Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/333891
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: O rural produtivo paulista : ocupação territorial, vulnerabilidades e mudanças climáticas
Title Alternative: The productive rural of São Paulo/Brazil : territorial occupation, vulnerabilities and climate change
Author: Roque, Antoniane Arantes de Oliveira, 1981-
Advisor: Rocha, Jansle Vieira, 1961-
Abstract: Resumo: O Estado de São Paulo apresenta uma economia bastante diversificada, e possui o maior Produto Interno Bruto (PIB) dentre os estados brasileiros, representando uma economia comparável a diversos países do mundo, e está integrada a diferentes fóruns e iniciativas globais para tratar de questões ambientais. O setor agropecuário possui expressivo peso em sua economia, sendo a renda gerada correspondente em média a 10,2% da atividade agropecuária nacional. Haja vista a importância deste Estado no cenário nacional, a presente tese busca aliar a análise da ocupação territorial pelas explorações agropecuárias, com o perfil socioeconômico dos envolvidos neste segmento da economia, visando trazer elementos de análise para entendimento de seu atual estágio, e ainda verificar o papel da mesma, frente as atuais projeções de mudanças climáticas. Dados do Levantamento censitário das Unidades de Produção Agropecuárias (LUPA), foram correlacionados com outras bases de informações geográficas do território paulista, dentro de um ambiente de Sistema de Informação Geográfica (SIG). Buscou-se quantificar a evolução da ocupação territorial agropecuária e o perfil do produtor, sua relação espacial com as áreas urbanizadas, quais as variáveis que o tornam em maior ou menor medida vulneráveis às mudanças climáticas, e o impacto deste modelo de exploração em dois cenários futuros na alteração do clima global. Obteve-se um diagnóstico de alterações expressivas nos últimos 22 anos de ocupação agropecuária em São Paulo, sendo atualmente oito principais ocupações do solo, uma ligada a produção pecuária (pastagens), três voltadas a culturas alimentícias e bioenergéticas (cana-de-açúcar, soja e milho), uma de produção florestal (eucalipto), duas de culturas perenes (laranja e café), e vegetação natural. Minifúndios e pequenas propriedades representam 84,8% do total de propriedades e ocupam 28,3% do território rural, sendo responsáveis pela produção de culturas voltadas a alimentação. Os latifúndios exploram 45,2% do território rural, ligadas em sua maioria a monoculturas. A agricultura periurbana corresponde a 7,5% da área física total do Estado, e a agropecuária realizada nesses espaços é ligada diretamente a produção de olerícolas e possui impacto direto no perfil econômico do produtor que ocupa estes espaços. A vulnerabilidade agrária-socioambiental em São Paulo é alta, sendo as questões sociais e econômicas apontadas como as principais para a adaptação do produtor rural num cenário de mudanças climáticas. Os cenários paulistas ligados a questões de produção agropecuária e ocupação do solo, demonstraram que a produção bioenergética é capaz de suprir a demanda por energia, agindo como redutor de emissão de Gases do Efeito Estufa (GEE), deixando espaço para a recuperação das matas. Concluiu-se que as políticas públicas voltadas ao setor, ajudaram a definir o atual estágio de ocupação do território, e apresentam uma atual mudança de paradigma, voltado a práticas integradas de produção e conservação do ambiente. A metodologia criada para definição da agricultura periurbana mostrou-se válida nas análises dos padrões de ocupação, mostrando que existe um perfil diferenciado da agricultura realizada nestes espaços, carente de políticas públicas específicas. A metodologia adotada para setorização dos níveis de vulnerabilidade agrária-socioeconômica, permite que políticas públicas de adaptação às mudanças climáticas sejam tratadas de maneira hierarquizada e específica para os diferentes perfis de agricultores no Estado. A gestão do setor agropecuário possui potencial de significativa geração de energia a partir de fontes renováveis, principalmente as advindas das culturas bioenergéticas, aliando-se produção alimentar e energia, numa perspectiva de significativa contribuição na manutenção do aumento da temperatura global em até 2°C até o ano de 2050. Os cenários apresentados demonstram a importância de investimentos no setor, pois trazem efetivas diminuições nas emissões de GEE. São Paulo e sua atuação internacional podem ser exemplo para outras regiões do planeta, em sistemas que integrem tecnologias e técnicas para o crescimento da produção agropecuária, aliadas a conservação das matas e vegetações naturais

Abstract: The State of São Paulo has a very diversified economy, with the largest Gross Domestic Product (GDP) among the Brazilian states, representing an economy comparable to several countries in the world, and is integrated into different forums and global initiatives to address environmental issues. The agricultural sector is very important in its economy, with the income generated corresponding to an average of 10.2% of the national agriculture activity. Given the importance of this State in the national scenario, this thesis seeks to combine the analysis of territorial occupation, with the socioeconomic profile of those involved, aiming to bring elements of analysis to understand their current stage, and also verify the role of it, in the face of current projections of climate change. Data from the Census LUPA were correlated with other geographic information bases of the territory of São Paulo, within a Geographic Information System (GIS) environment. It was sought to quantify the evolution of land use and the profile of the producer, its spatial relationship with the urbanized areas, which variables make it more or less vulnerable to climate change, and the impact of this exploration model in two scenarios climate change. It was obtained a diagnosis of significant changes in the last 30 years of land use, being currently eight main occupations of the soil, one linked to livestock production (pastures), three focused on food crops and bioenergetics (sugarcane, soybean and corn), a forest production (eucalyptus), two perennial crops (orange and coffee), and natural vegetation. Small farms represent 84.8% and occupy 28.3% of the rural territory, being responsible for the production of crops for food. The latifundios exploit 45.2% of the rural territory, mostly linked to monocultures. Peri-urban agriculture corresponds to 7.5% of the total physical area of the State, and the agriculture carried out in these spaces is directly linked to the oleraceus crops. The agrarian-social-environmental vulnerability in São Paulo is high, with social and economic issues being pointed out as the main ones for the adaptation of rural producers in a scenario of climate change. The São Paulo scenarios showed that bioenergy production is capable of supplying energy demand, acting as a greenhouse gas emission reductor, leaving space for the recovery of the forests. It was concluded that public policies aimed at the sector helped define the current stage of land use, and present a paradigm shift, focused on integrated practices of production and conservation of the environment. The methodology established for the definition of peri-urban agriculture was valid in the analysis of occupancy patterns, showing that there is a differentiated profile of the agriculture carried out in these spaces. The methodology adopted for the agrarian-social-environmental vulnerability allows public policies for adaptation to climate change to be treated in a hierarchical and specific way for the different profiles of farmers in the State. The management of the agriculture sector has the potential of significant energy generation from renewable sources, especially those from bioenergy crops, combining food production and energy, in a perspective of significant contribution in maintaining the global temperature increase by up to 2 °C until the year 2050. The scenarios presented demonstrate the importance of investments in the sector, because they bring effective decreases in GHG emissions. São Paulo and its international performance can be an example for other regions of the planet, in systems that integrate technologies and techniques for the growth of agricultural production, together with the conservation of forests and natural vegetation
Subject: Agricultura urbana - São Paulo (SP)
Vulnerabilidade
Mudanças climáticas
Agricultura - Aspectos ambientais
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: ROQUE, Antoniane Arantes de Oliveira. O rural produtivo paulista: ocupação territorial, vulnerabilidades e mudanças climáticas. 2019. 1 recurso online (244 p.). Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, SP.
Date Issue: 2019
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Roque_AntonianeArantesDeOliveira_D.pdf9.29 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.