Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/342888
Type: Artigo
Title: Batuques negros, ouvidos brancos: colonialismo e homogeneização de práticas socioculturais do sul de Moçambique (1890-1940)
Title Alternative: Black drums, white ears: colonialism and the homogenization of social and cultural practices in southern Mozambique (1890-1940)
Author: Pereira, Matheus Serva
Abstract: No artigo analiso como as práticas designadas genericamente como batuques passaram por um processo de homogeneização e de escrutinização por parte de diferentes agentes da ação colonial portuguesa. Por um lado, insistiu-se em unificar danças e músicas na categoria genérica de batuque; por outro, a necessidade de compreender os povos dominados acabou por produzir respostas coloniais que transitaram entre um destrinchar desse termo em busca de uma apuração mais fidedigna daquilo que se presenciava e uma incorporação dessas práticas na empresa colonial. Ao mesmo tempo, promoveu-se uma incorporação dessas práticas na empresa colonial. Esse processo foi concebido pelos agentes coloniais portugueses como forma de apropriação dessas danças, canções e músicas feitas pelos nativos do sul de Moçambique para positivação de um discurso nacionalista português
metadata.dc.description.abstractalternative: In this article, I analyse how practices referred to generically in the historical documentation as 'batuque' (drums) underwent a process of homogenization and scrutinization by diverse Portuguese colonial agents. On one hand, the colonial agents insisted on unifying everything they saw as dance and music under the generic category of 'batuque.' On the other hand, the need for a better understanding of the subordinate Africans ended up producing colonial responses that shifted between a dissection of the term in search of a more accurate apprehension of what was being observed and an incorporation of these practices into the colonial enterprise. This process was conceived by the colonial agents as a way of appropriating the dances, songs and music made by the natives of southern Mozambique into the ultramarine Portuguese nationalist discourse. © 2019, Associacao Nacional de Historia.No artigo analiso como as práticas designadas genericamente como batuques passaram por um processo de homogeneização e de escrutinização por parte de diferentes agentes da ação colonial portuguesa. Por um lado, insistiu-se em unificar danças e músicas na categoria genérica de batuque; por outro, a necessidade de compreender os povos dominados acabou por produzir respostas coloniais que transitaram entre um destrinchar desse termo em busca de uma apuração mais fidedigna daquilo que se presenciava e uma incorporação dessas práticas na empresa colonial. Ao mesmo tempo, promoveu-se uma incorporação dessas práticas na empresa colonial. Esse processo foi concebido pelos agentes coloniais portugueses como forma de apropriação dessas danças, canções e músicas feitas pelos nativos do sul de Moçambique para positivação de um discurso nacionalista português
Subject: Homogeneização
Country: Brasil
Editor: Associação Nacional de Historia
Rights: Aberto
Identifier DOI: 10.1590/1806-93472019v39n80-07
Address: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-01882019000100155
Date Issue: 2019
Appears in Collections:IFCH - Artigos e Outros Documentos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2-s2.0-85065596277.pdf651.94 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.