Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/335752
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Taxa de desenvolvimento e exigências térmicas de Chrysomya albiceps (Insecta, Diptera, Calliphoridae) sob alternância de temperaturas   : Taxa de desenvolvimento e exigências térmicas de Chrysomya albiceps (Insecta, Diptera, Calliphoridae) sob alternância de temperaturas  
Title Alternative: Taxa de desenvolvimento e exigências térmicas de Chrysomya albiceps (Insecta, Diptera, Calliphoridae) sob alternância de temperaturas  
Author: Smania, Thamiris Gomes, 1992-
Advisor: Thyssen, Patricia Jacqueline, 1973-
Abstract: Resumo: Os insetos e outros artrópodes, quando associados a corpos em decomposição, podem fornecer informações relevantes para o andamento ou conclusão de um processo investigativo. Indubitavelmente, a estimativa do intervalo pós-morte (IPM) tem sido uma das aplicações mais exploradas no âmbito forense. O IPM, quando baseado em dados entomológicos, pode ser calculado levando em conta os dados biológicos ou ecológicos dos insetos encontrados nos cadáveres. No que diz respeito à bionomia, o estudo da taxa de desenvolvimento influenciada pela temperatura ganha destaque em virtude dos insetos serem organismos ectotérmicos. Grande parte dos modelos de desenvolvimento disponíveis na literatura fazem referência à criação sob faixas de temperaturas constantes, não considerando as amplitudes térmicas diárias que poderiam gerar resultados distintos. Chrysomya albiceps (Wiedemann, 1819) (Insecta, Diptera, Calliphoridae) é uma das espécies necrófagas mais abundantes em corpos em decomposição, além de estar entre as primeiras colonizadoras. Assim, neste estudo objetivou-se avaliar as taxas de desenvolvimento e as exigências térmicas de imaturos de Chrysomya albiceps sob o efeito de temperaturas alternadas, em condições de laboratório. Colônias de C. albiceps foram estabelecidas em laboratório, a partir de adultos coletados em campo (22°82¿S: 47°07¿O), usando armadilhas contendo iscas putrefeitas. Ovos obtidos de fêmeas foram contados e transferidos para frascos com carne suína moída fresca (1 ovo/g) e mantidos em câmaras climáticas sob condições térmicas ajustadas. Todos os experimentos foram realizados em triplicatas. As seguintes faixas de temperatura (±1°C) foram testadas: Grupo I, 35¿20; Grupo II, 30¿15; Grupo III, 32,5¿22,5; Grupo IV, 27,5¿17,5; Grupo V, 30¿25; e Grupo VI, 25¿20. Durante o dia (7:00 às 19:00), os imaturos permaneceram em temperaturas mais altas e, à noite (19:00 às 07:00), sob as mais baixas. Paralelamente, os grupos experimentais, chamados controles, foram mantidos em temperaturas únicas (15, 17,5, 20, 22,5, 25, 27,5, 30, 32,5 e 35±1°C). A cada 12 h, 10 espécimes de cada grupo experimental foram retirados para mensuração da massa (mg) e comprimento (mm), desde a eclosão até a pupariação. O desenvolvimento ovo-adulto foi mais rápido no grupo V (240 h), seguido pelos grupos I (252 h), II e III (312 h), IV (384 h) e VI (420 h). Nas temperaturas mais baixa (15°C) e mais alta (35°C) foram registrados os intervalos de desenvolvimento de 672 h e 228 h, respectivamente. As taxas de sobrevivência foram superiores a 85% nos grupos II, IV e V e inferiores a 45% nos demais; nas temperaturas constantes, a maior (98%) e menor (1,3%) taxa foi observada nas temperaturas de 27,5 e 15ºC, respectivamente, assim é possível dizer que a temperatura ótima de desenvolvimento para C. albiceps é 27,5ºC. As constantes térmicas foram maiores (K= 1.111,1) nos grupos IV e VI, aqueles cujos pares de temperaturas testados estão abaixo da temperatura ótima. Essas discrepâncias nas taxas de desenvolvimento decorrem das adaptações fisiológicas dos insetos às diferentes condições ambientais. Em uma extrapolação para o campo forense, as observações aqui registradas apontam para um possível erro de estimativa do IPM, se o efeito da temperatura alternada for ignorado

Abstract: Insects and other arthropods, when associated with decaying bodies, may provide relevant information to the progress or completion of an inquiry process. Undoubtedly, postmortem interval estimation (PMI) is one of the most commonly explored methods in the forensic field. When based on entomological data, PMI is calculated considering biological or ecological data of the insects found in corpses. Regarding bionomy, the study of the temperature-influenced development rate, it is highlighted because insects are ectothermic organisms. Most of the development models available in the literature refer to breeding under constant temperature ranges, not considering the daily thermal amplitudes that could generate different results. Chrysomya albiceps (Wiedemann, 1819) (Insecta, Diptera, Calliphoridae) is one of the most abundant necrophagous species in decomposing bodies, and one of the first colonizers. Thus, this study aimed to evaluate the developmental rates and thermal requirements of immature Chrysomya albiceps under the effect of alternating temperatures in controlled conditions. C. albiceps colonies were established in the laboratory from field-collected adults (22 ° 82'S: 47 ° 07'O) using decayed baited traps. Eggs obtained from females were counted and transferred to flasks with fresh ground pork (1 egg/g) and kept in climatic chambers within adjusted thermal conditions. All experiments were performed in triplicate. The following temperature ranges (±1°C) were tested: Group I, 35¿20; Group II, 30¿15; Group III, 32.5¿22.5; Group IV, 27.5¿17.5; Group V, 30¿25; and Group VI, 25¿20. During the day (7:00 to 19:00), the immatures remained at the highest temperatures, and at night (19:00 to 07:00), the lowest. Meanwhile, the experimental groups, labelled as controls, were stored at specific temperatures (15, 17.5, 20, 22.5, 25, 27.5, 30, 32.5 and 35 ± 1°C). Every 12 h, ten specimens from each experimental group were removed to measure mass (mg) and length (mm) from hatching to pupariation. Egg-adult development was faster in group V (240 h), followed by group I (252 h), II and III (312 h), IV (384 h) and VI (420 h). At the lowest (15°C) and highest (35°C) temperatures, the development intervals of 672 h and 228 h, respectively, were recorded. Survival rates were above 85% in groups II, IV and V and below 45% in the others. At constant temperatures, the highest (98 %) and lowest (1.3 %) rates were observed at 27.5 and 15ºC, respectively. Therefore, it is possible to state that the optimal development temperature for C. albiceps is 27.5ºC. Thermal constants were higher (K= 1.111,1) in groups IV and VI, those whose temperature pairs tested were below the optimal temperature. These discrepancies in developmental rates result from the physiological adaptations of insects to different environmental conditions. In an extrapolation to the forensic field, the observations recorded here lead to a possible PMI estimation error if the alternating temperature effect is ignored
Subject: Estágios imaturos
Insetos necrófagos
Mosca-varejeira
Entomologia forense
Intervalo pós-morte
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: SMANIA, Thamiris Gomes. Taxa de desenvolvimento e exigências térmicas de Chrysomya albiceps (Insecta, Diptera, Calliphoridae) sob alternância de temperaturas  : Taxa de desenvolvimento e exigências térmicas de Chrysomya albiceps (Insecta, Diptera, Calliphoridae) sob alternância de temperaturas  . 2019. 1 recurso online (63 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia, Campinas, SP.
Date Issue: 2019
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Smania_ThamirisGomes_M.pdf1.11 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.