Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/334914
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Perfil da osteodistrofia renal no Brasil : dados do registro brasileiro de biópsias ósseas - REBRABO
Title Alternative: Profile of renal osteodystrophy in Brazil : data from the Brazilian registry of bone biopsies - REBRABO
Author: Carbonara, Cinthia Esbrile Moraes, 1985-
Advisor: Oliveira, Rodrigo Bueno de, 1975-
Abstract: Resumo: INTRODUÇÃO: O distúrbio mineral e ósseo associado à doença renal crônica (DMO-DRC) compreende alterações histológicas ósseas, caracterizadas pelo termo osteodistrofia renal (OR). O impacto da OR em desfechos clínicos não é totalmente compreendido. O Registro Brasileiro de Biópsias Ósseas (REBRABO) é um banco de dados relacionados a informações de pacientes brasileiros com DMO-DRC que foram submetidos à biópsia óssea (BxO). OBJETIVOS: Descrever o perfil epidemiológico da OR e compreender o impacto da BxO no diagnóstico, tratamento e desfechos clínicos. MÉTODOS: Estudo clínico observacional, prospectivo incluindo 260 pacientes portadores de DMO-DRC que realizaram BxO no período de agosto/2015 a abril/2018 e foram seguidos por, no mínimo, 12 meses. Dados clínicos, laboratoriais e de histologia óssea foram analisados. Os desfechos clínicos analisados foram fratura não traumática, hospitalização e óbito. RESULTADOS: A idade média dos pacientes foi de 51 ± 12 anos, sendo 133 (51%) do sexo masculino, 105 (40%) da raça branca; 211 (89%) estavam em hemodiálise (HD), sendo os níveis séricos de paratormônio (PTH) de 217 (47¿636) pg/ml. A modalidade HD foi independentemente associada ao aumento do risco de dor óssea (OR:15,3; CI:1,274¿200; p=0,006), a qual era prevalente em 139 (53%) dos pacientes. Osteíte fibrosa ocorreu em 85 (51%), doença mista em 43 (26%), osteoporose em 77 (45%) e intoxicação por alumínio (Al) em 65 (38%) pacientes. No seguimento, pacientes com o diagnóstico de osteoporose apresentaram tendência para ocorrência de hospitalização, assim como aqueles com diagnóstico de intoxicação por alumínio (Al) para ocorrência de óbito. Regressão de COX evidenciou que a duração da doença renal crônica (DRC) foi um preditor independente para hospitalização (OR=1,004, CI:1,000¿1,009; p=0,03) e morte (OR=1,009, CI:1,002¿1,016; p=0,005). CONCLUSÕES: Tipos de OR, remodelação e mineralização óssea não tiveram associação com sintomas e desfechos clínicos; alta prevalência de intoxicação por Al foi detectada, a qual, conjuntamente com osteoporose, foram relacionadas a óbito e hospitalização, respectivamente; no entanto, apenas a duração da DRC foi fator preditor independente de desfechos

Abstract: BACKGROUND: Renal osteodystrophy (RO) is part of chronic kidney disease-mineral bone disorder (CKD-MBD). Overall impact of RO on outcomes is not fully understood. The Brazilian Registry of Bone Biopsy (REBRABO) is a database related to CKD-MBD patients who were submitted to bone biopsy. OBJECTIVES: We aim to describe the epidemiological profile of RO and to understand the impact of bone biopsy on diagnosis, treatment and outcomes. METHODS: A prospective, observational study, including 260 adult CKD-MBD patients, whose performed bone biopsy between August/2015-February/2018 and followed for at least 12 months. Clinical, laboratory, imaging and histological data were analyzed. Outcomes were non-traumatic bone fractures, hospitalization and death. RESULTS: Patients age was 51±12 yrs., being 133 (51%) male, 105 (40%) Caucasians; 211 (89%) were on hemodialysis treatment and serum PTH levels were 217 (47¿636) pg/mL. Hemodialysis increases the risk for bone pain (OR:15.3; CI:1.274¿200; p=0.006), which was prevalent in 139 (53%) patients. Osteitis fibrosa occurred in 85 (51%), mixed uremic osteodystrophy in 43 (26%), osteoporosis in 77 (44%) and aluminum intoxication in 65 (38%) patients. In the follow-up, patients with a diagnosis of osteoporosis showed a tendency for hospitalization, as well as those with a diagnosis of aluminum (Al) intoxication for the occurrence of death. Regression of COX pointed estimated duration of chronic kidney disease (CKD) as an independent predictor for hospitalization (OR=1.004, CI:1.000¿1.009; p=0.03) and death (OR=1.009, CI:1.002¿1.016; p=0.005). CONCLUSIONS: Specific type of RO, bone turnover and mineralization were not related to symptoms and outcomes; high prevalence of Al intoxication were detected, that together with osteoporosis were related to death and hospitalization; but only estimated duration of CKD independently predicted outcomes
Subject: Insuficiência renal crônica
Distúrbio mineral e ósseo na doença renal crônica
Osteoporose
Hospitalização
Morte
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: CARBONARA, Cinthia Esbrile Moraes. Perfil da osteodistrofia renal no Brasil: dados do registro brasileiro de biópsias ósseas - REBRABO. 2018. 1 recurso online (119 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP.
Date Issue: 2018
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Carbonara_CinthiaEsbrileMoraes_M.pdf2.09 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.