Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/343530
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Revelando a doença e a morte : morbidade e mortalidade em Campinas, 1875-1900
Title Alternative: Revealing disease and death : morbidity and mortality in Campinas, 1875-1900
Author: Albino, Matheus Alves, 1995-
Advisor: Scott, Ana Silvia Volpi, 1959-
Abstract: Resumo: O propósito desta pesquisa é investigar aspectos da mortalidade e da morbidade da população escravizada e livre, nacional e estrangeira em Campinas no último quarto do século XIX. Nesse período, a cidade experimentou intensas transformações econômicas e sociais como o crescimento do núcleo urbano, a abolição da escravidão e um grande fluxo imigratório, sobretudo de europeus. A partir do Registro Civil de Óbitos de Campinas e de registros de pacientes da Santa Casa de Misericórdia e do Hospital de Isolamento do Fundão, revelamos um perfil de morbidade marcado pelas doenças infecciosas, mortalidade infantil elevada e momentos de crise causados pelas epidemias de febre amarela. Esse comportamento é característico de um período pré-transição demográfica e epidemiológica. Mostramos que a população hospitalizada foi sobretudo masculina em idade ativa e produtiva, principalmente atingida por doenças como a tuberculose e outras relacionadas à precariedade das condições de vida e de trabalho. Existiram diferenciais significativos de mortalidade por condição jurídica e nacionalidade. A população escravizada experimentou mortalidade mais elevada que a população livre. Depois de controladas as diferenças nas características da população e do perfil de morbidade, a maior parte do diferencial persistiu ao longo do tempo devido às condições de vida impostas pelo cativeiro. Brasileiros apresentaram mortalidade hospitalar mais elevada que estrangeiros. Uma pequena parte desse diferencial se deve ao volume e estrutura etária desses dois segmentos da população. A maior parte do diferencial de mortalidade é explicada pela entrada de estrangeiros em casos menos graves e pelo fato de os estrangeiros com probabilidade de morte mais elevada não acessarem os hospitais filantrópicos. Grande parte desses indivíduos morreram em casa, nas fazendas, sem assistência médica ou nos hospitais de isolamento, onde o tratamento foi pouco eficiente em aumentar as chances de sobrevivência dos pacientes

Abstract: The purpose of this research is to investigate aspects of mortality and morbidity of enslaved, free national and foreign population in Campinas, state of São Paulo, during the last quarter of the 19th century. During this period, Campinas experienced intense economic and social transformations such as the growth of the urban core, the abolition of slavery and a large flow of immigrants. Through the information of civil registration of deaths and patient records of Santa Casa de Misericórdia and isolation hospital "Lazareto do Fundão", we reveal a morbidity profile marked by infectious diseases, with high infant mortality and mortality crisis caused by yellow fever epidemics. This behavior is characteristic of a pre-demographic and epidemiological transition era. We demonstrate that the hospitalized population was male at productive age, mainly affected by diseases such as tuberculosis and others related to the precarious living and working conditions. There were significant differences in mortality by legal status and nationality. The enslaved population experienced higher mortality than the free population. After controlling for differences in characteristics and maladies, most of the differential persisted due to the living conditions imposed by slavery. Brazilians had higher hospital mortality than foreigners. A small part of the mortality gap is due to the volume and age structure of these two segments of the population. Most of the mortality differential is explained by the entry of foreigners in less severe cases and by the fact that foreigners with a higher probability of death do not access philanthropic hospitals. Most of these individuals died at home, on farms, without medical assistance or in isolation hospitals, where treatment was inefficient in changing patients' probabilities of survival
Subject: Santa Casa de Misericordia de Campinas (SP)
Mortalidade
Morbidade
Escravidão
Campinas (SP) - História - Séc. XIX
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: ALBINO, Matheus Alves. Revelando a doença e a morte: morbidade e mortalidade em Campinas, 1875-1900. 2020. 1 recurso online (168 p.) Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, SP.
Date Issue: 2020
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Albino_MatheusAlves_M.pdf3.37 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.