Humanas
Rights: aberto
Identifier DOI: 10.1590/1806-9584.2017v25n1p291
Address: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2017000100291
Date Issue: 2017
Appears in Collections:PAGU - Artigos e Outros Documentos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S0104-026X2017000100291por.pdf200.87 kBAdobe PDFView/Open
S0104-026X2017000100291eng.pdf187.01 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.