Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/331797
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Benefícios da prática de exercício físico na doença de Parkinson : um estudo com pacientes do Hospital das Clínicas da Universidade Estadual de Campinas
Title Alternative: Benefits of physical exercise practice in Parkinson disease : a study with patients of Clinical Hospital in University of Campinas
Author: Vieira, André Souza Leite, 1988-
Advisor: D'Abreu, Anelyssa Cysne Frota
Abstract: Resumo: A Doença de Parkinson é o segundo distúrbio neurodegenerativo mais comum no mundo, afetando em torno de 1% de pessoas com 60 anos ou mais na população mundial. Sua prevalência aumenta com a idade, acometendo ambos os sexos, diferentes classes sociais e etnias. Seus sintomas cardinais são a rigidez, a bradicinesia, o tremor de repouso, instabilidade postural, congelamento da marcha e postura fletida de tronco, membros e pescoço. O diagnóstico é clínico e leva em consideração diversos fatores endógenos e exógenos. Os sintomas podem ser controlados através de intervenções terapêuticas, não medicamentosas, medicamentosas e cirúrgicas. Dentre essas intervenções, o exercício físico aparece como uma forma de intervenção importante para a atenuação dos sintomas provocados por essa doença. O objetivo do estudo foi analisar os benefícios que a prática de exercício físico proporcionou ao paciente com Doença de Parkinson. Para isso foram utilizadas as escalas UPDRS, PDQ-39 (Mobilidade e AVD) e um questionário estruturado. Foram entrevistados 111 pacientes, e através do questionário, os pacientes foram divididos em 2 grupos: Praticam Exercício Físico (70 Pacientes) e não Praticam Exercício Físico (41 pacientes). A análise de ressonância magnética funcional observou a conectividade funcional em 50 pacientes, divididos em: Caminhada (13 pacientes), outros EF (18 pacientes) e nEF (19 pacientes). Após a análise estatística das escalas e do questionário, constatou-se que há redução nos escores do PDQ-39 (Mobilidade e AVD), que a cada 1 hora destinada à prática esse escore tende a cair em média 0,55 pontos. Não houve diferença significativa nos escores do UPDRS, e observou que há aumento de conectividade funcional em pacientes que se exercitam. Isso possibilitou compreender como é o perfil da amostra estudada e estabelecer estratégias para incentivar a adesão ao exercício físico. Dentre as destacadas são a conscientização por parte dos pacientes e seus cuidadores referentes ao benefício do exercício físico, oferecimento de exercício físico direcionado a esse público na iniciativa pública e o reforço da ação interdisciplinar como a base que consolida todas as ações de intervenção e que ela é a melhor forma de conscientizar o paciente da importância de todas as ações de intervenção para a melhora na qualidade de vida do paciente com doença de Parkinson

Abstract: Parkinson's disease is the second most common neurodegenerative disorder in the world, affecting about 1% of the world's population with 60 years old or more. Its prevalence increases according with age, affecting both sexes, different social classes and ethnicities. Its cardinal symptoms are stiffness, bradykinesia, resting tremor, postural instability, freezing and flexed posture of trunk, limbs and neck. The diagnosis is clinical and it takes into account several factors. Symptoms can be controlled through therapeutic, non-drug, drug and surgical interventions. Among these interventions, physical activity appears to be an important factor in attenuating the symptoms. The aim of this study was to analyze the impact that physical exercise practice provided to the patient with PD. For this we use the UPDRS scales, PDQ-39 (mobility and DLA) and also a structured questionnaire. 111 patients were interviewed, and through the structured questionnaire, the patients were divided into 2 groups: Patients that practice Physical Exercises (70); not Physical Exercises (41). A Magnetic Resonance Imaging scan analyses the function connectivities into 3 groups: Walk (13 patients), Other EF(18 Patients) and non EF (19 patients). After the statistical analysis of the questionnaires, we found that there is a reduction in the scores of the PDQ-39 (mobility and DLA), that every hour destined to practice this score tends to fall on average 0.55 points. Although there was no significant difference in the UPDRS scores, and noted that there is increased functional connectivity in patient who exercise. This made it possible to understand the profile of the sample studied and to establish strategies to encourage adherence to Physical Exercises. Among the highlights are the awareness of patients and their caregivers regarding the benefit of physical exercise, offering physical exercise directed to this public in the public initiative and the reinforcement of interdisciplinary action as the basis that consolidates all intervention actions and that it is the best way to make the patient aware of the importance of all intervention actions to improve the quality of life of patients with Parkinson's disease
Subject: Doença de Parkinson
Reabilitação neurológica
Exercícios físicos
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: VIEIRA, André Souza Leite. Benefícios da prática de exercício físico na doença de Parkinson: um estudo com pacientes do Hospital das Clínicas da Universidade Estadual de Campinas. 2018. 1 recurso online ( 76 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/331797>. Acesso em: 3 set. 2018.
Date Issue: 2018
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Vieira_AndreSouzaLeite_M.pdf1.65 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.