Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/334328
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Sintaxe e diacronia da expressão de futuridade no PB
Title Alternative: Syntax and Diachrony of the expression of futurity in BP
Author: Araújo-Adriano, Paulo Ângelo de, 1995-
Advisor: Cyrino, Sonia Maria Lazzarini, 1957-
Abstract: Resumo: A expressão de futuridade no português brasileiro (PB) tem sido amplamente estudada sob o viés da sociolinguística variacionista e do funcionalismo. Esta dissertação investiga sob uma abordagem formal a expressão de futuridade, além de correlacionar mudanças sintáticas referentes à analiticização do tempo futuro ao longo do tempo. Assim, foram analisadas peças de teatro brasileiras dos séculos XVI, XVII, XVIII, XIX, XX e XXI com o objetivo de descrever como a expressão de futuro está e foi codificada na estrutura sintática ao longo do tempo. Tomam-se como objetivos específicos (i) delinear o percurso histórico da realização do futuro no PB, sob a perspectiva da Gramática Gerativa; (ii) verificar como e quais mudanças sintáticas ocorreram ao longo da história do PB referentes às expressões de futuridade e (iii) propor estruturas sintáticas para as variantes de futuro: (a) forma sintética; (b) `haver¿ + infinitivo; (c) `ir¿ + infinitivo. A dissertação está inserida nos pressupostos do Programa Minimalista (CHOMSKY, 1995) e dos seus desdobramentos mais recentes (PESETSKY & TORREGO, 2007; ROBERTS & ROUSSOU, 2003; ROBERTS & BIBERAUER, 2009; entre outros). Diante disso, as hipóteses norteadoras da dissertação vão em uma direção em que a preferência pela forma perifrástica à forma sintética teria ocorrido em meados do século XIX e, como várias outras mudanças ocorridas no PB neste período, isso teria diminuído a posição de pouso para onde o verbo se moveria. A análise dos dados mostra que a forma `haver-de¿ + infinitivo e futuro sintético perderam força no sistema a partir do século XVIII, quando a forma `ir¿ + infinitivo ganhou espaço. É no fim do século XIX que se verificou a mudança, uma vez que há uma queda drástica da forma sintética em detrimento da forma `ir¿ + infinitivo. Além disso, mostra-se que o percurso de gramaticalização do verbo `ir¿ ocorreu em três estágios: (1) `ir¿ lexical; (2) `ir¿ lexical e `ir¿ prospecção e (3) `ir¿ lexical, `ir¿ prospecção e `ir¿ irrealis/futuridade. Quanto à mudança estrutural, observou-se que, a partir da presente proposta, da passagem da forma sintética (`farei¿) para a sua forma perifrástica (`vou fazer¿) foi possível verificar perda de movimento verbal para uma posição mais alta da estrutura sintática, muito embora o movimento ainda ocorra (para uma posição mais baixa na estrutura). Em síntese, concluiu-se que o processo de analiticização verbal parece de fato restringir o escopo do movimento verbal

Abstract: The expression of futurity in Brazilian Portuguese (BP) has been extensively studied under a bias of the sociolinguistic variation and functionalism. This dissertation investigates, under a formal approach, the expression of futurity, in addition to correlating syntactic changes regarding its analyticization over time. To this end, popular Brazilian plays from the XVI, XVII, XVIII, XIX, XX, XX and XXI centuries were analyzed so as to describe how the expression of the future is and has been codified in the syntactic structure during this period. Our specific objectives are: (i) to outline the historical course of the realization of the future in BP, within the framework of the Generative Grammar; (ii) to verify how and what syntactic changes occurred throughout the history of BP related to the expressions of futurity and (iii) to propose syntactic structures for future variants: (a) synthetic form; (b) 'haver' + infinitive; (c) 'ir' + infinitive. The thesis adopts the assumptions of the Minimalist Program (CHOMSKY, 1995b) and its more recent developments (PESETSKY & TORREGO, 2007; ROBERTS & ROUSSOU, 2003; ROBERTS & BIBERAUER, 2009; among others). Therefore, the hypothesis guiding the dissertation goes in a direction in which the preference for the periphrastic form to the synthetic form would have occurred in the middle of the XIX century and, as several other linguistic changes occurred in the BP in this period, it would have shortened the landing site of the verb. The analysis of the data shows that 'haver-de' + infinite and synthetic future form were weakened in the system starting in the eighteenth century when the 'ir' + infinitive form gained space. It was at the end of the nineteenth century that the change took place since there is a dramatic decrease in the use of the synthetic form in detriment of the 'ir' + infinitive form. In addition, it is shown that the grammaticalization path of the verb 'ir' occurred in three stages: (1) lexical 'ir'; (2) lexical 'ir' and 'ir' conveying prospection and (3) lexical 'ir', 'ir' conveying prospection and 'ir' conveying irrealis/futurity. As for structural changes, our proposal shows that, from the synthetic form ('farei') to its periphrastic form ('eu vou fazer¿), there was loss of verbal movement to a higher position of the syntactic structure, although the movement still occurs (to a lower position). In summary, we concluded that the process of verbal analyticity seems in fact to restrict the scope of the verbal movement
Subject: Futuridade (A palavra)
Futuro (A palavra)
Língua portuguesa - Brasil
Língua portuguesa - Sintaxe
Lingua portuguesa - Gramatica gerativa
Lingua portuguesa - Tempo verbal
Linguística histórica
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: ARAÚJO-ADRIANO, Paulo Ângelo de. Sintaxe e diacronia da expressão de futuridade no PB. 2019. 1 recurso online (206 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas, SP. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/334328. Acesso em: 3 jul. 2019.
Date Issue: 2019
Appears in Collections:IEL - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Adriano_PauloAngeloDeAraujo_M.pdf26.47 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.