Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/343645
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Educação e religiosidade evangélica nos meios populares : expectativas das famílias sobre escolarização e educação moral
Title Alternative: Education and evangelical religion in the popular groups : family expectations about schooling and moral education
Author: Minarelli, Marina Nascimento, 1991-
Advisor: Ernica, Mauricio, 1972-
Abstract: Resumo: Esta pesquisa estuda a possível relação entre a participação religiosa e a construção de expectativas e investimentos escolares. O objetivo foi apreender os possíveis efeitos da religiosidade evangélica sobre as expectativas escolares e os modos de se relacionar com o ensino em famílias populares. O objeto dessa pesquisa nasce da intersecção de dois conjuntos de análises: a sociologia da educação e os estudos sobre religiões evangélicas. Os trabalhos do primeiro conjunto sustentam que famílias populares, por estarem expostas à necessidades sociais cotidianas e por serem culturalmente mais distantes da escola, manteriam uma relação ambivalente com a escolarização: ocupam uma relação dominada, aceitando a autoridade escolar e, por outro lado, não possuem os meios rentáveis para investir na educação, sendo seus esforços distantes das práticas valorizadas no espaço escolar. As pesquisas sobre religião evangélica, por sua vez, apontam algumas características desse fenômeno em expansão nos grupos mais pobres e menos escolarizados, indicando que o modo de vida evangélico pode ter influências em outros domínios da vida social. Marcado pelo asceticismo e pelo discurso institucional das igrejas que traça uma projeção positiva para o futuro, a religiosidade evangélica produziria disposições de comportamento afins às expectativas escolares. Considerando essas análises, a pesquisa empírica foi realizada em uma periferia metropolitana, em um território no qual também foi possível considerar a variação da posição social das diferentes famílias investigadas. Foi realizado o reconhecimento das igrejas do território e posterior aproximação e entrevista com as famílias evangélicas com crianças e jovens em idade escolar. As principais conclusões são: foram identificadas três frações das classes populares que se relacionam de maneiras distintas com a educação escolar e com a religiosidade; a maioria das igrejas do território são locais, pequenas, com líderes do próprio bairro, muitos com baixa escolarização, e se distanciam do discurso institucional das grandes igrejas evangélicas apontadas pela literatura. Para as famílias entrevistadas a religiosidade está associada a estratégias negativas, de evitação dos males do território; contudo, os investimentos escolares dependem de outros tipos de estratégias, as positivas, orientadas para o futuro. Apenas as famílias das frações mais altas das classes populares conseguem garantir estratégias positivas e negativas, os demais grupos não têm estratégias positivas e, portanto, suas ambições escolares são menores. Esse grupo mais bem posicionado tem como horizonte escolar o Ensino Superior. O grupo social intermediário ambiciona a conclusão do Ensino Médio, procurando permanecer no sistema de ensino até o fim da escolarização obrigatória e tem estratégias negativas, para as quais possui meios para assegurar alguma eficácia e conta com a religiosidade como suporte de evitação do que consideram perigos do bairro. Quanto ao grupo mais baixo, não se pode dizer que consiga empreender estratégias negativas, apesar dos discursos dessas mães se assemelharem aos gerados pelas práticas negativas dos outros grupos, elas não possuem força para fazer frente às circunstâncias em que vivem e no máximo buscam a regulação da própria mãe e da figura masculina; quanto às ambições escolares, elas são ainda menores e não asseguram sequer a conclusão da escolarização obrigatória

Abstract: This research studies the possible relationship between religious participation and the construction of school expectations and investments. The objective was to apprehend the possible effects of the evangelical religiosity on school expectations and ways of relating to education in popular families. The object of this research is born from the intersection of two sets of analyzes: the sociology of education and studies on evangelical religions. The works of the first set maintain that popular families, because of their exposal to daily social needs and by being more culturally distant from school, would maintain an ambivalent relationship with schooling: a relationship of domination, accepting school authority and, on the other hand, do not have the fruitful means to invest in education, their efforts being distant from practices valued in the school space. Research on evangelical religion points to some characteristics of this expanding phenomenon in the poorest and least educated groups, indicating that the evangelical way of life can have influences on other domains of social life. Marked by asceticism and by the institutional discourse of the churches that outlines a positive projection for the future, evangelical religiosity would produce dispositions of behavior similar to school expectations. Considering these analyzes, the empirical research was carried out in a metropolitan periphery, in a territory where it was also possible to consider the variation of the social position of the different families investigated. The fieldwork was developed with the recognition of the churches in the territory and, later, investigating the evangelical families with school children. The main conclusions are: three fractions of the popular classes were identified, which are related in different ways to school education and religiosity; most of the churches in the territory are local, small, with leaders from the neighborhood themselves, many with low schooling, and distance themselves from the institutional discourse of the large evangelical churches pointed out by literature. For the interviewed families, evangelical religiosity is associated with negative strategies to avoid the ills of the territory; however, school investments depend on other types of strategies, positive ones, oriented towards the future. Only the families of the highest fractions of the popular classes are able to guarantee positive and negative strategies, the other groups do not have positive strategies and, therefore, their school ambitions are lower. This better positioned group has the Higher Education as its school horizon. The intermediary social group aspires to complete high school, attempts to remain in the education system until the end of compulsory schooling; and has negative strategies, for which it has the means to ensure some effectiveness and relies on religiosity as a support to avoid what they consider the dangers of the neighborhood. As for the lowest group, it cannot be said that they are able to undertake negative strategies, because although the discourses of these mothers are similar to the negative practices of the other groups, they do not have the strength to face the situations in which they live and most seek the regulation of the mother herself and the male figure; as for school ambitions, they are even smaller and do not even guarantee the completion of compulsory schooling
Subject: Desigualdades socioeducacionais
Sociologia da educação
Periferias urbanas
Religiosidade
Brasil - Religião - Aspectos religiosos
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: MINARELLI, Marina Nascimento. Educação e religiosidade evangélica nos meios populares: expectativas das famílias sobre escolarização e educação moral . 2020. 1 recurso online (220 p.) Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, SP. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/343645. Acesso em: 26 Jun. 2020.
Date Issue: 2020
Appears in Collections:FE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Minarelli_MarinaNascimento_M.pdf1.55 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.