Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/331866
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: O patrimônio mundial natural e a produção de destinos turísticos no Brasil : Parque Nacional do Iguaçu (PR)
Title Alternative: Natural world heritage and the production of touristic destinations in Brazil : Iguaçu National Park (PR)
Author: Trevisan, Fernanda Lodi, 1984-
Advisor: Luchiari, Maria Tereza Duarte Paes, 1961-
Abstract: Resumo: Esta tese investiga a relação entre a patrimonialização da natureza e sua valorização turística. As mudanças de atitude para com a natureza ¿ em função da expansão do meio técnico científico informacional ¿ contribuíram para a valorização das áreas naturais no que diz respeito à prática da visitação turística, bem como resultaram na criação de instrumentos protetivos, ainda no século XIX, no campo ambiental e no cultural. As áreas protegidas são entendidas como territórios, pois são recortes políticos e administrativos regulamentados por um instrumento oficial do poder público e com um regime particular de gestão. Ao mesmo tempo, tais áreas são território usado, pois não deixam de ter uso e função específica para a sociedade. No campo cultural, a Convenção do Patrimônio Mundial é um dos instrumentos que permitem a patrimonialização da natureza ao reconhecer um sítio, uma paisagem ou um monumento natural como patrimônio da humanidade. No campo ambiental, a criação de UC é o instrumento por excelência de proteção da natureza. Esses dois campos protetivos e duas esferas institucionais, internacional e nacional, convergem no recorte espacial desta tese: o Parque Nacional do Iguaçu, criado pelo governo brasileiro em 1939 e reconhecido como patrimônio da humanidade em 1986. Partiu-se da hipótese de que as recomendações da Unesco influenciaram a organização territorial do Parque e o modelo de visitação adotado atualmente, responsável pela transformação do Parque em um megaempreendimento turístico. O Parque do Iguaçu é o segundo mais visitado no Brasil e seu principal atrativo são as paisagens formadas pelas cataratas do rio Iguaçu. Esse Parque foi o pioneiro em ter delegado os serviços turísticos às empresas privadas, por meio de concessões, ainda na década de 1990. Como resultados desta pesquisa, aponta-se a relevância das recomendações da Unesco, porém, sua influência é restrita para o contexto geral da visitação turística do Parque. Destaca-se que outros elementos, tais como as políticas nacionais voltadas para as UCs e para o turismo, foram predominantes para a configuração territorial turística do Parque e para o modelo de visitação atualmente adotado, chamado aqui de visitação turística comercial, caracterizado, sobretudo, pela comercialização de serviços turísticos e pelo maior controle sobre os visitantes. O turismo de natureza é apresentado como a oportunidade de promover o desenvolvimento sustentável, já que propõe conciliar a conservação da área protegida com a dinamização da economia local e a criação de empregos. A geração de receitas, por meio do turismo de natureza, é uma das principais justificativas para a defesa de tais territórios protegidos. Para promover o turismo de natureza tem-se priorizado a delegação da gestão turística às empresas privadas, sob a alegação de que tais atividades fogem às atividades fins dos órgãos ambientais. Como metodologia de pesquisa foi realizada revisão bibliográfica; pesquisa documental em arquivos da Unesco, do Iphan e do ICMBio; e trabalhos de campo para observação direta, registro fotográfico e entrevistas semiestruturadas com funcionários do ICMBio e das empresas concessionárias

Abstract: This doctoral thesis investigated the relationship between the protection of nature and its tourist increase in value. Changes in the attitude towards nature ¿ due to the expansion of the technical environment and the technical, scientific and informational environment ¿ contributed to increase value of natural areas in relation to the practice of tourist visitation, as well as resulted in the creation of protective instruments, since 19th century, in the environmental field, but also in the cultural field. Protected areas are understood as territories because they are political and administrative regulated by a public power oficial instrument of public power and with a particular regime of management. At the same time, such areas are used territory because they do not cease having use and specific function for society. In the cultural field (and in the international sphere), the World Heritage Convention is one of the instruments that allows the protection of nature when recognizing a site, a landscape or a natural monument as a world heritage. In the environmental field (and in the national sphere) the creation of Unidades de Conservação (UC) is the instrument par excellence of nature protection. These two protective fields and two institutional spheres converge in the Iguaçu National Park, the spatial cutting of this thesis, created by the Brazilian government, in 1939, and recognized as a world heritage, in 1986. It was assumed that the recommendations of Unesco influenced the territorial organization of the Park and the currently visitation model adopted, responsible for transforming the Park into a tourist mega-company. Iguaçu National Park is the second most visited Park in Brazil and its main attraction are the landscapes formed by Iguaçu River Waterfalls. This Park was the pioneer in having delegated the tourist services to private companies, by means of concessions, in the 1990s. The research results suggest the relevance of Unesco's recommendations, but its restricted influence in the general context of the visitation of the Park. Other elements, such as the national policies focused on UCs and tourism, were predominant for the tourist territorial configuration of the Park and for the currently model of visitation, termed here by commercial visitation, characterized, above all, by the trading of tourist services and intensive control over visitors. Nature tourism is presented as the opportunity to promote sustainable development, since it proposes to harmonise the conservation of the protected area with the development of the local economy and the creation of jobs. The income generation, by nature tourism, is one of the main justifications for the defense of such protected territories. In order to promote nature tourism, priority has been given to the delegation of tourism management to private companies, with the claim that such activities are outside the scope of environmental agency's activities. As research methodology, a bibliographic review was carried out; documentary research in the archives of Unesco, Iphan and ICMBio; and fieldwork for direct observation, photographic registration and semi-structured interviews with ICMBio and companies employees
Subject: Patrimônio natural
Patrimonio mundial - Brasil
Turismo - Parques nacionais
Concessões de licenças
Parque Nacional do Iguaçu (PR)
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: TREVISAN, Fernanda Lodi. O patrimônio mundial natural e a produção de destinos turísticos no Brasil: Parque Nacional do Iguaçu (PR). 2018. 1 recurso online ( 276 p.). Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Geociências, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/331866>. Acesso em: 3 set. 2018.
Date Issue: 2018
Appears in Collections:IG - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Trevisan_FernandaLodi_D.pdf5.6 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.