Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/343626
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Como a variação no número cromossômico pode indicar relações evolutivas entre a Caatinga, o Cerrado e a Mata Atlântica?
Title Alternative: How can chromosome number variation indicate evolutionary relationships between the Caatinga, the Cerrado and the Atlantic forest?
Author: Gloria, Tiago Pereira Ribeiro da, 1988-
Advisor: Martins, Fernando Roberto, 1949-
Abstract: Resumo: Neste trabalho testamos as hipóteses de que 1) a alta frequência de poliploides em um bioma poderia indicar que esse bioma tem origem recente e 2) poliploides são mais bem adaptados do que diploides a ambientes severos, sendo, portanto, mais frequentes nesses ambientes. Usamos a Caatinga, o Cerrado e a Mata Atlântica como biomas-modelo para testarmos estas hipóteses. Comparamos o número cromossômico das espécies presentes em cada bioma e a origem de alterações no número cromossômico (i.e., ocorrência de disploidia/aneuploidia e poliploidia) entre e dentro desses biomas. Esperamos que 1) se números cromossômicos mais altos e poliploides forem mais frequentes em ambientes severos, a Caatinga terá os maiores números de cromossomos e a maior proporção de poliploides, seguidos pelo Cerrado e pela Mata Atlântica; no entanto, 2) se números cromossômicos mais altos e poliploides forem mais frequentes em biomas mais recentes, o Cerrado terá os maiores números de cromossomos e a maior proporção de poliploides, seguidos pela Caatinga e pela Mata Atlântica. A partir de um extenso banco de dados florístico de espécies dicotiledôneas arbustivo-arbóreas que ocorrem em cada bioma, pesquisamos na literatura científica o número somático (2n) das espécies e o número base (x) de gêneros e famílias. Realizamos análises de distribuição de frequências (normalidade, assimetria e curtose) dos números cromossômicos em cada bioma, em espécies comuns aos três biomas e em espécies exclusivas de cada bioma; análise de variância (One-Way ANOVA) para comparar o número cromossômico médio entre cada bioma e entre espécies comuns e exclusivas; e análise de qui-quadrado de homogeneidade para comparar classes de número cromossômico entre biomas e entre espécies comuns e exclusivas e avaliar diferenças de origem das alterações do número cromossômico. Nosso banco de dados florístico contém 4092 espécies de dicotiledôneas arbustivo-arbóreas pertencentes a 826 gêneros e 126 famílias. Encontramos o número cromossômico de 965 espécies (23,6%) pertencentes a 412 gêneros e 82 famílias em publicações especializadas. Nossos dados revelaram que a distribuição da frequência dos números de cromossomos em todos os biomas e em espécies comuns e exclusivas era não-normal, leptocúrtica e moderadamente assimétrica para a direita. Entretanto, classes mais altas de números cromossômicos e poliploidia foram mais frequentes no Cerrado. Nossos resultados corroboram a hipótese de que a poliploidia pode indicar a origem mais recente de uma bioma

Abstract: It has been hypothesized that 1) high polyploidy frequency in a biome could indicate its recent origin and 2) that polyploids are better adapted to harsh environments than diploids, therefore being more frequent in such environments. In this work we tested for those hypotheses using the Atlantic forest, the Caatinga and the Cerrado as model biomes. We compared the chromosome number of species in each biome and the origin of chromosome number alteration (i.e, the occurrence of dysploidy/aneuploidy and polyploidy) among and within those biomes. We expected that 1) if high chromosome numbers and polyploidy are more frequent in severe environments, the Caatinga will have the highest chromosome numbers and the highest proportion of polyploids, followed by the Cerrado and the Atlantic forest; however, 2) if high chromosome numbers and polyploidy are more frequent in more recent biomes, the Cerrado will have the highest chromosome numbers and the highest proportion of polyploids, followed by the Caatinga and the Atlantic forest. From a floristic database of dicotyledonous shrub-tree species that occur in each biome, we surveyed the scientific literature for the somatic number (2n) of species and base number (x) of genera and families. We conducted analyses of frequency distribution (normality, skewness and kurtosis) of the chromosome numbers in each biome, of species common to all biomes and of species exclusive to each biome; analysis of variance (One-Way ANOVA), to compare the mean chromosome number among biomes and between common and exclusive species; and the chi-square test of homogeneity, in order to compare classes of chromosome numbers among biomes and to assess differences among the origin of chromosome number alterations. Our floristic database contains 4092 dicotyledonous shrub-tree species belonging to 826 genera and 126 families. We found the chromosome number of 965 species (23.6%), belonging to 412 genera and 82 families in specialized literature. Our data revealed that the distribution of the frequency of chromosomes numbers was non-normal, leptokurtic and moderately skewed to the right for species in all biomes and for common and exclusive species. However, classes of high chromosome numbers and polyploidy were more frequent in the Cerrado. Our results corroborate the hypothesis that polyploidy can indicate a more recent biome origin
Subject: Evolução
Florestas secas
Florestas tropicais
Poliploide
Ploidia
Language: Inglês
Editor: [s.n.]
Citation: GLORIA, Tiago Pereira Ribeiro da. Como a variação no número cromossômico pode indicar relações evolutivas entre a Caatinga, o Cerrado e a Mata Atlântica?. 2020. 1 recurso online (354 p.) Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia, Campinas, SP.
Date Issue: 2020
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Gloria_TiagoPereiraRibeiroDa_M.pdf3.62 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.