Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/332242
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Fronteiras da implantação e implementação da farmácia viva no Brasil
Title Alternative: Boundaries of implantation and implementation of farmácia viva in Brazil
Author: Carnevale, Renata Cavalcanti, 1981-
Advisor: Barros, Nelson Filice de, 1968-
Abstract: Resumo: Mesmo sendo instituída no Sistema Único de Saúde (SUS) pela Portaria GM nº 886, de 20 de abril de 2010, a Farmácia Viva, uma das maiores iniciativas de plantas medicinais do Brasil, ocupa uma posição marginal no sistema de saúde. O objetivo desta tese é compreender as dificuldades identificadas pelos gestores de Farmácias Vivas, no que diz respeito às fronteiras epistemológicas, cognitivas, sociais, organizacionais, profissionais e de autoridade, que dificultam sua implantação e implementação no SUS. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, na qual , foram realizadas entrevistas semi-estruturadas, no período de agosto de 2015 a junho de 2017, que foram gravadas e transcritas, com nove coordenadores de Farmácias Vivas de diferentes locais do Brasil. Foi realizada análise temática de conteúdo para a análise dos dados. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa sob o Parecer n° 694.742. O primeiro capítulo apresenta uma descrição das nove Farmácias Vivas incluídas na pesquisa e do estágio realizado na Universidade Federal do Ceará (UFC). No segundo capítulo discute-se o papel das plantas medicinais como objeto de fronteira, que possibilita o diálogo entre os conhecimentos populares, tradicionais, místicos-energéticos e científicos das plantas medicinais. No terceiro capítulo, os coordenadores das Farmácias Vivas foram identificados como trabalhadores e cruzadores de fronteiras, que desenvolvem processo de aprendizado e transformação pelas suas experiências nas fronteiras. O quarto capítulo discute as fronteiras epistemológicas, sociais e cognitivas que operam, estabelecendo maior credibilidade ao conhecimento científico de plantas medicinais, maior reconhecimento aos profissionais biomédicos e a comprovação da eficácia do tratamento com plantas medicinais e fitoterápicos apenas por meio da ciência. O quinto capítulo debate o relaxamento das fronteiras organizacionais e a manutenção das fronteiras profissionais e de autoridade, que impõem restrições ao uso de plantas medicinais, delimitam a sua prescrição ao médico e produzem dificuldades políticas e financeiras ao projeto das Farmácias Vivas. Conclui-se que a marginalização das Farmácias Vivas no SUS é parte da construção social que mantém a hegemonia da ciência e da biomedicina, a qual deve ser tensionada com base no respeito à diversidade e ecologia de saberes

Abstract: Even though it was established in Brazilian Health Care System (SUS) by Policy GM nº 886, dated April 20th 2010, Farmácia Viva, one of the major iniciatives of medicinal plants in Brazil, occupy a marginal position in the health care system.The objective of this thesis is understand the difficulties identified by Farmácias Vivas¿s managers in respect to epistemological, cognitive, social, organizational, professional and authority boundaries, that hinders its implantanton and implementation in SUS. This is a qualitative research in which , were performed semi-structured interviews, betwwen August 2015 and June 2017, that were recorded and transcripted, with nine (9) Farmácia Viva¿s managers from different locations in Brazil. A thematic analysis was perfomed for data analysis. The research was approved by Institutional Review Board under the number 694.742. The first chapter presents a description of the nine Farmácias Vivas included in this research and of the trainee program performed at Universidade Federal do Ceará (UFC). On the second chapter it is dicussed medicinal plants role as a boundary object, that make possible the dialogue between folk, traditional, mistic-energetic and scientific knowledgements in medicinal plants. In chapter three, the Farmácia Viva¿s managers were identified as boundaries workers and crossers, that develop learning process and transformation in their boundaries experiences. The fourth chapter discuss the epistemological, social and cognitive boundaries that work stablishing greater credibility to scientific knowledgement in medicinal plants, greater rewards to biomedical professional and the proof of medicinal plant and phytotherapy treatment efficacy only through science. The fifth chapter dicuss the organizational boundaries relaxing and the maintenance of professional and authority boundaries that impose restrictons to medicinal plants use, restricting their prescription to physicians and generating politics and financial difficulties to Farmácia Viva project. In conclusion, Farmácia Viva marginalization in SUS is part of the social construction that maintains science and biomedicine hegemony, which must be tensioned based on the respect to diversity and knowlegment ecology
Subject: Fitoterapia
Plantas medicinais
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: CARNEVALE, Renata Cavalcanti. Fronteiras da implantação e implementação da farmácia viva no Brasil. 2018. 1 recurso online (118 p.). Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP.
Date Issue: 2018
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Carnevale_RenataCavalcanti_D.pdf3.75 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.