Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/333775
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Densidade mineral ossea em pacientes com lupus eritematoso sistemico e sua relação com niveis estrogenos
Author: Coimbra, Ibsen Bellini, 1959-
Advisor: Costallat, Lilian Tereza Lavras, 1952-
Abstract: Resumo: Os objetivos deste estudo foram: avaliar a densidade mineral óssea por dupla emissão de fotons em pacientes com LES do sexo feminino comparadas à uma população de mulheres normais, medidas no colo do remur, triângulo de Ward, trocânter e coluna lombar; relacionar a perda de massa óssea em pacientes com LES, com a dose cumulativa de corticosteróides (CE) e drogas citostáticas utilizadas e, avaliar a influência dos níveis séricos de estradiol na fase folicular com a perda de massa óssea. Foram estudadas 60 pacientes com LES do sexo feminino, com mais de um ano de doença, acompanhadas no ambulatório de LES da disciplina de Reumatologia da Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP, todas na pré-menopau~a. O grupo controle foi constituído por 64 mulheres sadias. Todas as mulheres foram submetidas a uma avaliação da densidade mineral óssea, através de densitometria por dupla emissão de fótons em coluna lombar e remur proximal. Considerou se como tendo perda de massa óssea as pacientes que apresentassem um desvio padrão do adulto jovem menor que -1g1cm2em qualquer uma das regiões estudadas. Todas foram submetidas à dosagem plasmática de estradiol. Foram calculadas as doses cumulativas de corticosteróides, bem como a dose utilizada na avaliação. Idade, idade de início da doença, tempo de doença, índice de massa corpórea (!MC), tabagismo, uso concomitante de outras drogas citostáticas e atividade de doença foram analisadas. A idade média das pacientes foi 32,87 anos e do grupo controle, 31,16 anos. A média do estradiol plasmático entre as mulheres com LES foi de 175,98pglml e na.s mulheres normais 149,9pg/ml. As médias da DMO entre as pacientes foram significativamente menores em todas as regiões estudadas do que as das mulheres normais, da mesma forma que os desvios-padrão em relação ao adulto jovem (Z-score). A dose média de corticosteróides em uso pelas pacientes no momento da avaliação foi de 19, 17mgldia e a média da dose cumulativa total foi de 28,78g. A média da dose do último ano foi de 5,33g. Não houve ,associação entre as doses de CE e a perda de massa óssea observada; também não foram encontradas associações com outras drogas utilizadas, tabagismo, tempo de doença, idade da paciente ou atividade de doença. Os níveis de estradiol não mostraram papel protetor contra a perda de massa óssea. O IMC e a idade da paciente ao início da doença mostraram int1uência sobre a perda de massa óssea em vértebra L-2 da coluna lombar. Concluiu-se que a densidade mineral óssea analisada em coluna lombar e em fêmur proximal das pacientes com LES é significativamente menor do que a das mulheres normais. Não houve associação entre a maior perda de massa óssea observada entre as mulheres com LES as doses de CE. Não houve influência do uso da ciclofosfamida ou da azatioprina sobre a diminuição de massa óssea observada. Não houve influênca dos níveis de estradiol plasmático com a perda de massa óssea, mostrando que este não desempenha papel protetor contra o surgimento de osteopenia no LES como sugerido e aceito pela literatura. O índice de massa corpórea baixo interagindo com baixa idade da paciente ao início da doença influencia na probabilidade do surgimento da osteópenia na coluna lombar nas pacientes com LES.

Abstract: The objectives of this study were: 1) to evaluate bone mineral density ( BMD ) in premenopausal patients with systemic lupus erythematosus ( SLE ); 2) to determine the role of corticosteroids and citotoxic drugs and 3) to assess estrogen effect on BMD in SLE. BMD was measured by dual energy x-ray absorptiometry at lumbar vertebrae ( L2-L4 ) and at femoral neck in 60 premonopausal patients with SLE and in 64 normal women. Serum concentrations of estradiol were measured by radioimmunoassay ( RIA ). Age, age at the disease onset, body mass index ( BMI ), time of disease, disease activity ( SLEDAI ),' total cumulative prednisone dose, prednisone dose at the evaluation and cumulative prednisone dose in the last year before evaluation were also assessed. The mean age was 32,87 among patients and 31,16 among the control group. The mean serum concentrations of estradiol was 175,98 pg/ml in the patients group and 149,9 in the controls. BMD was inferior in patients than in controls and the difference was statisticaly significant. The mean prednisone dose at evaluation was 19,17 mg per day, while the mean cumulative prednisone dose was 28,78 g. The last year cumulative dose of prednisone was 5,33 g. There was no association neither with corticosteroids doses and loss of bone mass, nor with citotoxic drug used. No association was found with the other variables disease related analysed. The serum concentrations of estradiol did not influence the bone mass loss. The body mass index and the age at the disease onset showed influence on BMD at L2. In conclusion, BMD was significantly low in patients with SLE than in ~ontrols; there was no association with CE or other drugs and loss of bone mass in patients with SLE; the estradiol had no effect on 'BMD in these patients and low bone mass index interacting with early onset of diseasemight influence the probability ofloss ofbone mass.
Subject: Osteoporose
Doenças autoimunes
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: COIMBRA, Ibsen Bellini. Densidade mineral ossea em pacientes com lupus eritematoso sistemico e sua relação com niveis estrogenos. 1998. 111f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas, Campinas, [SP.
Date Issue: 1998
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Coimbra, Ibsen Bellini_D.pdf4.71 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.