Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/333663
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Heritability in generalized aggressive periodontitis : microbiological, immunological and preventive aspects = Hereditariedade na periodontite agressiva generalizada: aspectos microbiológicos, imunológicos e preventivos
Title Alternative: Hereditariedade na periodontite agressiva generalizada : aspectos microbiológicos, imunológicos e preventivos
Author: Monteiro, Mabelle de Freitas, 1990-
Advisor: Casarin, Renato Corrêa Viana, 1982-
Abstract: Resumo: Periodontite agressiva generalizada (PAG) é uma doença multifatorial causado por um desequilíbrio entre a resposta do hospedeiro e as agressões do biofilme. Ela é caracterizada pela agregação familiar dos casos, provavelmente associada ao compartilhamento de fatores de susceptibilidade entre membros de uma mesma família, o que poderia aumentar o risco de descendentes de indivíduos PAG também desenvolverem a doença. Neste contexto, o presente trabalho descreve dois estudos diferentes, um com o objetivo de caracterizar o microbioma, assim como a sua associação com a resposta do hospedeiro, em indivíduos PAG e seus filhos e o segundo estudo objetivando avaliar a pasta de dente contendo Triclosan como uma terapia adjunta no controle das alterações precoces demonstradas em descendentes PAG. No primeiro estudo 15 pais PAG com pelo menos um filho com idade entre 6 e 12 anos e 15 pais periodontalmente saudáveis com pelo menos uma criança entre 6 e 12 anos foram selecionadas. O exame clínico e a coleta de biofilme subgengival e fluido gengival (GCF) foram realizados para todos os participantes. O DNA bacteriano do biofilme subgengival foi extraído, a região 16S do rRNA foi sequenciado utilizando a plataforma Illumina MiSeq e ferramentas de bioinformática foram utilizadas para analisar os dados. O fluido crevicular gengival foi analisado com a tecnologia Luminex MAGPIX para a identificação das citocinas interferon (IFN) -?, fator de necrose tumoral (TNF-?) e interleucinas (IL) -10, IL-17, IL-1?, IL-4, IL-6, IL-8. Crianças de pais PAG apresentaram piores condições clínicas, bem como um microbioma mais patogênico do que crianças de pais saudáveis. Uma forte correlação foi observada entre o microbioma do pai e o microbioma de seu filho. Diferenças nos níveis de citocinas foram observadas apenas em pais PAG que apresentaram níveis menores de IFN-?, IL-10 e IL-17. Apesar de não haver diferenças nos níveis de citocinas, as crianças dos pais PAG apresentaram alteração nas interações entre bactérias e o hospedeiro e demonstraram um padrão similar ao apresentado por seus pais. No segundo estudo, 18 crianças (entre 6 e 12 anos) filhas de indivíduos PAG e 18 criança filhas de ambos os pais periodontalmente saudáveis foram incluídas em um programa de controle de placa por 3 meses. Todos os indivíduos foram periodontalmente avaliados e submetidos a coleta de biofilme subgengival e GCF no início do estudo e após 3 meses de controle de placa. Sequenciamento de nova geração e ferramentas de bioinformática foram utilizadas para a avaliação do biofilme subgengival enquanto a plataforma Luminex/MAGPIX foi usada para aas análises inflamatórias no GCF. Análise de discriminantes lineares do índice Morisita-Horn demonstrou dois aglomerados maciços separando filhos de pais PAG de filhos de pais saudáveis (teste Adonis, p=0.014), demonstrando um impacto significativo da doença periodontal parental no microbioma de dos seus descendentes. Um microbioma mais patogênico associado com maior interrelação bactéria-hospedeiro e piores condições clínicas foram identificadas em crianças PAG. O microbioma disbiótico de descendentes PAG mostrou uma forte resiliência a mudança depois do controle de placa, mantendo a diversidade e a riqueza de espécies associadas a doença periodontal mesmo depois que benefícios clínicos forma atingidos. Além disso, o controle de placa não foi suficiente para alterar o padrão de interações entre o microbioma e o hospedeiro. No terceiro estudo, 15 crianças de pais PAG e 15 crianças de pais periodontalmente saudáveis foram incluídas neste estudo placebo cruzado. As crianças foram alocadas aleatoriamente nos grupos Triclosan ou Placebo para participar da primeira fase do estudo. Inicialmente, todas as crianças