Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/334531
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: O encontro entre a arkhaía paideía e a escrita e seus desdobramentos no Fedro de Platão
Title Alternative: The meeting between the arkhaía paideía and writing and its developments in Plato's Phaedrus
Author: Caputo, Rafael dos Santos, 1982-
Advisor: Silveira, Renê José Trentin, 1963-
Abstract: Resumo: Leitura da filosofia da educação proposta no Fedro de Platão a partir da presença nesse diálogo de uma crítica à escrita e do uso de estratégias didáticas da paideia arcaica tradicional. Através de pesquisa bibliográfica, tais elementos, a paideia tradicional e a escrita, são, em um primeiro momento, postos em relação entre si a partir do seu desenvolvimento histórico contextualizado pela cultura grega arcaica. E, em um segundo momento, é analisada, no diálogo em foco, a presença desses mesmos elementos, levando em consideração as funções que ali exercem na descrição da paideia filosófica, com suas respectivas ressignificações simbólicas a partir dos objetivos almejados por essa paideia. A paideia arcaica tradicional é compreendida principalmente por sua função paradigmática de promover um ideal de homem através de um modelo de nobreza realizado mediante a disputa pela supremacia por meio das ações e do bom uso das palavras. Este modelo foi socialmente difundido pelos mitos, principalmente nas figuras heroicas presentes nos poemas épicos de Homero e Hesíodo, mas também através da estratégia didática da associação (synousía) entre um homem mais velho e um jovem com a finalidade de transmitir os valores e as habilidades necessárias para a realização desse ideal. A synousía era entendida como uma instituição sob o controle familiar que visava promover a paideia de um jovem, podendo ser praticada, em determinadas circunstâncias, através de um vínculo afetivo erótico entre o jovem aprendiz e seu mestre, recebendo, nesse caso, o nome de pederastia. A synousía, em todas as suas modalidades, teve diminuída sua importância em Atenas a partir do século IV a.C. com a profissionalização da formação superior dos jovens promovida pela paideia dos sofistas. Concomitante ao declínio da synousía ocorreu também uma gradual institucionalização do uso da escrita alfabética na cultura grega que, desde sua introdução por volta do século VIII a.C., foi empregada progressivamente nas instituições da cidade grega até a intensa burocratização da administração pública na democracia radical no final do Arcaico. Com a democracia, a escrita tornou-se indispensável para a atuação política, constituindo-se em um dos principais elementos da nova paideia proposta pelos sofistas. No Fedro de Platão, há uma descrição da pederastia, praticada segundo a filosofia, como um rito de iniciação com a finalidade de tornar os amantes semelhantes a um deus e capacitando-os para alcançar as reminiscências dos Seres verdadeiros contemplados pela alma antes de nascer em um corpo material. Já a escrita adquire um papel secundário na paideia filosófica. O filósofo é caracterizado como aquele que reserva as coisas de maior valor para o ensinamento oral dialético, não reconhecendo em seus escritos uma função legitimamente educativa. O uso adequado da estratégia didática da associação pederástica e da escrita aparecem como elementos definidores da paideia filosófica proposta por Platão no Fedro, ainda que adaptados aos novos objetivos pertinentes a essa paideia

Abstract: Reading of the philosophy of education proposed in Plato's Phaedrus from the presence in this dialogue of a critique of writing and the use of didactic strategies of traditional archaic paideia. Through bibliographic research, these elements, the traditional paideia and the writing, are, at first, put in relation with each other from their historical development contextualized by the archaic greek culture. And, in a second moment, the presence of these same elements is analyzed in the dialogue in focus, taking into account the functions that they exert in the description of the philosophical paideia, with their respective symbolic resignifications based on the goals sought by this paideia. The traditional archaic paideia is understood mainly by its paradigmatic function of promoting an ideal of man through a model of nobility realized in the dispute for the supremacy by actions and the good use of the words. This model was socially diffused by the myths, mainly in the heroic figures present in the epic poems of Homer and Hesiod, but also through the didactic strategy of the association (synousía) between an older man and a young man with the purpose of transmitting the values and the skills needed to achieve this ideal. Synousía was understood as an institution under the family control that aimed to promote the paideia of a young person, and could be practiced, under certain circumstances, through an erotic affective bond between the young apprentice and his master, receiving, in this case, the name of pederasty. Synousía, in all its modalities, was diminished in importance in Athens from the fourth century BCE with the professionalization of the higher education of the young, promoted by the paideia of the sophists. Concomitant with the decline of synousía there was also a gradual institutionalization of the use of alphabetic writing in greek culture which, from its introduction around the eighth century BCE, was progressively employed in the institutions of the greek city to the intense bureaucratization of public administration in the radical democracy at the end of the Archaic. With democracy, writing became indispensable for political activity, constituting itself in one of the main elements of the new paideia proposed by the sophists. In Plato's Phaedrus there is a description of pederasty, practiced according to philosophy, as a rite of initiation for the purpose of making lovers like a god and enabling them to attain the reminiscences of the true Beings contemplated by the soul before being born in a material body. Writing, however, acquires a secondary role in philosophical paideia. The philosopher is characterized as one who reserves the things of greater value for the oral dialectical teaching, not recognizing in his writings a legitimately educational function. The proper use of the didactic strategy of the pederastic association and writing appear as defining elements of the philosophical paideia proposed by Plato in the Phaedrus, although adapted to the new objectives pertinent to this paideia
Subject: Platão
Fedro
Grupo de Estudos e Pesquisas Paideia
Escrita
Oralidade
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: CAPUTO, Rafael dos Santos. O encontro entre a arkhaía paideía e a escrita e seus desdobramentos no Fedro de Platão. 2019. 1 recurso online (119 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, SP.
Date Issue: 2019
Appears in Collections:FE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Caputo_RafaelDosSantos_M.pdf625.83 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.