Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/343136
Type: Artigo
Title: Frequency of mentum deformity in Chironomus sancticaroli (Diptera: Chironomidae) in a laboratory culture
Title Alternative: Estudo para determinação da frequência de deformidade do mento em Chironomus sancticaroli (Diptera: chironomidae) em cultura de laboratório
Author: E Silva, M.S.G.M.
Marigo, A.L.S.
Viveiros, W.
Kuhlmann, M.L.
Abstract: The midge Chironomus sancticaroli (Diptera: Chironomidae) has been used in ecotoxicological tests because it is sensitive to a variety of inorganic pollutants. Among the parameters used to evaluate the toxicity of a substance is the frequency of mentum deformity, which is part of the oral system of this organism. However, there is still no consensus on the baseline level (percentage) of acceptable deformities in laboratory cultures not exposed to pollutants. The determination of this variable is important to ensure the validity of bioassays and to compare cultures from different research and teaching institutions. Once this value is established, it will also be used to monitor the quality of organisms cultured, since factors such as inbreeding could increase the frequency of mentum deformity. Thus, the objective of this study was to quantify the percentage of mentum deformity in the fourth instar of C. sancticaroli larvae from the culture of the Laboratory of Aquatic Ecosystems, at Embrapa Meio Ambiente. The average frequency of mentum deformity obtained was 6,63%. It is believed that factors such as the renewal of the culture with the inclusion of spawns from the laboratories of other institutions, as well as the control of the quality of the dilution water and the sediment of the breeding may have contributed to a low frequency of mentum deformity of the culture observed in this study.
metadata.dc.description.abstractalternative: sensível a uma variedade de poluentes inorgânicos. Um dos parâmetros utilizados para avaliar a toxicidade de uma substância é a frequência de deformidade do mento, que faz parte do sistema oral deste organismo. Entretanto, ainda não há consenso a respeito do nível basal (porcentagem) de deformidade aceitável em culturas de laboratório não expostas a poluentes. A determinação desta variável é importante para assegurar a validade de bioensaios e comparar culturas de diferentes instituições de pesquisa e ensino. Uma vez estabelecido, este número também será usado para o controle da qualidade dos organismos criados, já que fatores como o endocruzamento poderiam aumentar a frequência de deformidade do mento. Assim, o objetivo deste estudo foi quantificar a porcentagem de deformidade do mento em larvas de quarto instar de C. sancticaroli de cultura do Laboratório de Ecossistemas Aquáticos da Embrapa Meio Ambiente. A média de frequência de deformidade obtida para a cultura foi de 6,63%. Acredita-se que fatores como a renovação da cultura com a inclusão de desovas de laboratórios de outras instituições, assim como o controle da qualidade da água de diluição e do sedimento da criação, podem ter contribuído para uma baixa frequência de deformidade do mento da cultura.
Subject: Poluentes
Mosquitos
Country: Brasil
Editor: Instituto de Pesquisas Ambientais em Bacias Hidrograficas (IPABHi)
Rights: Aberto
Identifier DOI: 10.4136/ambi-agua.2337
Address: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-993X2019000200316
Date Issue: 2019
Appears in Collections:IG - Artigos e Outros Documentos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S1980-993X2019000200316.pdf603.22 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.