Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/332161
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.CRUESPUNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINASpt_BR
dc.descriptionOrientador: Renato Peixoto Dagninopt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Geociênciaspt_BR
dc.format.extent1 recurso online (128 p.) : il., digital, arquivo PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.relation.requiresRequisitos do sistema: Software para leitura de arquivo em PDFpt_BR
dc.typeDISSERTAÇÃO DIGITALpt_BR
dc.titleUma leitura sociotécnica da concepção de um software para a inclusão socialpt_BR
dc.title.alternativeA sociotechnical reading of the design of a software for social inclusionpt_BR
dc.contributor.authorMammoli, Felipe, 1990-pt_BR
dc.contributor.advisorDagnino, Renato Peixoto, 1948-pt_BR
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual de Campinas. Instituto de Geociênciaspt_BR
dc.contributor.nameofprogramPrograma de Pós-Graduação em Política Científica e Tecnológicapt_BR
dc.subjectTecnologia - Aspectos sociaispt_BR
dc.subjectEconomia solidáriapt_BR
dc.subjectSoftwarept_BR
dc.subject.otherlanguageTechnology - Social aspectsen
dc.subject.otherlanguageSolidarity economyen
dc.subject.otherlanguageSoftwareen
dc.description.abstractResumo: O objetivo deste trabalho é tratar de uma iniciativa de inclusão social envolvendo as Tecnologias da Informação e Comunicação e a Economia Solidária. Mais especificamente, a experiência do grupo "Fabriqueta de Software" no desenvolvimento de um software para o georreferenciamento de recursos hídricos no município de Araçuaí, localizado no Vale do Jequitinhonha/MG. A experiência do grupo opera a questão da inclusão social em dois sentidos:1) é alternativa de trabalho e renda para seus membros, que são jovens entre 16 e 21 anos; e 2) o software produzido é utilizado em um projeto de recuperação ambiental que visa a garantia de acesso à água para os pequenos agricultores da zona rural do município. Como referencial teórico, utilizo do marco analítico conceitual da Tecnologia Social para compreender os processos sociais que enquadram o desenvolvimento técnico do artefato e pela proposta normativa que, ao reconhecer a dimensão política da tecnologia, se coloca como uma forma alternativa de aproximação entre o desenvolvimento técnico e a Economia Solidária. Como parte analítica, também utilizo da perspectiva de Sistemas Tecnológicos de Thomas Hughes, que compreende os artefatos técnicos como aglomerados de componentes heterogêneos - técnicos e não-técnicos - que se inter-relacionam e compõem sistemas, onde uma mudança em um componente é propagada por toda a estrutura, afetando tanto cada componente individualmente quanto o conjunto como um todo. O que busco mostrar é que a comunidade alvo de uma tecnologia social não é uma entidade estanque, mas que é produzida ao mesmo tempo em que o artefato é conformado. Esse movimento duplo não respeita fronteiras de escalas e nem de disciplinas e a capacidade do artefato em transgredir essas fronteiras está intimamente ligado ao sucesso de sua implantação. Ao analisar o software como sistema tecnológico, mostro que sua aderência à comunidade está justamente em sua capacidade de transgredir as barreiras disciplinares e criar implicações em diferentes escalas, estabelecendo relações que conectam atividades pontuais, como o plantio de mudas nativas nas nascentes, a questões mais macro, como a capacidade da organização mantenedora da Fabriqueta em captar recursos financeiros. Concluo que para compreender as possibilidades e potencialidades do software para as iniciativas da Economia Solidária, é imprescindível estar atento a heterogeneidade de elementos que seu processo de desenvolvimento mobiliza, com o risco de, caso não o fazer, compreender erroneamente os elementos que o artefato depende e implicapt
dc.description.abstractAbstract: The objective of this work is to deal with a initiative for social inclusion involving Information and Communication Technologies and Solidarity Economy. More specifically, to deal with the experience of the "Fabriqueta de Software" group in the development of a georeferencing of water resources software Araçuaí/MG. The group's experience addresses the issue of social inclusion in two senses: 1) it is a work and income alternative for its members, who are young people between the ages of 16 and 21; And 2) the software produced is used in an environmental recovery Project, aimed at guaranteeing access to water for small farmers. As a theoretical reference, I use the conceptual analytical framework of Social Technology to understand the social processes that frame the technical development of artifacts and I also leverage it¿s the normative proposal that recognizes that the political dimension of technology is precisally what allow us to approach technical development in alternative ways. As an analytical part, I also leverage Thomas Hughes' Technological Systems perspective, which comprises technical artifacts as agglomerates of heterogeneous components - technical and non-technical - that interrelate and compose systems, where a change in a component is propagated by the entire structure, affecting both individual and whole. What I seek to show is that the target community of a social technology is not a given entity, but is produced alongside the artfact. This double movement does not respect boundaries of scales or disciplines and the artifact's ability to transgress these boundaries is closely linked to the success of its implementation. In analyzing software as a technological system, it shows that its adherence to the community is precisely in its ability to transgress the disciplinary barriers and create implications at different scales, establishing relationships that connect specific activities, such as planting native seedlings, and macro activities, such as the organization capacity to attract financial resources. I conclude that in order to understand the possibilities and potential of software for Solidarity Economy initiatives, it is essential to be aware of the heterogeneity of elements that it¿s development process mobilizes, with the risk of failing to understand the elements that the artifact depends on and implies, if not doing soen
dc.publisher[s.n.]pt_BR
dc.date.issued2017pt_BR
dc.identifier.citationMAMMOLI, Felipe. Uma leitura sociotécnica da concepção de um software para a inclusão social. 2017. 1 recurso online (128 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Geociências, Campinas, SP.pt_BR
dc.description.degreelevelMestradopt_BR
dc.description.degreedisciplinePolitica Cientifica e Tecnologicapt_BR
dc.description.degreenameMestre em Política Científica e Tecnológicapt_BR
dc.contributor.committeepersonalnameDias, Rafael de Britopt_BR
dc.contributor.committeepersonalnameKleba, John Bernhardpt_BR
dc.date.defense2017-03-20T00:00:00Zpt_BR
dc.date.available2018-09-05T16:34:09Z-
dc.date.accessioned2018-09-05T16:34:09Z-
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2018-09-05T16:34:09Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Andrade_FelipeMammoli_M.pdf: 1270127 bytes, checksum: 54e0ab5468e5670503b594fd761dc7da (MD5) Previous issue date: 2017en
dc.identifier.urihttp://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/332161-
dc.description.sponsorCAPESpt_BR
Appears in Collections:IG - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Andrade_FelipeMammoli_M.pdf1.24 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.