Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/331888
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Políticas de língua e movimentos nacionalistas : campos de interação histórica entre Tanzânia e Moçambique (1961-1969)
Title Alternative: Language policies and nationalist movements : zones of historical interaction between Tanzania and Mozambique (1961-1969)
Author: Bastos, Felipe Barradas Correia Castro, 1994-
Advisor: Thomaz, Omar Ribeiro, 1965-
Abstract: Resumo: Diferentes organizações políticas de refugiados moçambicanos na África oriental se uniram em 1962 sob a liderança de Eduardo Mondlane para formar a Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO) no Tanganyika, atual Tanzânia, dando início dois anos mais tarde à guerra de libertação nacional. A problemática desta pesquisa questiona um lugar-comum na historiografia referente aos primórdios da luta de libertação de Moçambique: houve unanimidade sobre a escolha da língua portuguesa como língua oficial da FRELIMO? Dado que a língua portuguesa não era difundida entre os membros que a fundaram em Dar es Salaam, nem tampouco entre a maioria dos emigrados moçambicanos politicamente mobilizados no Tanganyika, busca-se avaliar historicamente como se deu a decisão de promover a língua portuguesa como elemento de integração sociopolítica do movimento e da construção da nação moçambicana. Para tanto, são abertos três eixos analíticos principais dedicados ao estudo de campos de interação histórica em que são formuladas políticas de língua (FABIAN, 1986). O primeiro é dedicado à definição da problemática "questão linguística", isto é, a percepção historicamente constituída acerca dos problemas decorrentes do estabelecimento de entidades políticas (de caráter colonial ou não) sobre populações multilíngues. O segundo trata de reconstruir, por meio do levantamento do contexto histórico tanzaniano e do fenômeno do assimilacionismo português, a situação linguística (TUMBO, 1976) e colonial presentes no processo no qual se insere a formação dos nacionalismos moçambicanos, incluindo uma análise da mobilização multilíngue realizada nos comitês de base da FRELIMO no interior do Tanganyika. O terceiro condensa a averiguação de projetos educacionais empreendidos pela FRELIMO para a promoção da língua portuguesa durante a década de 1960, principalmente o Instituto Moçambicano em Dar es Salaam, e seu fechamento em decorrência de conflitos ocorridos no seio do movimento de libertação, nos quais se reivindicou o ensino em língua inglesa. Os objetivos propostos articulam-se no sentido de compreender como os diferentes grupos que compuseram a FRELIMO concorreram e participaram no processo histórico no qual ocorreu a escolha da língua portuguesa. O contributo historiográfico almejado por este trabalho consiste na análise da formação de diferentes situações linguísticas como elemento necessário para entendimentos mais plurais e pormenorizados sobre fenômenos históricos pertinentes à descolonização do continente africano. Esta pesquisa busca afirmar, por fim, que negar ou ignorar a diversidade linguística inerente aos contextos em que se formaram frentes nacionalistas que se propuseram unificadas expõe análises históricas ao risco de produzir simplificações ou equívocos interpretativos

Abstract: Different Mozambican political organizations in East Africa have merged together in 1962 under the leadership of Eduardo Mondlane to form the Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO) in Tanganyika, engaging two years later a liberation war against Portuguese colonialism. The problem this research assesses lies upon a historiographical commonplace regarding the early years of Mozambican liberation struggle: was there unanimity over the choice of the Portuguese language as FRELIMO¿s official language? As Portuguese language was not shared among its founding members in Dar es Salaam nor amidst most Mozambican refugees politically mobilized in Tanganyika, we seek to historically assess how the choice was made to promote Portuguese as an element of sociopolitical integration and nation-building in the liberation movement. Therefore, three main analytical axes are devised to study the fields of historical interaction upon which language policies were formulated (FABIAN, 1986). The first is dedicated to formulate definitions of the "language question", a historically-conceived perception about problems originating from the establishment of hegemonic political entities (whether colonial or not) over a multilingual population. The second is intended to recompose, through the analysis of the Tanzanian historical context and the phenomenon of Portuguese assimilationist policies, the linguistic and colonial situation (TUMBO, 1976) that were present in the process in which the formation of Mozambican nationalisms occured, including an analysis of the multilingual mobilization deployed by FRELIMO¿s base committees in Tanganyika¿s countryside. The third axis condensates an assessment of educational projects put forward by FRELIMO to promote instruction in Portuguese language during the 1960s in the Mozambique Institute in Dar es Salaam, and the closure of this institution as a result of internal conflicts that shook the liberation movement, occasion when English-language medium of instruction was required. The objectives are articulated to comprehend how the different groups that composed FRELIMO participated in the historical process in which the choice for Portuguese language was made. The historiographical output sought by this research consists in the analysis of different linguistic situations as a necessary element to deeper and more plural understandings of historical phenomena that pertained to the decolonization of Africa. Lastly, this research seeks to affirm that denying or ignoring the linguistic diversity inherent to the contexts in which nationalist fronts were formed exposes historical analysis to the risk of producing interpretative simplifications
Subject: Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo)
Descolonização
Linguagem - Política governamental - África
Lingua suaili
Tanzania - História
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: BASTOS, Felipe Barradas Correia Castro. Políticas de língua e movimentos nacionalistas: campos de interação histórica entre Tanzânia e Moçambique (1961-1969). 2018. 1 recurso online (255 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/331888>. Acesso em: 3 set. 2018.
Date Issue: 2018
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Bastos_FelipeBarradasCorreiaCastro_M.pdf2.4 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.