Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/343164
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Estudo do efeito agudo da drenagem linfática manual em homens e mulheres : avaliação hidroeletrolítica, hormonal e modulação autonômica cardíaca
Title Alternative: Study of the acute effect of manual lymphatic drainage in men and women : hydroelectrolytic, hormonal and cardiac autonomic modulation evaluation
Author: Camargo, Érica Aparecida Mariano, 1989-
Advisor: Grassi-Kassisse, Dora Maria, 1964-
Abstract: Resumo: Os mecanismos envolvidos para a manutenção do equilíbrio hidroeletrolítico envolvem interações do sistema neuroendócrino, cardiovascular e renal. A drenagem linfática manual (DLM) promove o equilíbrio hidroeletrolítico por restabelecer o funcionamento do sistema linfático contribuindo com o sistema cardiovascular. Nosso objetivo foi avaliar o efeito agudo da DLM em homens e mulheres saudáveis, sendo as mulheres usuárias ou não de anticoncepcional oral (ACO) e na perimenopausa, por meio de indicadores de alterações no equilíbrio hidroeletrolítico, como o peptídeo natriurético atrial (ANP), a ritmicidade do cortisol e a variabilidade da frequência cardíaca (VFC) para análise da modulação autonômica cardíaca. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa com estudos em humanos (CAAE: 24537613.2.0000.5404) e Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos, RBR 45c8br. Desenho experimental tipo pré-pós teste, onde os grupos experimentais foram avaliados em dia controle (sem a DLM) e com a DLM. Participaram 21 homens (20,9±0,6 anos e 22,6±0,6 Kg/m2), 30 mulheres não usuárias de anticoncepcional oral (MNACO; 21,7±0,5 anos e 21,4±0,5 Kg/m2), 30 mulheres usuárias de anticoncepcional oral (MACO; 21,4±0,4 anos e 21,9±0,4 Kg/m2) e 26 mulheres na perimenopausa (PM; 46,6±0,8 anos e 25,8±0,6 Kg/m2). Observamos diferentes respostas relacionadas ao sexo, ao uso de ACO e a perimenopausa. Após a DLM, os homens apresentaram a modulação autonômica cardíaca com predomínio simpático, alteração na ritmicidade do cortisol salivar com aumento na concentração antes de dormir e aumento na diurese, na natriurese e no ANP, com redução na osmolaridade, sem alterar o glicerol e o clearance de água livre. Mulheres não usuárias de ACO não apresentaram alteração na VFC, mas houve antecipação na queda da concentração de cortisol em relação ao dia controle e houve aumento na diurese e na natriurese sem alterar o ANP, glicerol, osmolaridade e o clearance de água livre. Nas mulheres usuárias de ACO a DLM não alterou a VFC, mas promoveu maior concentração de cortisol ao fim da tarde em relação ao dia controle, não houve alteração na composição urinária. A DLM não causou alteração nos marcadores avaliados neste estudo em mulheres na perimenopausa. Entre os grupos, a DLM não alterou a VFC, porém, nas usuárias de ACO promoveu aumento do cortisol em relação às não usuárias. Na perimenopausa, a DLM, promoveu menor osmolaridade e maior clearance de água livre quando comparadas às mulheres jovens não usuárias de ACO. Concluímos que os efeitos de uma sessão de DLM dependem do sexo e dos hormônios sexuais. Sendo, os homens mais sensíveis às alterações aos marcadores avaliados, isto é: equilíbrio hidroeletrolítico, ANP, variabilidade de frequência cardíaca e ritmicidade do cortisol. Na população feminina, as mulheres com ciclo hormonal fisiológico foram mais sensíveis ao efeito agudo da DLM do que aquelas com sobrecarga ou com declínio hormonal, onde a técnica favoreceu o equilíbrio hidroeletrolítico promovendo a diurese e a natriurese. Este estudo afirma que a DLM é uma conduta segura, não sendo observado qualquer ocorrência durante e após o procedimento. Além disso, apresenta resultados que apontam a efetividade desta técnica com apenas uma sessão

Abstract: The mechanisms involved for the maintenance of hydroelectrolytic balance involve interactions of the neuroendocrine, cardiovascular and renal system. Manual lymphatic drainage (MLD) aims at hydroelectrolytic balance by restoring the functioning of the lymphatic system contributing to the cardiovascular system. Our objective was to study the acute effect of MLD in healthy men and women, whether or not they use oral contraceptive (OC) and perimenopause, through indicators of changes in the hydroelectrolytic balance, such as atrial natriuretic peptide (ANP), cortisol rhythmicity and heart rate variability (HRV) for analysis of cardiac autonomic modulation. The project was approved by the Research Ethics Committee for Human Studies (CAAE: 24537613.2.0000.5404) and Brazilian Registry of Clinical Trials, RBR 45c8br. Pre-pos test experimental design, where the experimental groups were evaluated on a control day (without MLD) and the MLD. Participated 21 men (20.9 ± 0.6 age and 22.6 ± 0.6 Kg/m2), 30 women not using oral contraceptives (WNOC; 21.7 ± 0.5 age and 21.4 ± 0, 5 Kg/m2), 30 women using oral contraceptives (WOC; 21.4 ± 0.4 age and 21.9 ± 0.4 Kg/m2) and 26 women in the perimenopause (PM; 46.6 ± 0.8 age and 25.8 ± 0.6 Kg/m2). We observed different responses related to sex, OC use and perimenopause. After MLD, the men presented sympathetic predominance of cardiac autonomic modulation, alteration in the rhythmicity of salivary cortisol with increase in concentration before bedtime and increase in diuresis, natriuresis and ANP with reduction in osmolarity without altering glycerol and free water clearance. WNOC did not present changes in HRV, but there was anticipation in the decrease in cortisol concentration in relation to the control day and there was an increase in diuresis and natriuresis without changing ANP, glycerol, osmolarity and free water clearance. In WOC MLD did not alter HRV, but promoted higher cortisol concentration in the evening compared to the control day, there was no change in urinary composition. MLD did not change in the markers evaluated in this study in perimenopausal women. Among the groups, the MLD did not change the HRV. However, in WOC promoted cortisol increase in relation to WNOC. In perimenopause, MLD promoted lower osmolarity and higher free water clearance when compared to WNOC. We conclude that the effects of an MLD session depend on sex and sex hormones. Men were more sensitive to changes in the markers evaluated, thisis: hydroelectrolytic balance, ANP, heart rate variability and cortisol rhythmicity. In the female population, women with physiological hormonal cycle were more sensitive to the acute effect of MLD than those with overload or hormonal decline, where the technique favored hydroelectrolytic balance promoting diuresis and natriuresis. This study states that MLD is a safe procedure, with no occurrence during and after the procedure. In addition, it presents results that show the effectiveness of this technique with only one session
Subject: Sistema linfático - Massagem
Sistema nervoso autônomo
Fator natriurético atrial
Anticoncepcionais
Perimenopausa
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: CAMARGO, Érica Aparecida Mariano. Estudo do efeito agudo da drenagem linfática manual em homens e mulheres: avaliação hidroeletrolítica, hormonal e modulação autonômica cardíaca. 2020. 1 recurso online (164 p.) Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia, Campinas, SP.
Date Issue: 2020
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Camargo_EricaAparecidaMariano_D .pdf6.95 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.