Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/334543
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Autoavaliação da qualidade da dieta e da quantidade ingerida de alimentos por adolescentes : estudo de base populacional do município de Campinas, São Paulo
Title Alternative: Self-evaluation of diet quality and perception of ingested quantity of food by adolescents : population based study of Campinas municipality, São Paulo
Author: Carvalho, Samantha Dalbosco Lins, 1991-
Advisor: Assumpção, Daniela de, 1982-
Abstract: Resumo: INTRODUÇÃO: A prevalência do excesso de peso tem aumentado nos últimos anos, o que ocorre paralelamente a mudanças no padrão de consumo alimentar da população, especialmente entre os adolescentes. Diante de modificações desfavoráveis na alimentação, a literatura é escassa em informações sobre a autoavaliação da qualidade da dieta e sobre a quantidade de alimentos ingeridos. OBJETIVO: Identificar a autoavaliação da qualidade da dieta e a percepção de comer mais do que deveria em adolescentes de 10 a 19 anos, do município de Campinas, São Paulo, Brasil. MÉTODOS: Foram utilizadas informações do Inquérito de Saúde (ISACamp 2014-2015) e do Inquérito de Consumo Alimentar (ISACamp-Nutri, 2015-16) ambas do município de Campinas-SP. Trata-se de estudos de corte transversal, de base populacional com amostra por conglomerados e em dois estágios: setor censitário e domicílio. RESULTADOS: No primeiro artigo "Qualidade da dieta segundo a autoavaliação de adolescentes: resultados do ISACamp-Nutri" realizou-se a caracterização da amostra para cada categoria da autoavaliação da qualidade da dieta dos adolescentes, classificada como muito boa/boa, regular e ruim/muito ruim. Foram calculadas as prevalências dos motivos de não considerar a qualidade da alimentação como muito boa/boa e as médias globais do Índice de Qualidade da Dieta Revisado (IQD-R) e de cada componente de acordo com as categorias de autoavaliação da qualidade da dieta. Foram analisadas 891 entrevistas que revelaram prevalências de autoavaliação da qualidade da dieta de 57,3% como muito boa/boa, 34,6% como regular e 8,1% como ruim/ muito ruim. Não comer ou comer pouca fruta, vegetal e cereal integral foram os motivos mais referidos pela população de não possuir uma alimentação muito boa/boa. O escore do IQD-R revelou-se significativamente menor nos que achavam a alimentação ruim (50,0 pontos), comparados aos que disseram muito boa/boa (55,4 pontos). O segundo artigo "Você acha que come mais do que deveria? Percepção de adolescentes de um município brasileiro" objetivou identificar as prevalências da percepção de comer em excesso e analisar as diferenças nos indicadores nutricionais da qualidade da dieta segundo a percepção. Foram avaliados 912 adolescentes e 35% deles diziam que comiam em demasia, com maior a prevalência entre os que se declaravam não brancos, que estavam com excesso de peso, que gostariam de mudar o peso, que faziam algo para emagrecer, que se autoavaliavam gordos e com qualidade da dieta ruim, com frequências de consumo superior de alimentos não saudáveis e inferior de alimentos saudáveis. Apenas 38,5% dos adolescentes com sobrepeso e 66,2% dos obesos relataram comer mais do que deveriam. A análise dos indicadores dietéticos relevou médias mais elevadas de energia, proteína total e vegetal, açúcar de adição e sódio nos que julgavam comer em excesso. CONCLUSÃO: Os resultados revelaram a incoerência entre a real qualidade da dieta dos adolescentes, avaliada pelo IQD-R, e a percepção que os adolescentes possuem a esse respeito, considerando os escores insatisfatórios deste índice. A compreensão dessas incoerências é de grande importância para a população e para os profissionais de saúde para que possam criar estratégias de promoção da alimentação saudável e da saúde dos adolescentes

Abstract: INTRODUCTION: The prevalence of overweight rates has increased in recent years, which occurs in parallel with changes in food consumption pattern of the population. In the face these unfavorable diet changes, the literature is scarce in information about the self-assessment of the diet quality and the amount of ingested food. OBJECTIVE: To identify the self-rated of diet quality and the perception of "eating more than they should" in adolescents from 10 to 19 years old, at Campinas, São Paulo, Brazil. METHODS: It were used data from the Health Survey (ISACamp 2014-2015) and the Food Consumption Survey (ISACamp-Nutri, 2015-16), both from the city of Campinas-SP. These are cross-sectional, population-based studies sampled in clusters and in two stages: census section and domicile. RESULTS: In the first article, "Quality of the diet according to the self-assessment of adolescents: results of the ISACamp-Nutri", the sample characterization for each category of the self-rated quality of the adolescents' diet was classified as very good/good, regular and poor/very poor. The prevalence of the reasons for not considering feeding quality as very good/good, each component of the Revised Diet Quality Index (IQD-R) according to the self-rated categories of diet quality and it¿s the overall average were calculated. A total of 891 interviews were analyzed, revealing a prevalence of 57.3% as Very good / good, 34.6% as regular and 8.1% as poor / very poor. Not eating or eating few fruits, vegetables and whole grains were the reasons most mentioned by the population of not having a very good / good diet. The IQD-R score was significantly lower in those who found the diet to be bad (50.0 points), compared to those who said very good / good (55.4 points). The second article "Do you think you eat more than you should? Perception of adolescents from a Brazilian municipality" aimed to identify the prevalence of overeating perception and to analyze differences in nutritional indicators of diet quality according to perception. A total of 912 adolescents were evaluated and 35% said they ate too much, with a higher prevalence among those who declared themselves to be non-whites, who were overweight, who wanted to change their weight, who did something to lose weight, who considered themselves fat and with poor diet quality, with higher consumption frequencies of unhealthy foods and lower of healthy foods. Only 38.5% of overweight and 66.2% of obese adolescents reported eating more than they should. The analysis of dietary indicators revealed higher amount of energy means, total protein, vegetable protein, added sugar and sodium in those who thought they were overeating. CONCLUSION: The results revealed the incoherence between the real quality of the adolescents' diet, evaluated by the IQD-R, and the adolescents' perception of it, considering the unsatisfactory scores of this index. Understanding these inconsistencies is important to the population and health professionals in order to design strategies focusing in the promotion of healthy eating and adolescent health
Subject: Adolescentes
Comportamento alimentar
Inquéritos sobre dietas
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: CARVALHO, Samantha Dalbosco Lins. Autoavaliação da qualidade da dieta e da quantidade ingerida de alimentos por adolescentes: estudo de base populacional do município de Campinas, São Paulo. 2019. 1 recurso online (129 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP.
Date Issue: 2019
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Carvalho_SamanthaDalboscoLins_M.pdf4.57 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.