Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/333797
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Por uma historia de uma dor : mentalidades medicas, neonatologistas e a dor em recem-nascido
Author: Rivorêdo, Carlos Roberto Soares Freire de, 1950-
Advisor: Moysés, Maria Aparecida Affonso, 1949-
Abstract: Resumo: Utilizando a noção histórica de mentalidades coletivas este estudo parte de alguns princípios. Primeiramente, que o processo saúde/doença em humanos constitui-se com determinantes das diversas esferas do vivido. Em seguida que, como fenômeno humano, está datado no tempo e no espaço, sendo, portanto, histórico. Por fim, que a compreensão do fenômeno saúde/doença difere da perspectiva dos sujeitos, quando médicos ou quando doentes, no primeiro caso, visto com um olhar a partir do qual se estrutura um campo do conhecimento sobre a saúde e a doença - a Medicina; no caso dos sujeitos doentes, de uma experiência própria única, apenas perceptivel por ele que sofre. O estudo 'se desenvolve sob a ótica da História e pretende esclarecer, ao menos parcialmente, as redes articuladas que envolvem os neonatologistas e sua prática, a Neonatologia e seu conhecimento organizado historicamente sob o olhar da Clinica e os recém-nascidos com sua dor, seres possiveis de serem compreendidos a partir de redes de captação que a sociedade torna viáveis, sob os condicionantes da história. A preocupação central da pesquisa, portanto, é a forma pela qual o episódio d,a dor em recém-nascidos e as articulações das atitudes mentais em relação ao corpo e em relação ao próprio recém-nascido são compreendidas pelos pediatras que a eles se dedicam, ou seja, os neonatologistas. O estudo apresenta uma revisão teórica tentando delimitar o mais possível a noção de mentalidades coletivas e sua utilização para pesquisas em saúde; desenvolve uma história possível da clínica e da dor e se completa por uma análise temática de documentos escritos e a partir de depoimentos de neonatologistas. As abordagens metodológicas qualitativas foram as selecionadas como caminho para a concretização do estudo. Nestas abordagens, optou-se pela realização de entrevistas semi-estruturadas e pela análise temática acerca de cada um dos elementos que constituem atitudes mentais em relação ao objeto da prática médica e sua variante para a dor em recém-nascidos. Da análise, foi possível percebes: ;t circunscrição da prática médica como prática social, a variação nas concepções da' dor em recém-nascidos, que diz respeito diretamente às atitudes mentais em relação a esta etapa da vida humana, a persistência do sentimento ocidental da Infância no discurso emitido, seja oralmente, seja por escrito. Por fim, surgiu a valorização da sobrevida dos recém-nascidos, cada vez mais freqüente em nossos dias, como motivo de valorização dos fenômenos do corpo, entre eles a dor possível de ser apreendida pelos sujeitos. Contudo, o mesmo olhar, ditado pelas mentalidades médicas e oriundo de dois séculos de prática e de conhecimento médico, persiste dando o tom das relações entre os médicos (no caso os neonatologistas) e o objeto de sua prática, o co'rpo humano doente (no caso, os recémnascidos que sofrem dor).

Abstract: Using the historical notion of collective metalities, this study starts out on some principies. Firstly, that health-sickness process inhumans is constituted with detenninants of several spheres of the living. Then, as a human phenomenon, it is dated on time and space, being, consequently, historical. Finally, that the comprehension of healthsickness process differs over the subject's perspective when medics ou patients; inthe first case, seen with a looking from wich a field of knowledge on health and sickness is structured - the Medicine; in the case ot sick persons, trom an unique proper experience, only perceptible by the one who suffers. The study is devveloped with the approach oh History and intends to clarify, even partially, the articulated nets wich involve neonatologists and their practice, Neonatology and its knowledge, historically organized under the look ot Clinics and the newbom babies with their pain, beings to be comprehend from the capture nets wich society makes viable, under the conditionings of history. 50, the central worry of the research is the way wich thw episode of pain in newbom babies and the articulations of mental aptitudes conceming on the body and the newbom babies itself are comprehended by the pediatricians who dedicate themselves to them, the neonatologists. The study presents a theoretical review trying to delimit the most pssible the notion of collectivef!lentalities and their utilization for researches in health; develops a possible history of the clinies and the pain and is completed by a thematic analysis of written documents and tstimonies of neonatologists. The qualitative methodological appraches were selected as way tothe accomplishment of the study. In these approaches, one has opted on the developmente of half-structured interviews and on thematic analysis over each one of the elements wich constitute aptitudes concemin on the object of medical practice and its variant to the pain in newboms babies. From the analysis, it was possible to realize the circumscription of medicar practice as a social practice, the variation in conception of pain in newbom babies, wich is directly related to mental aptitudes conceming this phase of human life, the [ersistence of the feeling of infancy in the given speech, oral or written. Finally, the valuation on the survival of the newbom babies appeared, more frequently in our days, as a reason for valuation of the phenomena of body, among them the pain possible to be apprehended by the subjects. However, the same look, dictadted by medical mentalities and originated from two centuries of medical practice and knowledge, persists setting the tone of the relations between medics (in this case, the neonatologists) and the object of his practice, the sick human body (in this case, of the newbom babies who suffer from pain).
Subject: Recém-nascidos - Cuidados médicos
Neonatologia
Dor
História social
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: RIVORÊDO, Carlos Roberto Soares Freire de. Por uma historia de uma dor: mentalidades medicas, neonatologistas e a dor em recem-nascido. 1996. 262f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas, Campinas, SP.
Date Issue: 1996
Appears in Collections:FCA - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Rivoredo, Carlos Roberto Soares Freire de_D.pdf6.17 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.