Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/335103
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Avaliação da relação entre exame audiométrico e sintomas auditivos e não auditivos de trabalhadores expostos a ruído ocupacional : Evaluation of the relationship between audiometric exams and auditive and non-auditive symptoms of workers exposed to occupational noise
Title Alternative: Evaluation of the relationship between audiometric exams and auditive and non-auditive symptoms of workers exposed to occupational noise
Author: Duarte, Alexandre Scalli Mathias, 1982-
Advisor: Crespo, Agrício Nubiato, 1958-
Abstract: Resumo: Introdução: Por muito tempo negligenciada, a importância da poluição ambiental pelo ruído vem aumentando progressivamente. A presença de som em ambiente pode ser desejável quando auxilia na comunicação, no relaxamento ou no entretenimento. A classificação de um som como desagradável é subjetiva e depende das preferências pessoais, de aspectos culturais, da atividade na qual está presente. O ruído está presente no nosso cotidiano, em utensílios domésticos, atividades comerciais, igrejas, casas noturnas, indústrias, grandes rodovias. Muitas vezes não opcional, a incorporação do ruído às nossas vidas como algo natural, pode se tornar bastante perigoso e nocivo para a saúde. Embora as pessoas tendam a habituar-se a exposição ao ruído, o grau de habituação difere entre os indivíduos. Torna-se mais problemático quando se trata de ruído no ambiente de trabalho. A exposição ao ruído, ocupacional ou não, pode causar alterações auditivas como hipoacusia, zumbido, dificuldade de compreensão da fala e hiperacusia e não-auditivas como irritação, distúrbios do sono e doenças cardiovasculares. Objetivo: Este estudo tem por objetivo avaliar trabalhadores expostos a ruído ocupacional, suas alterações audiométricas, queixas auditivas e queixas não auditivas e suas correlações utilizando as médias aritméticas dos limiares auditivos tonais das frequências 3, 4 e 6 kHz, em decibéis (NA). Avaliar a correlação das médias com o tempo de exposição ao ruído. Avaliar os reflexos estapedianos dos trabalhadores e suas correlações com as queixas auditivas: perda auditiva, dificuldade de entendimento de fala, hiperacusia e zumbido. Metodologia: Este é um estudo observacional com corte transversal com dados obtidos de prontuários médicos de trabalhadores avaliados em serviço de Otorrinolaringologia Ocupacional. Foram incluídos trabalhadores de empresas da região metropolitana de Campinas. Inicialmente foi realizada uma triagem dos exames audiométricos destas empresas realizados do período de 1998 a 2016, totalizando 18.973 exames. Foram excluídas as audiometrias com alterações não sugestivas de PAIR, com timpanogramas alterados, com tempo de repouso auditivo menor que 14 horas, com dados incompletos e audiometrias de trabalhadores de locais sem exposição a ruído. Foi utilizado apenas o exame mais recente de cada trabalhador, restando 3.550 audiogramas. Conclusão: A média dos limiares tonais das frequências 3, 4 e 6 kHz, em decibéis (NA), pode ser usada como forma de seguimento dos trabalhadores expostos ao ruído. Em todas as categorias analisadas houve aumento estatisticamente significante das médias aritméticas em 3, 4 e 6 kHz de acordo com o tempo decorrido. Em metalúrgicos com PAIR, as queixas auditivas mais prevalentes foram hiperacusia e dificuldade de entendimento de fala e as não auditivas foram cervicalgia e cefaleia. As queixas de perda auditiva e dificuldade de entendimento de fala apresentaram correlação estatística positiva com as médias aritméticas. As queixas não auditivas não apresentaram correlação estatisticamente significantes com as médias. As queixas perda auditiva, dificuldades para reconhecer a fala, irritação com sons intensos, zumbidos, faixa etária e tempo de exposição apresentaram correlação estatística positiva com a ocorrência de recrutamento de Metz, em 3 e 4 kHz

Abstract: Introduction: For a long time forgotten, the importance of environmental pollution by noise has been increasing progressively. The presence of surround sound may be desirable when it helps in communication, relaxation, or entertainment. The classification of a sound as unpleasant is subjective and depends on personal preferences, cultural aspects, the activity in which it is present. It is present in our daily lives, in household utensils, commercial activities, churches, nightclubs, industries, large highways. Often not optional, incorporating noise into our lives as something natural can become quite dangerous and harmful to health. Although people tend to become accustomed to exposure to noise, the degree of habituation differs between individuals. It becomes more problematic when it comes to noise in the work environment. Exposure to noise, occupational or otherwise, can cause auditory changes such as hearing loss, tinnitus, difficulty understanding speech, and hyperacusis and non-hearing, such as irritation, sleep disturbances and cardiovascular diseases. Objective: This study aims to evaluate workers exposed to occupational noise, their audiometric changes, auditory complaints and non-auditory complaints and their correlations using the arithmetic averages of the 3, 4 and 6 kHz tonal auditory thresholds in decibels (HL). Evaluate the correlation of means with the time of exposure to noise. To evaluate the stapedial reflexes of workers and their correlations with hearing complaints: hearing loss, difficulty understanding speech, hyperacusis and tinnitus. Methodology: This is an observational cross-sectional study with data obtained from medical records of workers evaluated in the Occupational Otorhinolaryngology service. Workers from companies in the metropolitan region of Campinas were included. Initially a screening of audiometric exams of these companies was carried out from 1998 to 2016, totaling 18,973 exams. We excluded audiometries with non-suggestive alterations of NIHL, with altered tympanograms, with auditory rest time of less than 14 hours, with incomplete data and audiometry of workers from sites without exposure to noise. Only the most recent exam of each worker was used, remaining 3,550 audiograms. Conclusion: The mean tonal thresholds of frequencies 3, 4 and 6 kHz, in decibels (HL), can be used as a follow-up for workers exposed to noise. In all the analyzed categories there was a statistically significant increase of the arithmetic averages in 3, 4 and 6 kHz according to the elapsed time. In metallurgists with NIHL, the most prevalent auditory complaints were hyperacusis and difficulty in understanding speech, and non-auditory complaints were neck pain and headache. The complaints of hearing loss and difficulty in understanding speech presented a positive statistical correlation with the arithmetic means. Non-auditory complaints did not present a statistically significant correlation with the means. The complaints of hearing loss, difficulties to understanding speech, irritation with loud sounds, tinnitus, age range and exposure time presented a positive statistical correlation with the occurrence of Metz recruitment at 3 and 4 kHz
Subject: Perda auditiva provocada por ruído
Language: Multilíngua
Editor: [s.n.]
Citation: DUARTE, Alexandre Scalli Mathias. Avaliação da relação entre exame audiométrico e sintomas auditivos e não auditivos de trabalhadores expostos a ruído ocupacional: Evaluation of the relationship between audiometric exams and auditive and non-auditive symptoms of workers exposed to occupational noise. 2019. 1 recurso online (121 p.). Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP.
Date Issue: 2019
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Duarte_AlexandreScalliMathias_D.pdf6.68 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.