Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/332753
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: A relação histórica entre ciência e religião : uma análise do letramento científico promovido por livros didáticos de ensino médio
Title Alternative: The historical relationship between science and religion : an analysis of the scientific literacy promoted by high school textbooks
Author: Miranda, Lucas Mascarenhas de, 1992-
Advisor: Chibeni, Silvio Seno, 1958-
Abstract: Resumo: Introdução - A partir do final do século XIX começaram a predominar narrativas de um suposto conflito insolúvel entre ciência e religião ao longo da história. Nas últimas décadas, essa visão começou a ser fortemente questionada, não sendo mais aceita entre pesquisadores das relações entre ciência e religião. No entanto, não se sabe o quanto essas novas compreensões foram assimiladas pelos livros didáticos. Objetivo - Verificar como livros didáticos de ensino médio têm apresentado as relações entre ciência e religião; identificar se as abordagens desses livros refletem o estado da arte das pesquisas contemporâneas; e verificar se atendem aos critérios estabelecidos por autores de referência para a promoção de um letramento científico de qualidade. Métodos - Foram examinadas quatro séries de livros didáticos recomendados pelo Ministério da Educação, nas áreas de biologia, filosofia, história e sociologia, totalizando 30 livros. As análises se deram a partir da busca por palavras-chave e leitura dos capítulos mais relevantes ao tema. Os trechos identificados foram categorizados e comparados com as obras mais atuais da literatura internacional em história da ciência e religião. Resultados - Foram identificados 210 trechos, que discutem ciência e religião de modos diversificados. Os livros de biologia, em geral, evitaram o assunto, adotando a abordagem NOMA (non-overlapping magisteria), que defende a completa dissociação entre ciência e religião, uma visão que já não é bem aceita entre os pesquisadores. Nas demais disciplinas, mais citações foram identificadas e as abordagens foram mais variadas. Encontrei livros que adotam e enfatizam a tese do eterno conflito entre ciência e religião, à qual tipicamente se associam diversas informações históricas imprecisas (como a afirmação de que Galileu foi preso e torturado pela Inquisição, de que Giordano Bruno foi um mártir da ciência, de que a ciência secularizou o mundo ocidental, entre outras). Outras obras, em contrapartida, apresentam abordagens mais refinadas e atualizadas, que respeitam a complexidade dessas relações históricas e que estão em consonância com as pesquisas mais recentes da área. Conclusões - Os achados deste estudo indicam que as abordagens sobre ciência e religião nos livros examinados são bastante heterogêneas, quanto ao conteúdo e à qualidade. Nenhuma série de livros está inteiramente livre de problemas históricos, sendo ainda frequentes as assunções feitas pelos autores, mesmo que implicitamente, de que há algum tipo de oposição inevitável entre ciência e religião. Tal posicionamento parece decorrer de uma visão pouco aprofundada e, por vezes, enviesada a respeito do que é a ciência e o que é a religião. Este estudo sugere, portanto, a necessidade de um maior contato dos autores de livros didáticos com a historiografia moderna sobre as relações entre ciência e religião, do que poderá resultar uma melhoria na forma pela qual tais relações são apresentadas ao numeroso público ao qual esses livros se destinam

Abstract: Introduction - At the end of the 19th century, narratives of a supposed insoluble conflict between science and religion throughout history began to prevail in the intellectual milieu. In recent times, however, this vision began to be strongly questioned, being no longer accepted among experts in the relationship between science and religion. The extent in which this new historical and conceptual understanding of the issue has been assimilated by school textbooks remains unclear. Objective - To verify how current high school textbooks in Brazil are presenting the relationship between science and religion; to analyse, in particular, whether such books reflect the state of the art of contemporary research; and verify whether they attend the criteria established by reference authors for the promotion of a good scientific literacy. Methods - Four series of textbooks (total of 30 books) recommended by the Brazilian Ministry of Education, in the areas of biology, philosophy, history and sociology, have been thoroughly examined. Search by keywords and complete reading the most relevant chapters were the main analytic instrument employed. The identified quotes were categorized and compared with a representative sample of the best current works of international literature in the history of science and religion. Results - 210 excerpts discussing science and religion in different ways have been spotted. Biology books have generally avoided the subject by adopting the NOMA (non-overlapping magisteria) approach, which advocates the complete dissociation between science and religion, a view that is no longer generally accepted by scholars. In the other three disciplines, more citations were identified and the approaches were found to be more varied. Some books still adopt and emphasize the thesis of the eternal conflict between science and religion, which is often associated with imprecise historical information. (such as the claim that Galileo was imprisoned and tortured by the Inquisition, that Giordano Bruno was a martyr of science, that science secularized the Western world, among others). Other works, on the other hand, offer more refined and up-to-date approaches that respect the complexity of these historical relationships, and are in keeping with the most recent research in the area. Conclusions - The findings of this study indicate that the approaches to science and religion in the books examined are quite heterogeneous in content and quality. No series of books is entirely free of historical problems, and the assumptions made by the authors, even if implicitly, that there is some kind of inevitable opposition between science and religion is still strongly present. Such a position seems to stem from a superficial, and sometimes biased, view of what science is and what religion is. This study therefore suggests the need for greater contact between textbook authors and modern historiography on the relations between science and religion, which may lead to an improvement in the way in which such relationships are presented to the large public to which these books are intended
Subject: Ciência - História
Religião - História
Letramento
Livros didáticos
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2018
Appears in Collections:IEL - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Miranda_LucasMascarenhasDe_M.pdf1.53 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.