participaram de um período de wash-out de 15 dias usando apenas o creme dental placebo para posteriormente começaram a usar o creme dental selecionado por 45 dias. Após a primeira fase, eles repetiram o período de 15 dias de wash-out usando apenas o creme dental placebo. Os grupos foram cruzados e as crianças usaram a outra pasta por mais 45 dias. Em cada fase, foram realizados exame clínico e coleta de saliva, GCF e biofilme subgengival no exame inicial e aos 45 dias de estudo. Os níveis de IFN-?, IL-17, IL-4, IL-1?, IL-10 e TNF-? foram analisados pela plataforma Luminex / MAGpix e os níveis de patógenos periodontais salivares e subgengivais por qPCR. No início do estudo, as crianças dos pais PAG apresentaram maiores índice de placa (IP), índice gengival (IG) e sangramento à sondagem (SS), além de maiores concentrações de Aggregatibacter actinomycetemcomitans (Aa) na saliva e no biofilme subgengival e menores níveis de INF-?, IL-4, IL-17 no GCF. A terapia com placebo apenas reduziu o IP, em ambos os grupos. O creme dental com Triclosan reduziu o IP, assim como o IG, em ambos os grupos. Além disso, o Triclosan promoveu redução adicional do SS, da profundidade de sondagem (PS), dos níveis salivares Aa e IL-1? no grupo PAG. No grupo de saúde, Triclosan promoveu uma redução de INF-? e IL-4. Em conclusão, o microbioma e as interações hospedeiro-biofilme foram alterados nos indivíduos PAG e seus descendentes e uma forte correlação entre o estado periodontal dos pais e de seus filhos foi demonstrada. A disbiose foi relaciona com correlações mais intensas entre as bactérias e o hospedeiro e maior inflamação clínica. O controle de placa não foi suficiente para mudar o ambiente subgengival mais patogênico em descendentes PAG, que demonstrou uma alta resiliência para as mudanças microbiológicas e destacou o maior risco para o desenvolvimento de doença periodontal. Além disso, o creme dental com Triclosan demonstrou-se mais eficiente do que o creme dental placebo em controlar o perfil mais patogênico observado em PAG, uma vez que reduziu os níveis de sangramento a sondagem, sondagem periodontal, Aa salivar e IL-1?, em crianças de pais PAG

Abstract: Generalized aggressive periodontitis (GAgP) is a multifactorial disease caused by an unbalance between the host response e the biofilm aggression. It is characterized by the familial aggregation of cases, probably associated with the sharing of susceptibility aspects between family member, what could increase the risk to GAgP descendants to develop GAgP. In this context, the present report describes three different studies: the first aiming to characterize the microbiome, as well its association to the host response, in GAgP subjects and their children; the second study aiming to evaluate the effective of plaque control in altering the pathogenic subgingival condition identified in GAgP descendants; the third aiming to evaluate the efficiency of Triclosan-containing toothpaste as an adjunctive therapy to control the precocious alteration demonstrated in GAgP descendants. In the first study, 15 GAgP parents with at least a child between 6-12 years old and 15 health parents with at least one child between 6-12 years old were selected. The clinical examination and the collection of subgingival biofilm and gingival crevicular fluid (GCF) were performed for all subjects. The bacterial DNA of the subgingival biofilm was extracted, the 16S rRNA was sequenced using the Illumina MiSeq platform and bioinformatic tools were used to analyze the data. The gingival crevicular fluid was analyzed with the Luminex MAGPIX technology for the identification of interferon (IFN)-?, and tumor necrosis factor (TNF)-?, interleukin (IL)-10, IL-4, IL-1?, IL-17, IL-6, IL-8 levels. Children from GAgP parents presented the worst clinical condition as well as a more pathogenic and dysbiotic microbiome than children from healthy parents. A strong correlation was observed between the parent microbiome and his child microbiome. Differences in the cytokines¿ levels were only observed in parents with GAgP parent presenting lower levels of IFN-?, IL-10, and IL-17. Despite no differences in the cytokine levels, children from GAgP parents presented alteration in the host-bacterial interactions and demonstrated a similar pattern to their parents. In