Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/332538
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Efeito do uso da máscara de restrição ao fluxo de ar (MRFar) sobre as respostas gasométricas, ventilatórias e eletromiográficas em exercício aeróbio contínuo e intervalado  
Title Alternative: Effect of the use of the air flux restriction mask (MRFar) on gasometric, ventilatory and electromyographic responses in continuous and intervaled aerobic exercise  
Author: Barbieri, João Francisco, 1989
Advisor: Moraes, Antonio Carlos de, 1960-
Abstract: Resumo: Introdução: É crescente no mercado o número de produtos alegando acelerar/aumentar os ganhos e adaptações provenientes do treinamento físico. Dentre esses produtos destacam-se as máscaras de restrição ao fluxo de ar (MRFar), que alegam simular ambientes de hipóxia e propiciar treinamento para a musculatura respiratória. São poucos os estudos sobre o uso destas máscaras e os resultados são controversos. Há trabalhos mostrando aumento do consumo de oxigênio e da potência no ponto de compensação respiratória, enquanto outros indicam nenhum efeito. Trabalhos que se propuseram a investigar os efeitos agudos do uso da máscara durante o exercício demostraram haver maior queda na saturação, sendo esta queda dependente do grau de restrição do fluxo de ar. No entanto, os níveis de hipóxia alcançados são modestos e não se tem informação sobre os demais parâmetros metabólicos e neuromusculares que podem ser afetados por este implemento. Desta forma, este trabalho pretende analisar os ajustes fisiológicos causados pelo uso da MRFar em diferentes protocolos de exercício aeróbio. Métodos: O estudo foi aleatorizado e cruzado, com a MRFar configurada a 15000 pés (4572m) em 4 distintos protocolos, sendo eles, exercício contínuo sem máscara (EC), exercício contínuo com máscara (EC-MRFar), exercício intervalado sem máscara (EI) e exercício intervalado com máscara (EI-MRFar). Foram avaliadas variáveis metabólicas sanguíneas (gasometria de sangue arterializado) e respiratórias (analise contínua de gases expirados), foi analisado ainda a ativação muscular dos músculos do quadríceps (Soma do sinal normalizado dos músculos reto femoral, vasto lateral e vasto medial). Resultados: O EC-MRFar foi capaz de causar mudanças significativas quando comparado ao EC, sendo as seguintes variáveis maiores para EC-MRFar: pressão sanguínea de CO2, consumo de O2 e pressão expirada de CO2 (todos p<0,05). As seguintes variáveis foram menores para EC-MRFar: pH, ventilação, pressão expirada de O2 (todos p<0,05). Já para a condição EI-MRFar, em comparação com EI, temos as seguintes variáveis que se apresentaram elevadas em EI-MRFar: pressão sanguínea de CO2, próton de H+ ligado à hemoglobina, pressão expirada de CO2 (todos p<0,05). As seguintes variáveis foram menores para EI-MRFar: saturação de oxigênio, ventilação, frequência respiratória, pressão expirada de O2 e atividade eletromiográfica apenas no último minuto de teste. Conclusão: Foi demonstrado a intrínseca relação entre o uso da MRFar e mudanças no padrão ventilatório, sendo que a magnitude dessas mudanças influenciaram nas respostas metabólicas como pressão sanguínea de CO2. Concluímos que o uso da máscara propicia um desequilíbrio no sistema ácido/base do organismo e sugerimos que este esteja relacionado a adaptações benéficas ao desempenho observadas em estudo crônico. Adicionalmente, os resultados deste trabalho aponta o uso da MRFar como provável ferramenta para o treinamento da musculatura respiratória

Abstract: Introduction: The number of products claiming to accelerate / increase gains and adaptations from physical training are increasing in the market. Among these products we highlight the airflow restriction masks (MRFar), which claims to simulate hypoxia environments and provide training for the respiratory musculature. There are few studies on the use of these masks and the results are controversial. There are studies showing increased oxygen consumption and power at the compensatory respiratory point, while others indicate no effect. Studies that aimed to investigate the acute effects of mask use during exercise demonstrated a greater fall in saturation, being this fall dependent on the airflow restriction degree. However, the levels of hypoxia achieved are modest and there is no information about the other metabolic and neuromuscular parameters that can be affected by this implement. In this way, this work intends to analyze the physiological adjustments caused by the use of MRFar in different aerobic exercise protocols. Methods: The study was randomized and had across-over design, with the MRFar configured at 15000 feet (4572m) in 4 different protocols, being continuous exercise without mask (EC), continuous exercise with mask (EC-MRFar), interval exercise without mask (EI) and interval exercise with mask (EI-MRFar). Metabolic variables (arterialized blood gasometry) and respiratory variables (continuous expired gases analysis) were evaluated. Muscle activation of the quadriceps muscle was also evaluated (sum of the normalized signal from the rectus femoris, vastus lateralis and vastus medialis muscles). Results: EC-MRFar was able to cause significant changes when compared to EC, with the following variables being greater in EC-MRFar: CO2 blood pressure, O2 consumption and CO2 expired pressure (all p <0.05). The following variables were lower for EC-MRFar: pH, ventilation, expired O2 pressure (all p <0.05). For the EI-MRFar condition, in comparison to EI, we have the following variables that were elevated in EI-MRF: CO2 blood pressure, hemoglobin-bound H + proton, CO2 expired pressure (all p <0.05). The following variables were lower for EI-MRFar: Oxygen saturation, ventilation, respiratory rate, expired O2 pressure and electromyographic activity only at the last minute of the test. Conclusion: The intrinsic relationship between the use of MRFar and changes in the ventilatory pattern was demonstrated, the magnitude of these changes influenced the metabolic responses as CO2 blood pressure. We conclude that the use of the mask leads to an imbalance in the acid / base system of the organism and we suggest that it is related to the beneficial adaptations observed in a chronic study. In addition, the results of this work point out the use of MRFar as a probable tool for respiratory muscle training
Subject: Hipóxia
Treinamento intervalado
Treinamento de endurance
Tecnologia - Equipamento e acessórios
Exercícios físicos
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: BARBIERI, João Francisco. Efeito do uso da máscara de restrição ao fluxo de ar (MRFar) sobre as respostas gasométricas, ventilatórias e eletromiográficas em exercício aeróbio contínuo e intervalado  . 2017. 1 recurso online (84 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Física, Campinas, SP.
Date Issue: 2017
Appears in Collections:FEF - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Barbieri_JoaoFrancisco_M.pdf1.66 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.