Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/341776
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Coordenadores de curso de graduação em enfermagem e os desafios à qualidade na formação universitária : mediações possíveis
Title Alternative: Course coordinators in nursing and the challenges to quality in high education : possible mediations
Author: Santos, Jackeline Cristiane, 1987-
Advisor: Sordi, Mara Regina Lemes de, 1955-
Abstract: Resumo: A invasão do campo educacional pelo empresariado tem, historicamente, trazido valores de mercado, desvirtuando a educação de seu papel de formação humana para o de mero recurso para ingresso no mercado de trabalho. No Brasil, essa realidade ganha relevo pela vigência de uma conjuntura política comprometida com o ideário liberal de cunho conservador. Assim, como coordenadores de graduação em Enfermagem têm enfrentado os desafios gestados na complexidade desse cenário? Esta tese visa analisar a compreensão de coordenadores de curso de graduação em Enfermagem quanto a possibilidades de mediação à qualidade na formação de enfermeiros. Especificamente, pretendemos compreender a percepção de coordenadores acerca dos desafios à construção da qualidade na formação universitária, além de apresentar o entendimento de membros da diretoria da Associação Brasileira de Enfermagem (ABEN), acerca do papel do coordenador e das expectativas endereçadas a esse papel. Para isso, realizamos um estudo de abordagem qualitativa, exploratório e de campo, para o qual foram entrevistados 28 coordenadores (atuantes no estado de São Paulo) e 7 membros vinculados à diretoria da ABEN. Para as entrevistas, utilizamos roteiros semiestruturados e os dados foram estudados à luz da análise de conteúdo de Bardin (1977). Identificamos que coordenadores movimentam-se entre desafios relacionados aos estudantes, aos docentes e a questões de cunho político-institucional, assumindo a complexidade da mediação, que nem sempre depende de sua atuação individual. Apontam problemas relacionados ao despreparo dos estudantes, bem como ao sofrimento psíquico que os acompanha, além de questões socioeconômicas. Alegam a precarização das condições de trabalho docente, as dificuldades para implementação de metodologias ativas e ainda a complexidade de atendimento às diretrizes curriculares, com destaque aos cenários de estágio, que dificultam a relação entre teoria e prática, necessária a uma formação voltada para o Sistema Único de Saúde (SUS). Coordenadores pronunciam-se em relação à falta de espaços formais de encontro, para a pactuação de acordos sintonizados com os requerimentos do Projeto Pedagógico do Curso. Ressentem-se de um apoio mais efetivo e concreto da ABEN, que lhes parece distante da realidade dos cursos, em especial dos situados em instituições afastadas dos grandes centros. Para o enfrentamento desses problemas, coordenadores ressaltam a importância da habilidade de negociação, bem como da adesão a iniciativas como os COAPES, Pró-Saúde e PET Saúde como possibilidade de redução do distanciamento ensino-serviço, bem como das barreiras à interprofissionalidade em cenários de estágio. A ABEN espera que o coordenador de curso atue com liderança democrática, sendo elo entre instâncias internas e externas à instituição de ensino. Ademais, entende que o coordenador deve estar comprometido com a formação para a transformação social, devendo atentar às diretrizes orientadoras da formação. Da pesquisa, concluímos a imprescindibilidade da atuação do coordenador para o êxito de mudanças curriculares orientadas pelo SUS, embora reconheçamos a inutilidade de depositar em único ator social a responsabilidade pelas transformações desejadas. A complexidade da atuação do coordenador convoca-o à assunção da posição de estrategista, utilizando as regras do jogo em favor do social e favorecendo a construção do sentido coletivo de um projeto educativo de cunho contra-hegemônico

Abstract: The invasion of the educational field by the business community has historically brought market values, distorting education from its role of human formation to that of a mere resource for entering the labor market. In Brazil, this reality is highlighted by the existence of a political situation committed to the liberal ideas of a conservative nature. So, how have nursing undergraduate coordinators faced the challenges generated by the complexity of this scenario? This thesis aims to analyze the understanding of coordinators of undergraduate nursing courses regarding the possibilities of mediating quality in the education of nurses. Specifically, we intend to understand the perception of coordinators about the challenges to building quality in university education, in addition to presenting the understanding of members of the board of the Brazilian Nursing Association (ABEN), about the role of the coordinator and the expectations addressed to this role. For this, we conducted a study with a qualitative, exploratory and field approach, for which 28 coordinators (working in the state of São Paulo) and 7 members linked to ABEN's board were interviewed. For the interviews, we used semi-structured scripts and the data were studied in the light of the content analysis of Bardin (1977). We identified that coordinators move between challenges related to students, teachers and issues of a political-institutional nature, assuming the complexity of mediation, which does not always depend on their individual performance. They point out problems related to students' unpreparedness, as well as the psychological suffering that accompanies them, in addition to socioeconomic issues. They claim the precariousness of the teaching work conditions, the difficulties in implementing active methodologies and the complexity of complying with the curriculum guidelines, with emphasis on the internship scenarios, which hinder the relationship between theory and practice, necessary for education focused on the Unified Health System. Coordinators comment on the lack of formal meeting spaces, for agreeing agreements in line with the requirements of the Pedagogical Course Project. They resent more effective and concrete support from ABEN, which seems distant from the reality of the courses, especially those located in institutions far from large centers. In order to face these problems, coordinators emphasize the importance of negotiation skills, as well as adherence to initiatives such as COAPES, Pró-Saúde and PET Saúde as a possibility to reduce the distance between teaching and service, as well as barriers to interprofessionality in work scenarios internship. ABEN expects the course coordinator to act with democratic leadership, being a link between internal and external instances to the educational institution. Furthermore, understands that the coordinator must be committed to education for social transformation, paying attention to the education guidelines. From the research, we concluded that the coordinator's role is essential for the success of curricular changes guided by SUS, although we recognize the uselessness of placing responsibility for the desired transformations in a single social actor. The complexity of the coordinator's performance calls for him to assume the position of strategist, using the rules of the game in favor of the social and favoring the construction of the collective sense of an educational project of a counter-hegemonic nature
Subject: Escolas - Organização e administração
Ensino superior
Enfermagem
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: SANTOS, Jackeline Cristiane. Coordenadores de curso de graduação em enfermagem e os desafios à qualidade na formação universitária: mediações possíveis. 2020. 1 recurso online (236 p.) Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, SP.
Date Issue: 2020
Appears in Collections:FE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Santos_JackelineCristiane_D.pdf1.42 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.