the second study, 18 children (6-12 years old) from GAgP parents and 18 children from periodontally healthy parents were included in a plaque control program for 3 months. All subjects were periodontally examined and subgingival biofilm and gingival crevicular fluid (GCF) were collected at baseline and after 3 months of strict plaque control. Next-generation sequencing and bioinformatic tools were used to evaluate the subgingival microbiome and the Luminex/MAGPIX platform was used for the inflammatory analysis in GCF. The Linear Discriminant Analysis of Morisita-Horn index demonstrated two massive clusters separating children from AgP parents from children from healthy parents (Adonis test, p=0.014), demonstrating a significant impact of parental periodontitis on the microbiome of their descendants. A more pathogenic microbiome associated with more intense host-bacterial interactions and worst clinical condition was identified in children from GAgP parents. The dysbiotic microbiome of GAgP descendants showed a strong resilience against shifting after plaque control, maintaining the diversity and the richness of disease-associated species even after the clinical benefits achieved. In addition, plaque control was not sufficient to alter the pattern of host-bacterial interaction in the subgingival environment. In the third study, 15 children from GAgP parents and 15 children from periodontally healthy parents were included in this cross-over placebo study. Children were randomly allocated into Triclosan or Placebo groups to participate in the first phase of the study. Initially, all children participate in a wash-out period of 15 days using only the placebo toothpaste and posteriorly they started to use the elected toothpaste for 45 days. After the first phase, they repeated the period of 15 days of wash-out using only the placebo toothpaste. The groups were crossed, and the children used the other paste for more 45 days. In each phase, clinical examination and saliva, GCF and subgingival biofilm collection were performed at baseline and 45 days. The levels of IFN-?, IL-4, IL-10, IL-1?, IL-17, and TNF-? were analyzed by Luminex/MAGpix platform and subgingival and salivary periodontal pathogens¿ levels by qPCR. At baseline, children from AgP parents presented higher levels of the gingival index (GI), plaque index (PI), and bleeding on probing (BoP), a higher concentration of Aggregatibacter actinomycetemcomitans (Aa) in saliva and subgingival biofilm, and lower levels of INF-?, IL-4, IL-17 in the GCF. Placebo therapy only reduced PI, in both groups. Triclosan toothpaste reduced PI, as well as GI, in both groups. Moreover, Triclosan promoted the reduction of BoP and PPD, Aa salivary levels and IL-1? in GAgP group. In Health group, Triclosan promoted a reduction of INF-? and IL-4. In conclusion, the microbiome and the host-bacterial interaction were altered in GAgP parent and their descendants and a strong impact of the parents¿ periodontal condition in their children periodontal status was demonstrated. The dysbiosis was associated with more intense species cytokines correlations and higher clinical inflammation. The plaque control was not able to change the more pathogenic subgingival environment of GAgP descendants, that demonstrated a strong resilience to subgingival microbial shifting after strict plaque control, highlighting the higher risk for disease development. Furthermore, Triclosan dentifrice demonstrated to be more efficient than placebo toothpaste to control the more pathogenic profile demonstrate in GAgP, by reducing the bleeding on probing, probing depth, salivary Aa and IL-1?, in children from GAgP parents
Subject: Periodontite agressiva
Família
Suscetibilidade a doenças
Microbiota
Inflamação
Language: Inglês
Editor: [s.n.]
Citation: MONTEIRO, Mabelle de Freitas. Heritability in generalized aggressive periodontitis: microbiological, immunological and preventive aspects = Hereditariedade na periodontite agressiva generalizada: aspectos microbiológicos, imunológicos e preventivos. 2019. 1 recurso online (92 p.). Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Piracicaba, SP.
Date Issue: 2019
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Monteiro_MabelleDeFreitas_D.pdf4.94 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.