Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/343775
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Escolas ocupadas e formação política : da luta estudantil à reação conservadora
Title Alternative: Schools occupations and political formation : from student struggle to conservative reaction
Author: Fulfaro, Ana Carolina de Assis, 1990-
Advisor: Catini, Carolina de Roig, 1981-
Abstract: Resumo: Esta pesquisa trata do movimento de ocupação das escolas estaduais paulistas ocorrido em 2015, a partir da experiência de jovens que participaram da ocupação de duas escolas na cidade de Campinas/SP, uma escola localizada no centro da cidade, e outra localizada na periferia. O movimento se contrapôs ao projeto de "reorganização" escolar do governo do Estado e, através da experiência viva da luta, apontou críticas à educação escolar, experimentando mudanças nas relações educativas com relações de solidariedade e a apropriação da gestão e organização do ambiente escolar. Destaca-se a auto-organização através da realização de assembleias, comissões e uma forma de organização do movimento que priorizou a abertura e incentivo das e dos secundaristas na construção das ocupações. Busca-se compreender como esses processos ocorreram, quais são as diferenças da ocupação do centro e da periferia, e suas influências na formação política dessas e desses estudantes. Ao longo da dissertação, propõe-se o estudo acerca das políticas neoliberais para a educação e a tendência de privatização das relações educativas, sua conexão com as relações de trabalho, e o entendimento sobre o contexto político, econômico e social de polarização social em que as ocupações ocorreram, o movimento de ocupações nacional de 2016 e a reação conservadora que se gestou. Para investigar essas questões, realizamos entrevistas semiestruturadas com 13 jovens que participaram das ocupações das duas escolas, além da análise qualitativa de trabalhos acadêmicos, e levantamento de informações a partir de reportagens jornalísticas, produções culturais e das páginas do Facebook das ocupações em questão. Verificou-se que para todos os entrevistados a experiência é tomada como fonte de formação política que fez alterar a visão de mundo. A crença no papel transformador da educação e na ação política coletiva são destacadas por elas e eles. Porém, vemos um movimento de apropriação por parte de setores do empresariado de termos utilizados pelo movimento, como a maior "participação" estudantil e a ideia de uma escola conectada com a realidade das e dos estudantes, com o objetivo de aprovar políticas de cunho neoliberal que aprofundam a precarização da educação pública, retirando da escola a possibilidade de espaços de construção crítica do conhecimento e de organização estudantil numa perspectiva que questione o status quo. Em vista disso, é necessário explorar sobre qual foi a continuidade dessa formação política e da própria organização do movimento. As ocupações de escola protagonizadas por estudantes secundaristas nos anos de 2015 e de 2016 são um marco no que se refere à luta pela educação pública no Brasil e mostraram um potencial de ação política. Cabe às nossas pesquisas a reflexão sobre as perspectivas, potencialidades e possíveis limites dessa forma de luta

Abstract: This research deals with the movement of occupation of state schools in São Paulo occurred in 2015, from the experience of young people who participated in the occupation of two schools in the city of Campinas / SP, one located in the city center, and another located in the periphery. The movement opposed the project of the state government's school "reorganization" and, through the living experience of the struggle, pointed criticism to the school, experiencing changes in the educational relations with solidarity relations and the appropriation of the management and organization of the school environment. Self-organization stands out through the holding of assemblies, commissions and a form of organization of the movement that prioritized the opening and encouragement of the secondary school students in the construction of occupations. We seek to understand how these processes occurred, what are the differences in the occupation of the center and the periphery, and their influences on the political formation of these students. In addition, we also seek to understand their conception of education, political action, and social transformations. Throughout the dissertation, it is proposed the study about neoliberal project of education and the tendency of privatization of the educative relations and its connection with the work relations, the understanding about the political, economic and social context of social polarization in that the occupations took place, the 2016 national occupations movement and the conservative reaction that has arisen. To investigate these issues, we conducted semi-structured interviews with 13 young people who participated in the occupations of both schools, as well as the qualitative analysis of academic work, journalistic reports, cultural productions and the Facebook pages of the occupations in question. It was found that for all interviewees the experience is taken as a source of political formation that changed the world view. The belief in a transformative role of education and collective political action are highlighted by them. However, we see a movement of appropriation by business sectors of terms used by the movement, such as greater student "participation" and the idea of a school connected to the reality of students, with the aim of approving neoliberal policies that deepen the precariousness of public education, to remove from school the possibility of spaces for the critical construction of knowledge and student organization in a perspective that questions the status quo. The school occupations carried out by high school students in 2015 and 2016 are a milestone in the fight for public education in Brazil and showed a potential for political action. It is up to our research to reflect on the perspectives, potentialities and possible limits of this form of struggle
Subject: Escolas - Ocupação
Formação politica
Estudantes - Mobilização
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: FULFARO, Ana Carolina de Assis. Escolas ocupadas e formação política: da luta estudantil à reação conservadora. 2020. 1 recurso online ( 184 p.) Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, SP.
Date Issue: 2020
Appears in Collections:FE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Fulfaro_AnaCarolinaDeAssis_M.pdf1.67 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.