Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/332902
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Fatores associados à qualidade do sono e qualidade de vida em mulheres sobreviventes de violência doméstica
Title Alternative: Factores associated with sleep quality and quality of life in women survivors of domestic violence
Author: Almeida, Maria Inês Gomes, 1953-
Advisor: Ceolim, Maria Filomena, 1962-
Abstract: Resumo: A violência doméstica ou familiar contra a mulher pode ser definida como a violência real ou ameaças de violência, de natureza física, sexual ou psicológica. Trata-se de um estudo descritivo, analítico de corte transversal, tendo como objetivo identificar se a violência doméstica constitui um fator associado à má qualidade do sono e qualidade de vida em mulheres sobreviventes de violência doméstica, atendidas em uma Unidade de Atenção Primária à Saúde de um Município do interior de Minas Gerais.. A amostra foi estabelecida por meio de cálculo estatístico, constituída de 128 mulheres distribuídas em grupo de mulheres que são sobreviventes de violência doméstica e um grupo controle. Todas elas residentes na área de abrangência do local da pesquisa. Os dados foram coletados por meio de quatro questionários: a) Questionário Sociodemográfico, Estilo de Vida e Saúde. b) Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh, versão para uso no Brasil (PSQI-BR): avalia a qualidade do sono durante o mês anterior. c) WHOQOL-bref, instrumento desenvolvido pelo Grupo de Qualidade de Vida da Organização Mundial da Saúde. d) Instrumento WHO de Violência contra a Mulher ¿ WHO-VAW (do inglês, Violence Against Women) constitui um instrumento sobre violência psicológica, física e sexual por parceiros íntimos contra mulheres Dentre as características desse grupo destacamos que 55,5% (n=71) convivem com o companheiro; 57,8% (n=74) tem ensino fundamental incompleto; 24,22 (n=31) se autodeclararam brancas e 75,78% (n=97) não brancas; 63,3% (n=81) relataram não exercer nenhuma função remunerada. Com relação ao estilo de vida, 71,0% (n=92) informaram não serem tabagistas; 82,8% (n= 106) não praticam atividade física; 52,8% (n=67) referiram realizar atividades de lazer.; a média de peso foi de 70,7 Kg, de estatura 1,58cm e de IMC 28,3. As mulheres do grupo de sobreviventes de violência doméstica, tiveram maior pontuação no PSQI comparada às mulheres do grupo controle e menor pontuação no WHOQOL-bref, indicando que elas possuem pior qualidade do sono e de vida. Evidenciou-se que entre os três tipos de violência a emocional foi a mais comum entre elas. A violência sexual não prevaleceu na maioria, mas a qualidade do sono mostrou-se mais comprometida nessas mulheres em relação àquelas que não sofreram esse tipo de violência. O fato de sofrer violência doméstica foi identificado como fator associado ao sono de má qualidade nas mulheres sobreviventes, neste estudo

Abstract: Domestic or family violence against women can be defined as real violence or violence threats of physical, sexual or psychological nature. This is a descriptive and analytical cross-sectional study aiming at identifying whether domestic violence has an associated factor with poor sleep quality and quality of life of female survivors from domestic violence treated in a Health Primary Care Unit in a rural town in Minas Gerais state, Brazil. The sample was set by statistical calculations formed by 128 women divided in two groups: one group of women who survived from domestic violence and other control group. All of them lived in the area where this research was carried out. Data were collected with four questionnaires: a) sociodemographic, life style and health questionnaire. b) Pittsburgh sleep quality index, Brazilian version (PSQI-BR): it assesses sleep quality during the previous month. c) WHOQOL-bref, an instrument developed by quality of life group of World Health Organization (WHO). d) WHO Instrument of Violence Against Women ¿ WHO-VAW: an instrument about psychological, physical and sexual violence against women by their intimate partners. Among the characteristics of that group we point out that 55.5% (n=71) women lived with their partners; 57.8% (n=74) women were with incomplete elementary school; 24.22 (n=31) women declared themselves as white and 75.78% (n=97) non white; 63.3% (n=81) women had no paying job. Concerning life style, 71.0% (n=92) women informed not to be a smoker; 82.8% (n= 106) women did not do physical exercises; 52.8% (n=67) women said they performed leisure activities; the average weight was 70.7 Kg, the average height was 1.58 cm and BMI was 28.3. The women of domestic violence survivor group held the highest score in PSQI compared to women of control group and the lowest score in WHOQOL-bref, indicating they have the worse sleep quality and quality of life. It was noticed that among the three types of violence, the emotional one was the most common. Sexual violence did not prevail in the majority of women, but poor sleep quality turned out to be more evident in those women in relation to those who did not suffer that type of violence. The factor of experiencing domestic violence was identified as one associated with poor sleep quality of female survivors in this study
Subject: Violência doméstica
Sono
Qualidade de vida
Enfermagem
Saúde da mulher
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2017
Appears in Collections:FENF - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Almeida_MariaInesGomesDe_D.pdf1.45 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.