Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/331820
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Acolhimento = da exclusão ao direito à saúde = Embracement : from exclusion to the right to the health
Title Alternative: Embracement : from exclusion to the right to the health
Author: Pavarini Filho, Edson, 1983-
Advisor: Silva, Eliete Maria, 1960-
Abstract: Resumo: Embora o direito à saúde esteja presente em nossa Constituição, sua luta para mantê-lo e qualifica-lo é viva. Pautado por disputas teóricas, políticas e econômicas, o Sistema Único de Saúde (SUS) torna-se palco de correntes que primam pela exclusão e austeridade em contraponto ao direito à saúde e à vida. Identificamos no Acolhimento uma aposta para firmar o direito à saúde, combater a exclusão e a iniquidade utilizando as ferramentas propostas pelo Programa Nacional de Humanização (PNH). O Acolhimento é um instrumento que pode ser um facilitador da porta de entrada para o usuário na Atenção Primária a Saúde (APS), sendo, portanto, caracterizada como uma importante ferramenta organizacional de fluxo dos pacientes nas unidades e pilar para a construção do cuidado à sua população de referência. É por meio deste instrumento de acesso que possibilita o atendimento a demanda espontânea nas unidades na APS. Entretanto, diversos fatores como o subfinanciamento na saúde, discreta participação popular, problemas de estrutura, limites na contratação de trabalhadores, restrições na educação permanente e na supervisão entre outros, predispõem barreiras e produzem um hiato entre o direito e sua efetivação prática. Portanto, objetivou-se compreender a concepção dos trabalhadores e coordenadores dos centros de saúde da cidade de Campinas em relação à prática do Acolhimento à demanda espontânea. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, utilizando-se da técnica de grupo focal como método para coleta de dados primários. Realizou-se dois grupos focais com participantes distintos, coordenadores e trabalhadores de saúde dos Centros de Saúde da cidade de Campinas, separados em seus grupos específicos. A cidade de Campinas é dividida em cinco distritos de saúde, foram convidados dez coordenadores e dez trabalhadores de saúde dos centros de saúde de campinas, dois participantes de cada distrito, ao final tivemos um grupo de coordenadores com oito participantes e um grupo com dez trabalhadores de saúde, ambos participaram voluntariamente após uma apresentação do trabalho. Conforme a técnica, os grupos foram coordenados por um mediador na presença de um roteiro pré-estabelecido e um observador utilizando um caderno de campo, o grupo foi realizado em um espaço neutro com duração de noventa minutos com o foco sobre a organização do processo de trabalho para um Acolhimento que garanta o direito à saúde. Os grupos foram gravados em áudio, transcritos e posteriormente organizados em categorias temáticas, por meio da análise de conteúdo, que embasaram a discussão e os resultados. Os dois grupos elencaram o Acolhimento como uma importante ferramenta para o acesso, alicerçada no vínculo, escuta qualificada, na resolutividade das demandas, melhor organização do processo de trabalho e ressaltaram a enfermagem como a principal categoria para seu funcionamento. Por outro lado, evidenciaram o distanciamento teórico prático pela falta de dimensionamento de pessoal, estruturas prediais precárias, tamanho da população maior que previsto, dificuldade no trabalho em equipe, acolhimento como ações do tipo "queixa e conduta" com horários e setores definidos. Compreendemos que acolher está relacionado com o acesso e suas interferências ferem a garantia do direito à saúde

Abstract: Although the right to health is present in our Constitution, its struggle to maintain and qualify it is alive. Guided by a theoretical, political and economic disputes, the Sistema Único de Saúde (SUS) becomes the scene of currents that prevail by exclusion and austerity in counterpoint to the right to health and life. We identified have at embracement a commitment to strengthen the right to health, to combat exclusion and inequity using the tools proposed by the National Humanization Program (PNH). The embracement is an instrument that can be a facilitator of the doorway for the user in Primary Health Care (PHC), and is therefore characterized as an important organizational flow tool for patients in the units and pillar for the construction of care population . It is through this access tool that enables spontaneous demand to be met at the units in the APS. However, several factors such as underfunding in health, low participation of the population, structural problems, limitations in the hiring of professionals, restrictions in permanent education and supervision, among others, predispose barriers and produce a gap between the law and its practical effectiveness. Therefore, this study aims to understand the conception of the professional and coordinator of health centers oh the city of Campinas in relation to the practice of embracemnt the spountaneous demand. This is a qualitative research using the focal group technique as a method for collecting primary data. Two focus groups were held with distinct participants, Coordinators and health professionals of Health Centers of the city of Campinas, separated into their specific groups. The city of Campinas is divided into five health districts, tem coordinators and tem health professionalsfrom the health centers were invited, two participants from each district, at the end we had a group of coordinators with eight participants and a group with tem professionals both volunteered after a presentation of the work. According to the technique, the groups were coordinated by a mediator in the presence of a pre-established script and an observer using a field notebook, the group was carried out in a neutral space with duration of ninety minutes with the focus on the organization of the process of work for a embracement that guarantees the right to health. The groups were recorded in audio, transcribed and later organized into thematic categories, through content analysis, which supported the discussion and the results. The two groups listed the embracement as an important tool for access, based on bonding, qualified listening, on the resolution of demands, better organization of the work process and emphasized nursing as the main category for its operation. On the other hand, they evidenced the practical theoretical distancing due to lack of personnel sizing, precarious building structures, larger than expected population size, difficulty in teamwork, hosting as "complaint and conduct" actions with defined schedules and sectors. We understand that embracement is related to access and its interferences hurt the guarantee of the right to health
Subject: Acolhimento
Atenção primária à saúde
Processo de trabalho em saúde
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: PAVARINI FILHO, Edson. Acolhimento: da exclusão ao direito à saúde = Embracement : from exclusion to the right to the health. 2018. 1 recurso online ( 111 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/331820>. Acesso em: 3 set. 2018.
Date Issue: 2018
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Pavarini Filho_Edson_M.pdf1.93 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.