Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/333403
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Efeito da espessura de coroas de silicato de lítio reforçado por zircônia na confiabilidade e modo de falha : Zirconia-reinforced lithium silicate crowns: effect of thickness on survival and failure mode
Title Alternative: Zirconia-reinforced lithium silicate crowns : effect of thickness on survival and failure mode
Author: Bergamo, Edmara Tatiely Pedroso, 1985-
Advisor: Del Bel Cury, Altair Antoninha, 1948-
Abstract: Resumo: Cerâmicas vítreas reforçadas por partículas cristalinas representam uma alternativa promissora às metalocerâmicas e às cerâmicas policristalinas no tratamento reabilitador devido a combinação de propriedades mecânicas e ópticas favoráveis. Tais características têm propiciado a fabricação de coroas sem aplicação de cerâmica de cobertura, chamadas monolíticas. Sabe-se que reabilitações monolíticas apresentam maior resistência quando comparadas com próteses convencionais, o que tem suportado a indicação de restaurações com espessuras reduzidas. O sistema cerâmico vítreo à base de silicato de lítio reforçado por zircônia (SLZ) foi recentemente introduzido no mercado odontológico, e até o presente momento, sua performance sob fadiga e probabilidade de sobrevivência não foram exploradas. Assim, este estudo investigou a confiabilidade e o modo de falha de coroas monolíticas de SLZ de diferentes espessuras. Para tanto, coroas monolíticas de molares foram modeladas em três espessuras diferentes (1,5 mm, 1,0 mm e 0,5 mm) e fresadas utilizando blocos de SLZ (n=21/grupo) através de sistema CAD/CAM. As coroas foram cimentadas em réplicas de resina epóxi (G10) devido às propriedades semelhantes à dentina. Teste de carga à fratura estática foi conduzido para determinar os perfis de fadiga acelerada progressiva (leve, moderado e agressivo) (n=3/grupo). Em seguida, 18 espécimes de cada grupo foram distribuídos nos perfis de estresse progressivo e submetidos ao teste de fadiga acelerada através da aplicação de carga na vertente interna da cúspide distovestibular e deslizamento de 0,7 mm em direção ao sulco central até a falha da amostra ou suspensão. Carga à fratura característica após fadiga para cada espessura foi calculada (intervalo de confiança de 90% bilateral). As curvas de probabilidade de Weibull e a confiabilidade para missões de 100.000 ciclos a 100, 200, 300, 400, 600 e 800 N foram plotadas e calculadas (intervalo de confiança de 90% bilateral). Espécimes fraturados foram avaliados em microscópio óptico de luz polarizada e microscópio eletrônico de varredura (MEV) para análise do modo de falha. Os valores de beta (ß) maiores que 1 para todas espessuras sugerem que o acúmulo de danos em função da fadiga foi um fator de aceleração para as falhas. A carga à fratura característica foi 1.571 (1.479 - 1.668) N para 1,5 mm, 1.121 (1.028 - 1.222) N para 1,0 mm e 750 (604 - 932) N para 0,5 mm. Enquanto coroas monolíticas de SLZ de 0,5 mm de espessura demonstraram uma redução significativa na probabilidade de sobrevivência para missões de 200, 300 e 400 N (69%, 41% e 19%, respectivamente), nenhuma diferença foi observada para coroas de 1,5 mm e 1,0 mm de espessura, as quais mantiveram a confiabilidade em aproximadamente 90%. O principal modo de falha foi a fratura catastrófica da restauração, a qual consistiu de trincas radiais originadas na superfície de cimentação abaixo da área de aplicação de carga que propagaram em direção à margem cervical das restaurações. Conclui-se que as coroas monolíticas de SLZ com espessuras de 1,5 mm e 1,0 mm apresentaram maior confiabilidade que 0,5 mm, e o modo de falha consistiu principalmente em fratura catastrófica da restauração

Abstract: Reinforced glass-ceramics represent a promising alternative to metal ceramics and high-strength polycrystalline ceramics for prosthetic rehabilitation due to a combination of favorable mechanical and optical properties. Such features have supported the fabrication of monolithic crowns, without requiring a veneering ceramic. It has been shown that monolithic rehabilitations present higher resistance when compared to conventional prostheses, which has also supported the fabrication of reduced-thickness restorations. The zirconia-reinforced lithium silicate (ZLS) ceramic system was recently introduced on the dental market, and its fatigue fracture behavior and survival predictions have not been addressed yet. Thus, this study investigated the reliability and failure mode of monolithic ZLS crowns of different thicknesses. Monolithic molar crowns of different thicknesses (1.5 mm, 1.0 mm, and 0.5 mm) were modeled and milled through ZLS blocks (n=21/group) using a CAD/CAM system. The crowns were cemented on epoxy resin replicas (G10) due to its similar properties to dentin. Single load-to-failure test was performed to determine the step-stress profiles (mild, moderate and aggressive) (n=3/group). Then, 18 specimens of each group were allocated in the step-stress profiles and the accelerated fatigue test was performed by sliding an indenter 0.7 mm lingually down on the distobuccal cusp until specimen fracture or suspension. Characteristic failure load for each thickness was calculated (90% two-sided confidence interval). Use level probability Weibull curves and reliability for missions of 100,000 cycles at 100, 200, 300, 400, 600 and 800 N cycles were plotted and calculated (90% two-sided confidence interval). Fractured specimens were analyzed using a polarized-light optical microscope and scanning electron microscopy (SEM) to characterize fracture patterns. Beta (ß) values greater than 1 for all ZLS crown thicknesses suggest that the damage accumulation due to fatigue was an acceleration factor for failure. Characteristic failure load levels were 1,571 (1,479 - 1,668) N for 1.5mm-thickness ZLS crown, followed by 1,121 (1,028 - 1,222) N for 1.0mm-, and 750 (604 - 932) N for 0.5mm-thickness. While 0.5 mm ZLS crowns exhibited a significant reduction in the reliability at 200, 300 and 400 N mission loads (69%, 41% and 19%, respectively), no significant difference was observed between 1.0 mm and 1.5 mm crowns, with both thicknesses maintaining the probability of survival at approximately 90%. Failure primarily comprised bulk fracture where critical radial cracks originated from the cementation surface beneath the indenter loading trail and propagated towards the cervical margin of the crown. Accordingly, 1.5mm- and 1.0mm-thickness monolithic ZLS crowns presented higher probability of survival compared to 0.5mm crowns. Bulk fracture was the chief failure mode, regardless of thickness
Subject: Cerâmica odontológica
Coroas (Odontologia)
Fadiga
Language: English
Editor: [s.n.]
Citation: BERGAMO, Edmara Tatiely Pedroso. Efeito da espessura de coroas de silicato de lítio reforçado por zircônia na confiabilidade e modo de falha: Zirconia-reinforced lithium silicate crowns: effect of thickness on survival and failure mode. 2018. 1 recurso online (53 p.). Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Piracicaba, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/333403>. Acesso em: 13 mar. 2019.
Date Issue: 2018
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Bergamo_EdmaraTatielyPedroso_D.pdf10.53 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.