Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/334533
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Anestesia geral com ou sem bloqueios da parede torácica : como melhorar a qualidade da recuperação pós-operatória nas cirurgias oncológicas de mama?
Title Alternative: General anesthesia with or without thoracic wall blocks : how can we improve the quality of postoperative recovery after oncological breast surgery?
Author: Drummond, Renata Muzzi, 1990-
Advisor: Carvalho, Vanessa Henriques, 1974-
Abstract: Resumo: Altas dosagens de opióides em cirurgias oncológicas podem acarretar elevada morbidade em decorrência de imunossupressão, metástases e recorrência tumoral. Os bloqueios regionais de parede torácica guiados por ultrassom vieram promover analgesia adequada durante e no pós-operatório de cirurgias oncológicas de mama, redução do consumo de opióides, melhora da qualidade pós-operatória, diminuição do tempo de internação hospitalar e melhor satisfação das pacientes. Foi desenvolvido no Centro Cirúrgico do Hospital da Mulher Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti (CAISM - UNICAMP), um ensaio clínico em 82 pacientes programadas para cirurgias eletivas oncológicas de mama, divididas aleatoriamente em 2 grupos: Grupo I: pacientes que receberam anestesia geral associada aos bloqueios peitoral tipo I (PEC I), peitoral tipo II (PEC II) e serrátil- intercostal, guiados por ultrassom e Grupo II: pacientes que somente receberam anestesia geral. Tivemos por objetivo avaliar, comparativamente, a recuperação pós-operatória nas cirurgias oncológicas de mama utilizando anestesia geral associada ou não aos bloqueios de parede torácica e comparar as 2 técnicas anestésicas nos termos de recuperação, segurança e todos os domínios da escala de qualidade de recuperação pós-operatória; quantificar a dor pós-operatória pela escala numérica visual da dor; avaliar quantitativamente o consumo de propofol e remifentanil no intra- operatório e avaliar quantitativamente o consumo de opióides no pós-operatório, o consumo de analgésicos para controle da dor pós- peratória, durante a permanência na sala de recuperação pós-anestésica e as vantagens da realização dos bloqueios PEC I, PEC II e serrátil-intercostal. Os sujeitos da pesquisa foram indivíduos do sexo feminino, maiores de 18 anos de idade, com diagnóstico de câncer de mama, e que foram submetidas cirurgias oncológicas de mama. Para comparar as variáveis categóricas entre os dois grupos foram utilizados os testes Qui-quadrado ou exato de Fisher (para valores esperados menores que 5), para comparação das variáveis numéricas utilizou-se o teste de Mann-Whitney, e para comparar os escores entre os grupos e tempos foi utilizada a análise de variância para medidas repetidas, seguida dos testes de Tukey e de perfil de contrastes, com variáveis transformadas em postos/ranks devido à ausência de distribuição normal. O nível de significância adotado para os testes estatísticos foi de 5%, ou seja, p < 0,05. Resultados: 82 pacientes foram randomizadas entre os dois grupos, das quais 40 fizeram parte do grupo I e 42 do grupo II. 2 pacientes foram excluídas do grupo I, totalizando 38 pacientes no grupo caso. Os parâmetros hemodinâmicos foram menores no intra e pós-operatório e encontrou-se maiores valores de frequência respiratória e saturação de oxigênio na alta da recuperação pós-anestésica (RPA) nas pacientes do grupo I. Não houve diferença estatística no consumo de anestésicos intraoperatórios (propofol e remifentanil) entre os dois grupos. No entanto, houve maior consumo de opioides durante a recuperação pós-anestésica e maior tempo até à alta das pacientes do grupo II. Conclusão: Os bloqueios de parede torácica foram associados a melhor comportamento hemodinâmico e ventilatório, menor consumo de opioide pós-operatório e diminuição do tempo de RPA, garantindo uma melhor qualidade de recuperação pós-cirúrgica

Abstract: High dosages of opioids used in oncological surgeries may cause elevated morbidity due to imunossupression, metastasis and tumoral recurrance. Ultrasound guided regional blocks of the thoracic wall were designed to promote adequate analgesia during surgery and at the postoperative period of breast surgery, to reduce the opioid consumption, to decrease hospital length of stay, to improve patient satisfaction. A clinical trial was developed at the surgical center of the Hospital da Mulher Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti (CAISM ¿ UNICAMP), with 82 patients scheduled for elective oncological breast surgery, divided randomly between two groups. Group 1: patients that received general anesthesia combined with ultrasound guided pectoral block type I, type II and serratus plane block; and Group 2: patients that received general anesthesia alone. Our goal was to evaluate, comparatively, the postoperative recovery of oncological breast surgery using general anesthesia with or without thoracic wall blocks and compare the two anesthesia techniques regarding recovery, safety and all domains of the scale of quality of postoperative recovery; quantify post-operatory pain through the pain visual analog scale; quantify the consumption of propofol and remifentanyl during intraoperative care and the postoperative consumption of opioids and analgesics for pain control at the postanesthesia care unity; the advantages of the execution of the pectoral type I and II, and serratus plane blocks. The research subject were female individuals, over 18 years of age, with diagnosed breast cancer and that were subjected to oncological breast surgery. The categorical variables were compared between the two groups using the Chi-squared test or Fisher¿s exact test (for values lower than 5), for the numerical variables the Mann-Whitney test was used, and to compare the time and scores between the groups the repeated measures design was applied, followed by the Tukey and contrast tests, with the variables transformed in posts/ranks due to the absence of normal distribution. The significance level adopted for the statistical tests was of 5%, or, p < 0,05. Results: 82 patients were randomized between the two groups, 40 to group I and 42 to group II. Out of the 40 patients of group I two were excluded, totalizing 38 patients evaluated in the case group. Lower hemodynamics values (Medium arterial Pressure ¿ MAP; and heart rate ¿ HR) were found in M2 and M4, and higher respiratory rate (RR) and oxygen saturation at M4 (at discharge from Post Anesthesia Care Unit ¿ PACU) among the patients from group I. There were no statistical difference of the consumption of intraoperative anesthetics (propofol and remifentanil) between the two groups. However, there was higher necessity for opioids and longer time until discharge at PACU on the patients from group II. Conclusion: The thoracic wall blocks were associated with better hemodynamic and ventilatory stability, lower consumption of opioids postoperatively and faster time to discharge of the PACU, guaranteeing a better quality of postsurgical recovery
Subject: Bloqueio nervoso
Neoplasias da mama
Período de recuperação da anestesia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: DRUMMOND, Renata Muzzi. Anestesia geral com ou sem bloqueios da parede torácica: como melhorar a qualidade da recuperação pós-operatória nas cirurgias oncológicas de mama?. 2019. 1 recurso online (69 p.). Dissertação (mestrado profissional) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP.
Date Issue: 2019
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Drummond_RenataMuzzi_MP.pdf2.67 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.