Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/332066
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: A humanização como política pública no Sistema Único de Saúde : HumanizaSUS na atenção básica de Campinas-SP
Title Alternative: Humanization as a public policy in the unified health sistemy : HumanizaSUS in basic care of Campinas-SP
Author: Medeiros, Jessica Farias Dantas, 1991-
Advisor: Campos, Gastão Wagner de Sousa, 1952-
Abstract: Resumo: O discurso sobre a humanização vem adquirindo espaço entre os que atuam no Sistema Único de Saúde (SUS). Esse conceito é utilizado desde a década de 1960 no âmbito da saúde, por movimentos sociais e programas governamentais da saúde. Entretanto, apenas em 2003 a humanização passou a ser apresentada como política pública de governo, denominada Política Nacional de Humanização (PNH), ou HumanizaSUS. Articulada para apoiar e para orientar a rede assistencial, a PNH busca fomentar os princípios do SUS, assim como a autonomia e o protagonismo dos sujeitos. Ela visa promover mudanças nos modelos de atenção e gestão com foco nas necessidades dos cidadãos e nas relações de trabalho dos serviços para a produção de saúde. Apesar da relevância que a PNH alcançou nacionalmente, ainda há desafios para sua implementação e apropriação pelos serviços que buscam rever os processos de trabalho e gerar novos modelos de atenção e gestão. Diante dessa inquietação, realizou-se esta pesquisa a fim de entender em que medida a Política Nacional de Humanização influenciou a atenção e a gestão em um Centro de Saúde da rede de serviços do SUS de Campinas/SP. Utilizou-se a metodologia de pesquisa qualitativa, com abordagem de estudo de caso, organizada por meio de levantamento bibliográfico e entrevistas semiestruturadas em um Centro de Saúde do município. O percurso entre o material empírico e o teórico mostrou que o SUS Campinas, de forma dialética, influenciou a construção da PNH e foi influenciado por ela. Entretanto, na pesquisa de campo percebeu-se pouco essa relação, tanto nas falas dos sujeitos como nas narrativas de análise. A PNH apareceu nos discursos normalmente de três maneiras: como referenciada ao Modelo Saúde Paideia; como adquirida através de experiências de formação; e como vivências que tratamos como senso comum, ou seja, o saber construído socialmente. Os resultados sugerem que o contexto estudado é transpassado fortemente pela realidade macropolítica do município, levantada como um elemento destituidor da autonomia e protagonismo para a mudança dos processos de trabalho e consolidação do SUS. Enfatizamos, ao final, que compreender a PNH como política pública, por meio da pesquisa enquanto práxis, contribui para um debate politizador da humanização, porque promove uma reflexão teórico-prática da urgência de atores éticos-políticos para a sua implementação na atenção básica de Campinas/SP

Abstract: The discourse about humanization has been gaining ground among those who act on the Unified Health System (SUS, in Portuguese). This concept has been used since the 1960s in health, by social movements and government health programs. However, only in 2003 humanization came to be presented as a public policy of government, called National Humanization Policy (PNH, in Portuguese), or HumanizaSUS. Articulated to support and guide the care network, the PNH seeks to promote SUS principles, as well as the autonomy and protagonism of the subjects. It aims to promote changes in models of care and management, with a focus on the needs of citizens and the working relationships in services of health production. Despite the relevance that the PNH has reached nationally, there are still challenges for its implementation and appropriation by services that seek to review work processes and generate new models of attention and management. Faced with this concern, this research was carried out to understand the extent to which the National Humanization Policy influenced the care and management in a Health Center of the SUS network of Campinas/SP. The qualitative research methodology was used, with a case study approach, organized through a bibliographical survey and semi-structured interviews in a Health Center of the city. The trajectory between the empirical material and the theoretical one showed that the SUS Campinas dialectically influenced the construction of the PNH and was also influenced by it. However, in the field research, this relation was poorly perceived, both in the subjects' speeches and in the narratives. PNH appeared in speeches usually in three ways: as referenced to the Paideia Health Model; as acquired through training experiences; and as experiences that we treat as common sense, that is, socially constructed knowledge. The results suggest that the context studied is strongly influenced by the macropolitical reality of the city, raised as an element that deprives autonomy and protagonism for the change of work processes and consolidation of SUS. Finally, we emphasize that understanding PNH as a public policy, through research as a praxis, contributes to a politicizing debate on humanization, because it promotes a theoretical-practical reflection on the urgency of ethical-political actors for their implementation in basic health care of Campinas/SP
Subject: Sistema Único de Saúde (Brasil)
Humanização da assistência
Políticas públicas de saúde
Atenção primária à saúde
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: MEDEIROS, Jessica Farias Dantas. A humanização como política pública no Sistema Único de Saúde: HumanizaSUS na atenção básica de Campinas-SP. 2018. 1 recurso online (179 p.). Dissertação (mestrado profissional) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP.
Date Issue: 2018
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Medeiros_JessicaFariasDantas_M.pdf4.02 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.